Apple contradiz declarações da fabricante de chips gráficos Imagination Technologies [atualizado]

A novela estrelada pela Apple e pela fabricante de chips gráficos Imagination Technologies recebeu mais um capítulo hoje, a partir de revelações da Maçã feitas para a Bloomberg; o que pareceu um golpe de um vilão agora recebeu novos significados.

Publicidade

Se você não acompanhou os últimos capítulos, aqui vai um resumo: em abril, o mundo da tecnologia se alarmou quando a Apple anunciou que, num período de até dois anos, não mais usaria os chips gráficos da Imagination para equipar os seus iGadgets, mas sim os seus próprios. Com isso, as ações da fabricante caíram 70% instantaneamente. Se fazendo de “coitadinha”, ela entrou em um “processo de resolução de disputa” contra a Apple e, depois de um tempo, anunciou que estava à venda.

O que pareceu uma jogada maléfica e abrupta da Apple, na verdade, não foi. A Maçã contou à Bloomberg que a fabricante já estava sabendo que ela não mais utilizaria seus produtos desde o fim de 2015, isto é, há quase dois anos. Inclusive, no ano passado, a Apple incluiu no contrato entre as duas empresas uma cláusula que a permitia pagar menos por utilizar uma porção menor da propriedade intelectual da fabricante. Por todos esses sinais, a Maçã considerou as declarações da fabricante “decepcionantes, imprecisas e enganadoras”.

Começamos a trabalhar com a Imagination em 2007 e deixamos de aceitar novas propriedades intelectuais deles em 2015. Após longas discussões, dissemos no dia 9 de fevereiro que esperávamos liquidar o nosso acordo de licenciamento, pois precisávamos de propriedade intelectual única e diferenciada para os nossos produtos. Nós valorizamos o nosso relacionamento passado e queríamos dar-lhes o aviso da forma mais antecipada possível para eles adaptarem os seus planos futuros.

As declarações da Maçã vão contra à feita pelo CEO da Imagination, Andrew Heath, a qual afirmou que eles só foram avisados no fim de março deste ano, dizendo ainda que “estavam certos” de que não utilizariam os seus chips nos produtos de 2018 e 2019. Depois da declaração de hoje da Apple — e antes mesmo de uma possível nova resposta da Imagination —, as ações dela caíram mais um pouco, por volta de 8%.

Publicidade

A versão da Apple condiz muito mais com a atitude da empresa, que provavelmente somente descartaria os chips gráficos de uma fabricante se os próprios estivessem em processo de desenvolvimento já avançado. Afinal, dificilmente eles arriscariam dar um passo assim se tudo já não estivesse certo, amarradinho.

via MacRumors

Atualização 10/07/2017 às 10:05

Mais uma capítulo dessa história apareceu no último sábado (8/7), noticiado pelo The Telegraph. De acordo com o site, a Apple teria alugado um escritório de cerca de 2.000m² em St. Albans, na Inglaterra, local muito, muito próximo à sede da Imagination Technologies. E, como conta a matéria, este novo escritório será utilizado pela Maçã para desenvolver a sua própria tecnologia gráfica.

Publicidade

Isso pode ser tudo uma grande coincidência ou — o que seria mais provável — a Apple estaria de olho nos empregados da Imagination, a fim de oferecer uma boa oferta de trabalho sem que eles precisassem se deslocar para Londres ou (pior ainda) para Cupertino.

É, amigos, acho que a Imagination cutucou um vespeiro ao entrar em disputa com a Apple.

via 9to5Mac

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…