“iPhone 8” poderá chegar ao mercado sem reconhecimento facial e recarga sem fio devido a problemas no software

Existem diversas dúvidas pairando no ar sobre o hardware final do “iPhone 8”. Há quem diga que ele terá Touch ID na tela, sim; quem acredita que não teremos sensor de impressões digitais nele e que o smartphone virá com uma nova tecnologia de reconhecimento facial 3D; os que confiam na possibilidade de vermos um novo sistema de carregamento sem fio e sem contato (ou o tradicional carregamento sem fio que já estamos acostumados a ver por aí)…

Enfim, se existe algo definido nesse sentido — e eu acredito que sim, já que estamos no meio de julho e o smartphone tem tudo para ser apresentado em setembro — por enquanto apenas a Apple sabe.

Mockup do "iPhone 8", por iDrop News
Comparativo entre o iPhone 7, o “iPhone 8” (mockup) e o iPhone 7 Plus

Isso, é claro, falando de hardware. Até então muito pouco se falou do software que será embarcado nesse novo aparelho. Fato é: se o “iPhone 8” vier mesmo as novidades especuladas acima, obviamente o software dele precisará suportar todas essas novas tecnologias. Nesta semana a Fast Company discorreu sobre isso e… bem, as notícias não são nada animadoras.

Segundo a publicação, junho foi um mês tenso para os engenheiros e designers da Maçã, que estão com uma sensação — nas palavras da Fast Company — de “pânico no ar”. A empresa estaria trabalhando vorazmente para corrigir problemas de software que, em última instância, poderiam causar atrasos na produção (já que os iPhones precisam sair das fábricas com um software instalado) ou na entrega. E, pasmem: se os problemas do software não forem resolvidos, o tal do “iPhone 8” poderia até mesmo começar a ser vendido com os seus principais recursos desativados! 😐

Quanto ao tal recurso de carregamento sem fio — que poderia ser o padrão Qi ou alguma variante dele —, o problema não seria a tecnologia do padrão em si ou o chip da Broadcom que equiparia o aparelho, e sim o software que não estaria ainda pronto para debutar. Dessa forma, a Apple poderia começar a vender o “iPhone 8” com tal recurso desativado e, depois, numa futura atualização (iOS 11.1, por exemplo), ativá-lo (de forma similar ao que vimos acontecer com o recurso Modo Retrato, do iPhone 7 Plus, que foi liberado para o grande público na versão 10.1 do iOS).

A tecnologia de reconhecimento facial 3D, é claro, também estaria dando um bom trabalho aos engenheiros da empresa. Novamente, aqui, o problema não seria o hardware e os sensores em si, mas o software responsável por fazer tudo funcionar. E, se os rumores de que a Apple está mesmo planejando “matar” o Touch ID em prol dessa nova forma de autenticação estiverem corretos, esse recurso precisa estar funcionando muito bem para justificar a troca. Segundo fontes da publicação, a Apple estaria lutando para que o sensor funcione de forma 100% confiável.

Conceito de Touch ID na tela do iPhone

A boa notícia (ao menos para mim, que sou fã da tecnologia) é que, aparentemente, após testar diversos protótipos com Touch ID em lugares variados, há sim uma grande chance de a ele vir embutido na tela do aparelho. Ou seja, o reconhecimento facial 3D viria para somar e não para dividir — algo que discutimos bastante no episódio #237 do nosso podcast.

Para completar a saga de problemas, temos ainda o fato de esse “iPhone 8” ser o primeiro smartphone da Apple a vir equipado com telas OLED e que esse tipo de tecnologia não tem uma produção tão grande a ponto de satisfazer a demanda da Maçã — algo que já comentamos aqui no site algumas vezes.

via MacRumors

Posts relacionados

Comentários