O jailbreak está morto!

Geohot, DevTeam, MuscleNerd, Installer e Cydia. Estes nomes são conhecidos por quem acompanhava a saga do desbloqueio do iPhone, o famoso jailbreak. Na época em que o aparelho foi lançado, ele não só funcionava apenas nos Estados Unidos, como não havia App Store para baixar aplicativos. O resultado: hackers ficaram famosos divulgando métodos para desbloquear o smartphone.

Eu sinto que o jailbreak está basicamente morto.

Era sempre a mesma narrativa. A Apple lançava uma nova atualização de software e começava o frenesi: grupos de hackers iniciavam a exploração da nova versão e, aos poucos, iam divulgando as falhas de segurança encontradas. Em algumas semanas, publicavam instruções detalhando como fazer o desbloqueio — e blogs no mundo todo reproduziam os tutoriais.

De uns tempos pra cá, fomos esquecendo o assunto. O iPhone ficou disponível no mundo inteiro (o que matou a necessidade de desbloqueio para outras operadoras), a App Store cresceu muito e o sistema foi se abrindo cada vez mais. É fato: não existe mais nenhuma vantagem significativa em fazer o jailbreak. Os próprios hackers que ficaram famosos por realizar o procedimento afirmam isso.

Numa entrevista para o portal Motherboard (recomendo a leitura, tem um resumo interessante sobre o submundo do jailbreak), Nicholas Allegra e Jay Freeman, conhecidos como @comex e @saurik, afirmam que não há mais necessidade de desbloquear o aparelho. “Eu sinto que o jailbreak está basicamente morto”, afirma Allegra.

Mas ainda existe quem invista no assunto. Um hacker chamado Liang Chen, da Keen Security Lab of Tencent, publicou imagens do que seria um aparelho rodando iOS 11 beta jailbroken.

Hoje em dia não é possível realizar o jailbreak na última versão do iOS. Existia a esperança que um dos hackers mais experientes no assunto fosse trabalhar nisso, mas ele anunciou publicamente que não se envolveria mais.

Eu vou parar todas as pesquisas públicas no iOS depois de terminar isso do 10.2. A idiotice da comunidade jailbreak é demais para mim.

Os principais hackers que costumavam fazer os procedimentos hoje trabalham em empresas de segurança (alguns até na própria Apple) e quem descobre falhas tem a oportunidade de vendê-las por muito dinheiro. Além disso, nunca foi muito seguro ter o aparelho desbloqueado, visto que qualquer código malicioso pode rodar por lá.

Eu confesso: sinto falta daquela época. Esperar o lançamento de um método de desbloqueio era como esperar ansiosamente por uma nova temporada de “Game of Thrones”. Pena que acabou…

via Cult of Mac

Posts relacionados

Comentários