Enquanto o iPad vê aumento em vendas, mercado mundial de tablets está em queda

Analisando os resultados financeiros do terceiro trimestre fiscal da Apple, revelados nesta semana, podemos notar que houve uma melhora boa nas vendas de iPads, depois de tanto tempo em queda. Foram vendidas 11,4 milhões de unidades no período, representando um aumento anual de 15% — mas, em receita, foram apenas 2% de aumento.

Considerando algumas hipóteses, talvez pensemos que o grande responsável tenha sido o novo iPad de 9,7″, já que ele é uma opção mais barata, iniciando em US$330 nos Estados Unidos.

Entretanto, de acordo com a Strategy Analytics, não é exatamente assim. Quer dizer, esse iPad foi lançado no fim de março, o que, se fosse o caso, reduziria muito mais preço médio de venda dos dispositivos no trimestre fiscal de junho. Mas não foi o que aconteceu; na verdade, o preço permaneceu firme em US$435, somente um dólar a menos do que no trimestre de março.

Isso não quer dizer que a opção de 9,7″ não vendeu bem — vendeu, sim. Porém, o que teria agregado bastante nos números seriam os iPads Pro de 10,5″ e 12,9″, lançados na última Worldwide Developers Conference (WWDC) — menos de um mês antes de o trimestre de junho fechar.

É inegável que preços mais baixos no novo iPad ajudaram a impulsionar as vendas em todo o trimestre de junho, mas o preço médio de venda conta uma história ligeiramente diferente. Ele permaneceu estável no último trimestre, mostrando que os modelos iPad Pro mais caros também venderam bem, apesar de os novos modelos estarem disponíveis por menos de um mês no trimestre de junho.

Eric Smith, analista sênior da Strategy Analytics, em declaração para o MacRumors.

Se olharmos a linha do tempo, o preço médio de venda dos iPads geralmente circulou entre US$415 e US$450, desde 2015. No ano passado, depois que o iPad Pro original de 9,7″ foi lançado, esse número subiu para US$490.

Mesmo aos trancos e barrancos, o iPad ainda é o líder do mercado, seja lá qual o modelo analisado (já que isso não é discriminado nos resultados). Isto é, se comparado com os tablets de outras diversas fabricantes, a Apple ainda conquista o primeiro lugar.

Strategy Analytics Q2 2017

Tanto a Strategy Analytics quanto a International Data Corporation (IDC) listaram as vendas globais de tablets neste segundo trimestre de 2017. A primeira colocada nos dois rankings foi a Maçã e os seus 11,4 milhões de iPads vendidos, que abocanharam 26,1% do mercado (SA) ou 30,1% (IDC).

Com uma distância considerável, temos em segundo lugar a Samsung, que vendeu 5,8 milhões de unidades, obtendo 13,2% do mercado (SA) ou 15,8% (IDC). A chinesa Huawei também cresceu bastante no último trimestre, vendendo 3,2 milhões de unidades, conseguindo 7,2% de parcela do mercado (SA) ou 8% (IDC).

Como é possível ver na tabela acima, somente a Apple, a Huawei e a Amazon conseguiram crescer no período; todas as demais sofreram uma queda em comparação com o mesmo trimestre em 2016.

Os números nas duas firmas estão diferenciados, porém ambas registraram que houve queda de uma maneira geral no mercado de tablets. A IDC registrou apenas 3,4% de queda, enquanto para a Strategy Analytics a redução foi de 7%.

·   •   ·

O aumento nas vendas dos iPads podem jogar por terra a teoria de que quem adquire um iPhone com telas maiores não precisa mais de tablets. Ainda assim, os modelos “Plus” estão ficando cada vez mais populares.

CIRP iPhones

De acordo com a Consumer Intelligence Research Partners (CIRP), a adoção aos iPhones maiores continua aumentando, com os modelos 6 Plus, 6s Plus e 7 Plus já representando 53 milhões de unidades.

A exceção à regra de preferência por telas maiores ficou a cargo do pequeno notável iPhone SE, que ainda teve 6% de aumento em vendas. Já falamos aqui sobre sua popularidade desse aparelho, que consegue executar muito bem suas tarefas e tem um tamanho que cabe na palma da mão de qualquer usuário.

Ainda que a tendência seja nunca mais vermos telas de apenas 4″ em iPhones, ele ainda se mostra bastante forte frente aos seus irmãos maiores/mais novos.

Vale lembrar, é claro, que todos esses números são referentes a vendas nos Estados Unidos.

via MacRumors, 9to5Mac

Posts relacionados

Comentários

13 comments

  1. O iPad ainda é meu device favorito, por sua portabilidade, facilidade e tamanho de tela. Estou até vendendo meu Pro de 9.7″, para pegar o de 10.5″. Vou continuar investindo nesta modalidade de tecnologia.

  2. Nossa… de 3.5 para 4.7… sua ideia seria um de 4 polegadas? Acho muito pouco provável a Apple lançar algo assim.

  3. Mas o SE tem uma tela de 4″. Entre 4 e 4.7 eu acho que não rolaria. Ficar com 4 mesmo que é sucesso. Inclusive, um excelente aparelho!

  4. Me expressei mal, quis dizer aumentar um pouco o tamanho da tela, mas sem mexer no tamanho do aparelho pois esse tem a melhor pegada…

  5. Meu iPad 3 aposentou meu Mac Book Air 13″. iPad é um equipamento sensasinal e não dá espaço para a concorrência. Estou investindo agora num Pro 12,9 de 512 e vou ficar uns 4 anos sem pegar outro. Estou apostando tudo no novo iOS e no iPad Pro. Não tem como dar errado. Será só felicidade, produtividade e diversão.

  6. Não vejo nexo, imagina o custo de produção para um ganho de 0,2 ou 0,3 polegadas. Fora o trabalho para os desenvolvedores. Acho pouco provável.

  7. Compra mesmo. Comprei o de 10.5 mais pela portabilidade. Sensacional pra estudos também. Instalei o iOS 11 beta.

Deixe uma resposta