Rumores: “Apple Watch Series 3” virá com conectividade celular (4G/LTE) e um visual completamente novo

A possibilidade de a Apple lançar um Apple Watch com conectividade celular, ou seja, dependendo menos da presença de um iPhone ao lado para conseguir realizar diversas tarefas, já foi ventilada algumas vezes. A última vez que tocamos no assunto, porém, comentamos que os planos de implementar algo assim em 2016 (na segunda geração do relógio) foram ralo abaixo, deixando a novidade para a terceira geração do smartwatch, que deverá ser lançada agora no segundo semestre de 2017.

Pois adivinhe o que a Bloomberg comentou hoje! Isso mesmo, que o “Apple Watch Series 3” (suposto nome do futuro relógio) virá com conectividade celular. A ideia, como eu já mencionei aí em cima, é simples: atualmente, a Apple exige que o smartwatch esteja conectado (por Bluetooth) a um iPhone para, por exemplo, transmitir músicas, baixar instruções em mapas e enviar mensagens quando estamos na rua. Equipado com chip 3G/4G/LTE (não necessariamente algo disponível em todos os modelos, mas ao menos em alguns), os novos Apple Watches poderiam realizar muitas tarefas sem um iPhone ao seu alcance.

De acordo com as famosas “pessoas familiarizadas com o assunto”, a responsável pela fabricação do modem seria a Intel — o que faz bastante sentido, levando em conta a batalha judicial entre Apple e Qualcomm.

Sem duvida nenhuma, um Apple Watch com tal capacidade poderia ampliar bastante o alcance das vendas do dispositivo, já que usuários de outros smartphones (Android, por exemplo) poderiam facilmente adquirir um Apple Watch e utilizá-lo sem problemas. Os únicos contras de um Apple Watch com tal recurso seriam dois, a meu ver: 1. um possível consumo maior de bateria; e 2. o custo de um plano de dados para alimentar essa conectividade do relógio.

Paralelamente a essa notícia, John Gruber (do Daring Fireball) comentou que a terceira geração do Apple Watch também trará um novo formato, deixando de lado o visual apresentado pela Apple no primeiro relógio, em 20141, que foi “reaproveitado” na segunda geração, lançada em 2016.

Caso isso venha mesmo a acontecer, vamos torcer para que o mecanismo de encaixe da pulseira continue exatamente o mesmo, permitindo que usuários possam utilizar as pulseiras que já possuem nos novos relógios. 😊

via MacRumors: 1, 2

Posts relacionados

Comentários

41 comments

  1. Vamos torcer mesmo para que possamos aproveitar as pulseiras, não quero perder as 25 que tenho de coleção. hahaha

  2. Eu só queria mesmo novos e melhores sensores…o fato de poder ter GPS sem estar com meu iPhone por perto já é o suficiente. Toda essa “conectividade” tira o Watch da categoria de acessório e leva ele a um patamar ao qual um device com tela tão pequena não parece se encaixar.

  3. Eu só queria uma lanterna no digital crown, mas já estou muito feliz com o fato do próximo watchOS usar a tela como lanterna.

    Sempre estou com o iPhone no bolso, pra mim a integração/dependência entre os devices funciona perfeitamente da forma que é hoje.

  4. Era mais fácil colocar o Apple Watch com conectividade do acesso pessoal ou Wi-Fi, tudo bem de dependeria do iPhone ou de um roteador. Mas já adiantaria o tempo. E menos um dependente na sua conta de telefone

  5. Bom mesmo seria se ele fosse redondo. Ao menos pro meu uso, ter a tela redonda não perde nada que uma quadrada tem.

  6. O que me preocupa no Watch é a obsolescência dele e a reparabilidade. Relógios são dispositivos “eternos” digamos assim, e daqui uns 10 anos eu queria continuar mudar usando ele. Queria saber se a bateria vai continuar a ser produzida e se vai ser possível trocar. Lançar novos produtos e tirar do mercado o antigo não é uma estratégia acertada no ramo de relógios… Sinal que a Apple não está preocupada com seu “investimento” no ano passado.

  7. Sinceramente não me agrada em nada. Uso ele de boa da maneira que é. Umas melhorias seriam em relação a bateria, e alguns apps que poderiam vir nativamente.

  8. Pois é lembro q comprei um ipad 3rd gen e depois de alguns meses veio o de quarta geração…. depois disso eu passei a observar mais antes de comprar.

  9. Sim, acho que nesse caso, você investe nas pulseiras e o relógio em si, você tem que trocar de x em x anos, dependendo do que você espera.

  10. Quais a chances de ele vim !somente! com o Apple SIM Integrado (eSIM), até por conta do espaço do aparelho, como nos iPads mais recentes com o SIM Integrado? sera q funcionaria no BR?

  11. Somos 2. Dependendo da possível decepção com o “iPhone 8” somado ao fato de esperarmos anos para a Apple disponibilizar recursos no Brasil (curva a curva, Apple Pay…) tb vou abandonar o barco a abraçar o Android de vez.

  12. Malgrado haver duas operadoras que vendem planos via Apple SIM no Brasil, os preços não são nada animadores.

  13. Eu queria Watch Faces Store, que a Apple liberasse isso para terceiros, mas para não virar bagunça, que seja igual faz com Apps, isso é a única coisa que sinto falta e os concorrentes tem.

  14. Veja que o iPhone 5 já não terá mais suporte, ele é de 2012. Seguindo essa lógica que também serve para os iPads são 5 anos de atualizações. A bateria não deve ir muito além disso também.

  15. A diferença é que estamos falando de um relógio. O modelo feito de ouro por exemplo, chegou a custar R$ 98.000,00 reais!! É um.absurdo vc não poder usar ele depois de alguns anos! Se for pra pagar um valor alto desses pra ter um “bracelete” com formato de relógio sem funcionar, sai mais barato mandar fazer um bracelete e não comprar um Watch.

  16. Na verdade, acho que todos já fazem uso do Wi-Fi, basta estar no WatchOS 3 ou superior. O meu é um séries 1 e já uso em ksa assim faz tempo, celular no quarto recebo ligações na sala ou cozinha normalmente…
    Acho q dá pra saber se está no Wi-Fi qnd na central de controle aparece uma nuvenzinha verde se não me engano.
    Vi um vídeo gringo essa semana sobre isso!

  17. Com certeza me faria comprar, visto que abandonei iPhones de vez e mantenho um AppleWatch inox só para ver as horas. Atualmente gosto mais do relogio da Apple do que de seu celular.

  18. Vejo o Apple Watch mais como um gadget que se usa no pulso do que como um relógio. E tecnologia é assim mesmo, quase nada dura mais do que 5 anos.

  19. Pra mim, o Watch cheira a fracasso… Comprar é jogar dinheiro fora. Ou a Apple revê esse conceito ou, vai transformar o Watch no novo “Newton”…

  20. O Apple Watch é o smartwatch mais vendido do mundo. Ele já é um sucesso, ainda mais se comparado ao Newton.

    É claro que um sucesso no mercado de smartwatches não pode ser comparado ao de smartphones ou até mesmo tablets — estamos falando de um produto de nicho, ainda.

    Fato é: o Apple Watch já deixou para trás a fase de desconfiança há muito tempo. Pode não ser um produto que agrade como outros da Apple, mas veio para ficar.

  21. Pois é… Eu tenho 3 só, mas seria triste não poder reaproveitar.

    A Apple com certeza vai “obrigar” a gente a comprar as novas, pq elas serão as mais bonitas e mesmo que sirvam no novo, ela dará um jeito diabólico de fazer com que a gente compre

  22. Vc não entendeu é o Wifi independente do celular. O seu ainda usa o BT do celular, por isso consegue fazer tudo. Não é uma questão do OS mas sim do aparelho, e isso é só a partir do Watch 2.

  23. Apple Sim não funciona aqui… somente residentes no EUA… se vc ativar aqui, é como se fosse um estrangeiro em viagem no brasil, os serviços utilizados são os mesmos valores pagos de sua operadora no país se vc estivesse na argentina por exemplo..

Deixe uma resposta