Após acontecimento em Charlottesville, Apple Pay é retirado de sites neonazistas e Tim Cook envia email para empregados

O mundo nitidamente se abalou com os acontecimentos em Charlottesville (Virgínia, EUA), onde houve confronto de neonazistas com grupos antirracismo.

Publicidade

Por ser uma empresa com grande diversidade na sua equipe e sempre prezar por uma cultura contra a violência, a Apple tende a se pronunciar quando ocorrem situações absurdas como esta. E não foi diferente, desta vez; ainda que não tenha sido divulgada uma declaração púbica oficial da empresa, o CEO da Apple, Tim Cook, demonstrou a sua indignação em alguns tweets:

Cenas de partir o coração em #Charlottesville. A violência e o racismo não têm lugar na América.

Publicidade

Já vimos o terror da supremacia branca e da violência racista antes. É uma questão moral — uma afronta à América. Todos devemos nos posicionar contra isso.

Mais do que ficar apenas nas palavras, a Apple agiu a fim de tentar conter ações de ódio como essa com os recursos que tem. Ontem (16/8), a empresa retirou o Apple Pay de diversos sites os quais vendiam vestimentas e acessórios para grupos brancos nacionalistas e de ódio, como adesivos e camisetas com logotipos nazistas ou com a frase “Orgulho Branco” — alguns desses sites foram o AmericanVikings.com e o VinlandClothing.com.

Um representante da empresa indicou que existem diretrizes no serviço as quais impedem que ele seja utilizado como maneira de promover sites que espalham o ódio, a intolerância e a violência com base em raça, idade, gênero, etnia, religião ou orientação sexual.

Além dessa medida, Cook também enviou um email interno para seus empregados — que, obviamente, logo foi divulgado para o mundo. Declarando que o “ódio é um câncer”, ele se posicionou contra os argumentos do presidente americano Donald Trump, que numa entrevista sugeriu que o confronto teria culpados dos dois lados. Ele demonstrou bem que não se trata de política, mas de bom senso e moral.

Publicidade

Confira o email completo, abaixo [tradução livre nossa]:

Equipe,

Como em muitos de vocês, a igualdade é o cerne das minhas crenças e dos meus valores. Os acontecimentos dos últimos dias têm sido profundamente preocupantes para mim e eu ouvi falar de muitas pessoas na Apple que estão entristecidas, indignadas ou confusas.

O que ocorreu em Charlottesville não tem lugar em nosso país. O ódio é um câncer e, se não for controlado, ele destrói tudo em seu caminho. Suas cicatrizes duram por gerações. É o que a história nos ensinou por várias vezes, tanto nos Estados Unidos quanto nos países de todo o mundo.

Não devemos testemunhar ou permitir tal ódio e fanatismo no nosso país e devemos ser claros em relação a isso. Não se trata de esquerda ou de direita, conservadora ou liberal. Trata-se de decência e moralidade humana. Eu discordo do presidente e de outros que acreditam que existe uma equivalência moral entre supremacistas brancos e nazistas, e aqueles que se opõem a eles defendendo os direitos humanos. Igualar as duas coisas é algo contrário aos nossos ideais como americanos.

Independentemente das suas opiniões políticas, todos devemos concordar em um único ponto: que todos somos iguais. Como empresa, através de nossas ações, nossos produtos e nossa voz, sempre trabalharemos para garantir que todos sejam tratados de forma igual e com respeito.

Acredito que a Apple tem tentado ser um bom exemplo e continuaremos fazendo assim. Nós sempre acolhemos pessoas com várias histórias de vida para as nossas lojas em todo o mundo e mostramos que a Apple é inclusiva para todos. Nós incentivamos as pessoas a compartilharem seus pontos de vista e se expressarem através dos nossos produtos.

Depois dos trágicos e repulsivos acontecimentos em Charlottesville, estamos nos prontificando para ajudar as organizações que trabalham para livrar o nosso país do ódio. A Apple vai fazer contribuições de US$1 milhão cada para o Southern Poverty Law Center e para a Anti-Defamation League. Também equipararemos em dois-para-um as doações dos nossos empregados para esses e vários outros grupos de direitos humanos, até 30 de setembro.

Nos próximos dias, o iTunes oferecerá aos usuários uma maneira fácil de se juntar a nós no suporte direto ao trabalho do SPLC.

Dr. Martin Luther King disse: “Nossas vidas começam a terminar no dia em que ficamos em silêncio em relação às coisas que importam.” Então, continuaremos a falar. Estes foram dias obscuros, mas permaneço otimista de que o futuro será brilhante. A Apple pode e desempenhará um papel importante na realização de mudanças positivas.

Atenciosamente,

Tim

via BuzzFeed News: 1, 2

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…