Sistema de carros autônomos da Apple poderá ser testado em veículo para transporte dos seus empregados [atualizado]

Você se lembra do tal sistema para carros autônomos, no qual Tim Cook revelou que a Apple está trabalhando? Pois bem, agora algumas fontes contaram ao New York Times que a empresa estaria desenvolvendo um veículo para transportar empregados entre os diversos prédios da Maçã — com direito a detalhes de como teria sido a transição da ideia de um veículo completo (com hardware e software da Maçã) para um sistema de veículos autoguiados.

Os planos mais recentes, de acordo com cinco fontes anônimas, apontam que a Apple estaria desenvolvendo o que eles chamam de PAIL (Palo Alto to Infinite Loop): um veículo autônomo que conduziria empregados pelos diversos prédios da Maçã na área do Vale do Silício.

Enquanto o veículo em si seria de uma fabricante já estabelecida, o sistema responsável pela direção autoguiada seria da própria Apple; desta forma, a empresa pode oferecer uma forma mais simples de transportar os seus empregados e, ao mesmo tempo, testar o software para uso mais amplo no futuro. Em relação ao nome, John Gruber sugeriu que ele é um pouco ultrapassado, já que não inclui o Apple Park.

Desde que iniciaram-se os burburinhos relacionados a um possível carro da Apple, os rumores foram tomando diferentes formas até culminarem na confirmação de Cook — quando ouvimos algo bem diferente das notícias iniciais do tal “Projeto Titan”, em 2014.

Conceito de carro da Apple

As fontes, desta vez, afirmaram que os planos da empresa realmente mudaram com o tempo. A equipe responsável pelo projeto teria sido composta por vários veteranos da Apple, assim como alguns engenheiros contratados que tinham experiência na construção de carros e não apenas no software para um veículo autônomo. Ou seja, tudo para ser mais a cara da empresa, que prefere controlar todos os aspectos de um produto final.

As fontes contaram que a equipe do projeto havia pensado em diversas opções, como um veículo com portas motorizadas que se abririam e fechariam silenciosamente, sem volante ou acelerador, telas incluindo realidade aumentada/virtual, um sensor LIDAR1 mais discreto no topo do carro e até rodas diferentes.

A Apple até mesmo tentou reinventar a roda. Uma equipe dentro do Titan investigou a possibilidade de usar rodas esféricas — redondas como um globo — em vez das tradicionais, circulares, porque as rodas esféricas poderiam permitir que o carro fizesse um movimento lateral melhor.

Com o tempo, os planos teriam ficado mais turvos, com atrasos e alguns problemas de liderança. As fontes citaram, inclusive, que o projeto teria tido problemas pela sua magnitude e falta de uma visão claramente definida do que a Apple queria em um veículo.

Dentre os problemas, os empregados reclamavam que as prioridades recorrentemente mudavam, os prazos eram “arbitrários e irreais” e, além disso, ainda não haviam decidido se o carro seria completamente autônomo (ideia apoiada por Jony Ive) ou se o motorista poderia, a qualquer momento, retomar o controle do veículo — que seria o ideal para Steve Zadesky, responsável pela equipe que saiu da Maçã no ano passado. Ive, como sempre, queria “que a empresa repensasse a experiência automotiva”.

Além disso, a linguagem do software (supostamente um “carOS”) também teria entrado em debates: uns sugeriam Swift enquanto outros, C++. Todavia, como John Gruber apontou no Daring Fireball, muito provavelmente seria utilizado a “boa e velha” linguagem C (preferivelmente algo como o MISRA C).

Mas, como já contamos aqui, o resto é história: Bob Mansfield assumiu o projeto, várias pessoas foram demitidas e a empresa passou a focar em um sistema de carros autônomos.

Atualmente, já vimos um Lexus RX450h sendo testado pela empresa, percorrendo as ruas da Califórnia — e provavelmente veremos agora esse tal PAIL (certamente não faltarão notícias e imagens quando ele aparecer em público).

via The Verge

Atualização 24/08/2017 às 16:30

De acordo com o Business Insider, depois da grande debandada de empregados da equipe responsável pelo sistema de carro autônomo, a Apple está contratando novamente — e com uma nova intenção.

A mira da Maçã, agora, estaria em pessoas que tenham experiência em softwares de veículos autônomos — como tantas outras empresas já estão no ramo faz muito tempo, certamente há um terreno bem fértil de bons profissionais.

Além disso, uma fonte contou ao BI que a Apple estaria almejando, com seu sistema de carros autônomos, o mercado de compartilhamento de caronas. Entretanto, a Maçã não tem planos de se tornar um Uber, um Lyft ou algo assim; na verdade, ela deve se aproximar ainda mais da Didi Chuxing, empresa chinesa na qual investiu cerca de US$1 bilhão. Assim, certamente ela obterá cada vez mais informações e experiência para, somente depois, tentar adentrar de vez o mercado.

via AppleInsider

Posts relacionados

Comentários