Safari irá converter links AMP de volta ao conteúdo original automaticamente em compartilhamentos no iOS 11

Você pode até nunca ter ouvido falar do Google AMP (Accelerated Mobile Pages), mas certamente já se deparou com ele em algum canto da internet.

Publicidade

Trata-se de um projeto da gigante de Mountain View que captura o conteúdo de páginas da internet (geralmente, posts de blogs e outros conteúdos textuais) e o apresenta num formato simplificado, pensado especificamente para a experiência móvel e — o mais importante — instantâneo. O Facebook tem uma solução parecida com os seus Instant Articles, mas somente dentro do seu próprio aplicativo.

Página otimizada do Google AMP num iPhone

Entre o público, o projeto AMP desperta reações, apaixonadas ou não, em todos os campos do espectro: há quem o ame, há quem o odeie, há quem nem registre a sua existência. Uma coisa inegável sobre ele, entretanto, é que o simples ato de compartilhar conteúdo fica mais complicado quando se trata de uma página otimizada. O Google, afinal, gera uma URL própria — e nem todos têm a sagacidade de clicar no pequeno ícone de corrente no topo da página para obter o link original da página antes de a espalhar entre os amigos.

Publicidade

Bom, no iOS 11 isto não mais será um problema. Como descoberto por Federico Viticci, do blog MacStories, a mais recente beta do sistema tem a capacidade de detectar automaticamente a URL de uma página otimizada pelo Google AMP e convertê-la ao seu link original, sem que o usuário precise fazer absolutamente nada para isso, ao salvá-la na Lista de Leitura ou compartilhá-la em em apps nativos como o iMessage. Inteligente, não?

Muito legal: ao compartilhar páginas AMP no iMessage ou na Lista de Leitura, o Safari do iOS 11 automaticamente remove a porcaria da AMP da URL. Boa, Apple 👍

À primeira vista, esta atitude da Apple poderia ser interpretado como uma afronta ao Google e/ou uma forma de beneficiar sua própria plataforma de publicação, o Apple News — que guarda suas semelhanças com o AMP, especialmente na parte da reformatação de conteúdo, embora tenha uma implementação totalmente diferente. No entanto, não é o caso — na verdade, foi a própria equipe de desenvolvimento do projeto AMP que sugeriu o recurso e espera que ele seja implementado por outros navegadores e sistemas.

Publicidade

Eis é a declaração de um dos engenheiros da equipe ao Hacker News:

Só quero esclarecer que nós pedimos especificamente que a Apple (e outros desenvolvedores de browsers) fizesse isso. A política do AMP diz que as plataformas devem compartilhar a URL canônica de um artigo sempre que tecnicamente possível. Essa mudança do navegador faz com que isso seja tecnicamente possível no Safari. Nós mal podemos esperar até que outros desenvolvedores a implementem.

Ainda não está claro que tecnologia a Apple utiliza para detectar um link AMP e convertê-lo automaticamente à URL original do conteúdo, ainda mais considerando que as páginas otimizadas não são todas iguais. Por exemplo, um site pode ter o link AMP no estilo site1.com/amp/conteudo, enquanto outro pode apresentar uma URL de tipo amp.site2.com/conteudo. Ainda assim, temos aqui um bom exemplo de trabalho em equipe interempresarial para facilitar a vida dos usuários.

O próximo passo, penso eu, seria o Safari oferecer uma opção de carregar a página original no próprio ato de tocar num link AMP — afinal, dentro de toda essa discussão se é saudável que o Google fique responsável por toda a publicação, exibição e controle do conteúdo de terceiros, muita gente ainda prefere visualizar o conteúdo em questão exatamente como ele foi pensado, na sua página original. Esta é uma atitude, entretanto, que já causaria uma boa insatisfação lá pelos lados de Mountain View, portanto não acredito que a veremos no futuro próximo.

via AppleInsider

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…