Apple estaria considerando lançar um iPhone com suporte ao Apple Pencil em 2019

Qual seria a probabilidade de revolta — ou, no mínimo, de virar motivo de chacota — se a Apple adotasse uma stylus para o iPhone?

Pois é, amigos, parece que é exatamente isso que a gigante de Cupertino anda ponderando, de acordo com o The Investor.

Assim que o Apple Pencil foi anunciado, em setembro de 2015, as pessoas nem respiraram e já estavam ressuscitando aquele velho vídeo de Steve Jobs apresentando o primeiro iPhone, falando “quem quer uma stylus?” como argumento de que era uma grande contradição a Maçã trazer algo do tipo, mesmo que fosse apenas para seus iPads Pro.

É claro, o próprio CEO da Apple, Tim Cook, fez questão de explicar — mesmo que não tenha convencido algumas pessoas — que o Pencil teria funções diferentes e era um lápis, não uma caneta. As diferenças seriam basicamente entre você *necessitar* de usar uma stylus para fazer qualquer coisa em seu smartphone ou utilizá-la apenas para ter um bom traço em trabalhos artístico ou para uma melhor caligrafia, sendo usado apenas em um dispositivo focado em uso profissional (no caso, o iPad Pro).

Ainda tentando se explicar, porém, Cook deu uma bela escorregada ao falar do “quanto se poderia fazer com o Apple Pencil em iPads e iPhones“, o que fez surgir algumas questões relacionadas ao uso do acessório nos celulares da empresa. Depois disso — e certamente tentando encontrar algo do tipo — duas patentes relacionadas ao uso do Pencil no iPhone encontradas causaram ainda mais rebuliço.

Agora, fontes sugerem que uma nova versão do Pencil funcionaria como uma “caneta digital” para um futuro iPhone — com um chip da série A “drasticamente atualizado” para suportar o acessório. Esse novo smartphone, com a canetinha atualizada, chegaria em 2019:

A Apple está se preparando para lançar o telefone já em 2019. Ela também está em negociações com alguns fabricantes de stylus para uma parceria.

Além do mais, as fontes afirmaram que a stylus do iPhone (dói ler isso?) provavelmente seria do tipo “supercapacitor” para aproveitar os menores preços. Em comparação, a S-Pen, utilizada pela Samsung em seus dispositivos da linha Galaxy Note, tem tecnologia de ressonância eletromagnética, que precisa de componentes adicionais abaixo da tela para funcionar.

Enquanto ninguém cria um DeLorean viajante do tempo para irmos até 2019 e termos certeza se isso tornar-se-á verdade ou não, continuemos expondo (respeitosamente) nossas opiniões — e você pode utilizar a seção de comentários abaixo para fazê-lo! 😜

via MacRumors

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários