Pesquisa indica crescimento significativo nos downloads e na receita de aplicativos, nos últimos meses

Creio não ser novidade para ninguém que o advento das lojas de aplicativos — capitaneado pela Apple com o lançamento da sua App Store, em 2008 — criou um segmento de mercado completamente novo, extremamente competitivo e cheio de oportunidades. Pequenos desenvolvedores de dez anos atrás tornaram-se criadores de alguns dos maiores nomes do mundo da tecnologia; vide os casos do Instagram (comprado por uma nota pelo Facebook), do WhatsApp (comprado por uma nota pelo Facebook) e do Snap (comprado por uma nota… digo, copiado descaradamente pelo Facebook).

Agora, de acordo com um relatório da App Annie, as coisas estão longe de desacelerar. Muito pelo contrário: o salto dos downloads de aplicativos e da receita gerada por eles deu, ao longo dos últimos meses, um pulo sem precedentes no segmento.

De acordo com a empresa, os downloads de aplicativos no terceiro trimestre de 2017 chegaram ao impressionante número de 26 bilhões ao redor do mundo; comparando com o mesmo período do ano passado, trata-se de um salto de 8% — e tudo isso leva em conta apenas os downloads de aplicativos novos, ou seja, atualizações não entram, e nem casos em que o usuário está baixando novamente um app que já tinha antes.

O gráfico abaixo mostra esse crescimento, mas é importante também para notarmos o quanto o Google Play tornou-se a loja dominante no mundo dos apps (em termos brutos de downloads, isso é):

Desempenho das lojas de aplicativos nos terceiros trimestres de 2016 e 2017 (App Annie)

O maior crescimento, entretanto, tem a ver com a receita gerada por esses aplicativos. No terceiro trimestre deste ano, o dinheiro obtido por todos eles combinados, em ambas a plataformas, chegou a impressionantes US$17 bilhões — uma subida de apetitosos 28% na comparação ano a ano.

É interessante notar que, nesse quesito, a Apple ainda faz o Google comer poeira; aparentemente, os usuários de iPhones e iPads estão muito mais dispostos a gastar dinheiro com (e dentro dos) apps que o pessoal adepto do robozinho. Vejam só:

Desempenho das lojas de aplicativos nos terceiros trimestres de 2016 e 2017 (App Annie)

O salto de ambos os fatores — downloads e receita — tem uma explicação muito simples: a penetração dos smartphones modernos em mercados emergentes, como a Índia, a China e a América do Sul, tem encontrado tração nos últimos tempos; em outras palavras, um universo totalmente novo de usuários está descobrindo o poder das lojas de aplicativos e dedicando mais tempo, dinheiro e cliques a esses produtos.

Em outras palavras: se você desenvolve aplicativos, é uma boa hora de despender esforços para ficar na crista da onda e surfar pelo boom que está acontecendo nas duas principais lojas digitais do mundo. Se você não desenvolve… bom, que tal começar agora? 😛

via TechCrunch

Posts relacionados

Comentários