Taxa de adoção do iPhone X supera a do iPhone 8 nos primeiros três dias de vendas (e não choca ninguém)

Após o início relativamente morno das vendas dos iPhones 8 e 8 Plus, os olhos do mundo tecnológico voltaram-se ao iPhone X: será que a nova menina dos olhos da Maçã teria condições de obter do público o interesse que sempre caracterizou o lançamento de um novo smartphone da Apple? Afinal, se por um lado o novo dispositivo é o que traz de fato novidades, por outro o preço da sua etiqueta poderia afugentar muitos potenciais consumidores.

Bom, pelas filas que vimos ao redor do mundo com o lançamento do novo smartphone já tínhamos uma ideia do resultado disso tudo e, agora, números da firma Localytics vêm confirmar o que já esperávamos: sim, o iPhone X teve uma taxa de adoção razoavelmente mais alta que a dos seus irmãos mais “baratos”.

Fatia de mercado dos iPhones após seus primeiros três dias de vendas (Localytics)

Nos três primeiros dias de venda, os iPhones 8 e 8 Plus ganharam, juntos, uma fatia de 0,7% de toda a base instalada de iPhones (0,3% para o iPhone 8 e 0,4% para o iPhone 8 Plus). Já o iPhone X conquistou, no mesmo período, 0,93% desse universo.

Apesar de ser um pequeno salto, é bom notar que edições anteriores do dispositivo conseguiram números muito mais impressionantes. No ano passado, os iPhones 7 e 7 Plus conquistaram, no mesmo período, 1,2% da base de smartphones da Apple. Este número foi de 1,3% em 2016, com os iPhones 6s e 6s Plus, e de 2,3% em 2015, com os iPhones 6 e 6 Plus.

Proporção de cada iPhone entre os ativos no mundo em 2017 (Localytics)

De qualquer forma, é bom notar que esse não é um índice fixo: a cada ano, torna-se uma tarefa mais difícil conquistar uma taxa de adoção “maior” pelo simples motivo de que, a cada ano, mais e mais iPhones existem no mercado e, portanto, para se conquistar a mesma fatia é necessário que se venda uma quantidade muito maior de unidades.

Portanto, no geral, pode-se dizer que o iPhone X vai muito bem, obrigado — até por outras vias, como esta declaração do presidente da AT&T à CNBC de que o modelo é “a versão mais aguardada do iPhone” na história. Se a sua marca será deixada no mundo dos smartphones, entretanto, essa é uma questão que só o tempo responderá.

via AppleInsider

Posts relacionados

Comentários