Kitesurfista perdido em zona de tubarões consegue se salvar graças a uma mãozinha do Apple Watch com LTE

Essa é mais uma daquelas histórias que a Apple, embora não divulgue oficialmente, adora que saiam em todos os veículos possíveis porque mostra a face mais, digamos, vitalmente importante dos seus produtos — e no caso, o “vitalmente” não foi empregado de forma leviana. Digo isso porque um kitesurfista americano recentemente esteve numa situação potencial de vida ou morte e seu salvamento teve um dedo pra lá de crucial do Apple Watch Series 3 com conectividade celular.

Quem informou foi o Daily Mail: John Zilles, cineasta californiano de 49 anos entusiasta do kitesurf, estava no meio de uma prática da sua atividade favorita quando errou uma manobra, desconectou-se da prancha e foi parar a cerca de 3,6km da costa de uma praia na cidade de Ventura, numa área conhecida por ser zona de circulação de tubarões. Soa deveras assustador, não?

Constatando que não havia mais corrente de ar que carregasse sua pipa e o nado de volta à praia, com todo o equipamento preso ao seu corpo, levaria cerca de duas horas — ou seja, tempo mais que o necessário para que os tubarões nas redondezas ficassem com fome e avistassem aquele apetitoso pedaço de carne —, Zilles acabou se vendo sem muitas opções. Até que lembrou-se da salvação que morava no seu pulso: ele tinha adquirido recentemente um Apple Watch Series 3 (GPS + Cellular), que pode, como bem se sabe, realizar ligações sem um iPhone por perto.

John Zilles, kitesurfista salvo por um Apple Watch

O kitesurfista, então, ligou primeiramente para seus filhos, para avisar que chegaria atrasado. Após cerca de meia-hora tentando nadar de volta à costa, sem sucesso (as correntes não estavam ajudando), Zilles determinou que sua melhor opção seria ligar para a Guarda Costeira, solicitando resgate. E assim foi: guiando os agentes para a sua localização, o homem foi resgatado são e salvo (e inteiro).

Em entrevista ao Daily Mail, Zilles afirmou que não confiava em cases à prova d’água e, por isso, nunca tinha levado seu iPhone nas práticas de kitesurf. Quando ele conheceu o Apple Watch, entretanto, viu o valor que o acessório poderia ter no seu pulso — valor, creio eu, mais que confirmado com a experiência assustadora pela qual ele passou. O cineasta ainda enviou uma carta para Tim Cook relatando o ocorrido e o CEO respondeu, no seu característico tom sucinto: “Uau. Fico feliz em saber que você está bem.”

A prática do kitesurf, vocês devem saber, é muito popular também no litoral brasileiro. Entretanto, considerando que o Apple Watch com celular não é (e talvez nunca será) vendido por aqui, é salutar que se realize as manobras com muito mais cuidado do que Zilles. Afinal, nunca se sabe quando tubarões podem estar por perto.

via 9to5Mac

Posts relacionados

Comentários