Reviva sua infância gamer no beat ‘em up nostalgicamente brasileiro “99Vidas — O Jogo”

Para os mais jovens que tem, a um clique, todos os possíveis games do mundo, a ideia de ter que se deslocar de casa até um lugar específico somente para ter acesso aos jogos parece no mínimo insana.

Entretanto, houve um tempo, meus caros, que toda a jogatina e socialização era feita nas incríveis locadoras de games: pôsteres incríveis dos jogos mais populares, arcades com rankings que mostravam quem era o mais viciado de todos, e banquinhos para se aconchegar, esperar a sua vez e acompanhar o amigo em sua saga para zerar o mais novo jogo para Super Nintendo (ou os tantos outros consoles que habitavam naquele lugar mágico na época).

Assim como no meu caso, talvez o Zezinho da locadora que marcou sua infância até exista ainda, mas o tempo escasso e/ou a distância sejam fatores que não favoreçam sua passada por lá hoje em dia. Seja por esses porquês ou simplesmente por sua locadora preferida ter desaparecido e dado lugar a, por exemplo, um depressivo escritório de contabilidade, você certamente encontra nos games retrôs um lugar confortável para visitar o passado.

Já pensou, então, em poder reviver a sua infância, com seus amigos, suas piadas, sua cidade e todas as referências mais “brasileirísticas” em um jogo? Pois isso é agora possível graças ao divertido 99Vidas — O Jogo.

99Vidas — O Jogo

Jurandir Filho, Izzy Nobre, Bruno Carvalho e Evandro de Freitas, os integrantes de um dos podcast de games mais famosos e “nostalgistas” deste Brasil, se juntaram à desenvolvedora de jogos QUByte para criar esse game realmente incrível cujos personagens são — adivinhem? — eles mesmos!

Trazendo à tona toda a nostalgia da infância, piadas internas (ou públicas, graças ao podcast) e várias referências a games em geral, o jogo do 99Vidas é um beat ‘em up (estilo briga de rua) feito em pixel art e com um design que remete diretamente à era dos 16 bits, bem aos moldes dos clássicos Streets of Rage, Final Fight, Double Dragon, Cadillacs and Dinosaurs e tantos outros.

Assim como em nossos grupos de amigos somos cada um diferente do outro, assim são os personagens principais do jogo: cada um tem seu estilo, que condiz com sua personalidade, um elemento (fogo, água, raio e terra), que conversa com as habilidades, seja em força ou velocidade e também dois ataques especiais.

Apesar de ter um estilo de jogo simples, conforme você ganha pontos de experiência pode usá-los como “dinheiro” para comprar mais vidas e também aprimorar os combos, que vão até o nível 3.

No jogo, há seis fases no modo História (mais duas bônus, com um visual que você não vai acreditar) e, em cada uma, um chefão com significado todo especial para quem é fã de games e, especialmente, do podcast. Há também o modo Sobreviva e o Versus, para quem quiser desafiar os amigos para uma batalha local saudável. Em todos os modos, é possível jogar com até quatro pessoas em co-op local ou online.

No total, são 11 personagens jogáveis, que só aparecem como no bom e velho game retrô (nada de DLCs, né, amigos?): por “destravamento”, ou seja, é preciso zerar com outros personagens para que os demais sejam habilitados. Isso tudo contribui para que, mesmo sendo um game pequeno, seja tão prezeroso voltar a ele e zerar tudo novamente ou se divertir com os amigos.

E se você pensa que ele é fácil por ser simples, peço que vá se acostumando a ver muito “Game Over” nos três níveis de dificuldades, principalmente quando enfrentar os bosses, cujas maneiras diferentes de derrotar cada um me lembrou muito as penosas batalhas em Mega Man. Mas para aliviar um pouco e não deixar que você largue o controle, também há nele conquistas engraçadinhas.

Mesmo que eu tenha curtido todos os personagens do fundo do meu coração, o Izzy foi talvez o que mais gostei pelo fato de seu elemento “raio” ser condizente com as tecnologias que ele tanto ama e, bem, nós aqui também, certo? 😜

E a trilha sonora… ah, a trilha sonora! Conseguiram transformar baião e funk em musiquinhas nostálgicas de videogame dos anos 1980/90 — tem como não amar? E as falas carregadas com sotaques e os cenários tipicamente brasileiros? O jogo é mesmo para confortar os corações dos habitantes deste país tropical abençoado por Deus. Mas não fica só nisso: até com o idioma em inglês, há referências espalhadas pelo game.

Por fim, é bom lembrar que, mesmo que você não conheça o podcast ou os personagens, vai certamente se divertir da mesma maneira pois o jogo é muito, muito bem feito em todos os detalhes, seja no visual retrô, na jogabilidade, na “historinha de Sessão da Tarde”, na “brasilidade” e em tudo mais.

Se você é de consoles, pode escolher: o jogo do 99Vidas está no Xbox LIVE (Xbox One) e na PSN (PS3, PS4 e Vita). Felizmente, ele logo também chegará ao Nintendo Switch, ao Android e, é claro, ao iOS.

Já se você é de PC ou Mac, também pode aproveitar somente o game na Steam por R$30 ou o game junto da ótima trilha sonora por R$38.

Todavia, se você está lendo isso em época de Black Friday, pode ser que consiga adquirir o jogo por R$7,50 na Steam ou por R$7,00 na Nuuvem com o cupom BLACKSEMFRAUDE. Corre lá que o game tá divertido demais! ☺️

Posts relacionados

Comentários