Procurando uma alternativa para alugar carro nos EUA? Conheça o Turo, o “Airbnb dos carros”!

Algumas perguntas são muito frequentes, quando eu vou para os Estados Unidos. Destaco estas três:

  • “Aceita encomendas?” Principalmente para pedir iPhones, é claro. 😝
  • “Tem dica de hotel ou lugar para ficar?”
  • “Onde eu acho carro barato?”

A primeira, eu nem vou comentar muito. Com a cota alfandegária estacionada há anos em US$500, obviamente a resposta é “não”. Já falamos em algumas matérias aqui no MacMagazine que, no Brasil, só é permitido trazer um único telefone para uso pessoal, mas também já falamos de alguns serviços que lhe ajudam a adquirir seu produto vindo de fora.

Para acomodações, não vou entrar em detalhes neste artigo — o foco agora é exatamente a outra dica —, mas eu basicamente procuro sempre em três lugares: Airbnb, Priceline.com e Booking.com.

A última pergunta — e não menos importante — é o motivo deste post!

A verdade é que, dependendo do lugar dos EUA aonde você vá, nem é necessário um carro. Cidades como Nova York têm uma malha de metrô bem completa, além de serviços de ônibus que funcionam muito bem. Em San Francisco, por exemplo, se a sua ideia é ficar somente pela região central (o que é difícil em uma cidade com tantas coisas para explorar), às vezes compensa mais pedir Uber, pois estacionamentos são muito caros. Contudo, acreditando que você já fez uma avaliação dos fatores para não pegar um carro e chegou à conclusão de que precisa de um, vamos à parte que interessa.

Esses dias peguei uma dica muito legal com o Breno Masi e a testei numa recente viagem para San Francisco. Até então, eu sempre alugava carros diretamente pelo site de alguma locadora ou pelo Priceline.com. Mas isso agora mudou. O serviço se chama Turo e é como se fosse um “Airbnb de carros”, em que proprietários comuns de veículos (pessoas físicas) podem alugar os seus próprios automóveis.


Ícone do app Turo - Better Than Car Rental

Turo - Better Than Car Rental

de Turo Inc.

Compatível com iPhonesCompatível com Apple WatchesCompatível com Apple TV
Versão 19.60.1 (224.5 MB)
Requer o iOS 11.0 ou superior

Grátis

Badge - Baixar na App Store

Código QR Código QR

Screenshot do app Turo - Better Than Car RentalScreenshot do app Turo - Better Than Car RentalScreenshot do app Turo - Better Than Car RentalScreenshot do app Turo - Better Than Car RentalScreenshot do app Turo - Better Than Car RentalScreenshot do app Turo - Better Than Car RentalScreenshot do app Turo - Better Than Car Rental

Eu fiz tudo pelo aplicativo e achei a experiência bastante prática — levando em consideração a minha experiencia em locadoras e as rotineiras filas até pegar um carro, assinar toda aquela papelada, a famosa burocracia e as tentativas de me venderem vários tipos de seguros diferentes, entre outras coisas.

Basicamente, enquanto eu estava no hotel (muito próximo à Union Square, em San Francisco), abri o aplicativo, conectei via Facebook e eles surgiram diversas ofertas de carros para alugar na região. Alguns muito próximos de onde eu estava — até na mesma rua! No Turo, você tem à disposição variados estilos de carros, podendo escolher de um compacto e mais barato até de luxo (Ferrari, Jaguar, Porsche…) — obviamente, pagando um precinho mais “salgado” pela experiencia.

Depois de escolher o carro, o dono tem até 8 horas para aprovar o seu pedido, mas isso costuma acontecer muito rápido. Por isso, a dica aqui é tentar escolher o carro com antecedência — você basicamente manda para o dono do carro um texto pelo app dizendo o que pretende fazer com o automóvel.

No meu caso, escolhi um carro coreano mais barato no dia anterior à minha intenção de pegá-lo efetivamente, mas em menos de 30 minutos recebi a confirmação. Na negociação deste carro, eu deveria pegá-lo num estacionamento próximo. Aí foi a parte interessante, pois não teria ninguém fisicamente para me entregar o carro: eu simplesmente deveria me aproximar dele e tirar quatro fotos (sendo uma frontal, duas laterais e uma traseira). Depois, tirar uma foto da minha habilitação e uma selfie com minha habilitação na mão. Tudo isso através do aplicativo, que lhe guia no processo todo.

Depois de fazer o upload das imagens, eu deveria avisar ao Turo que já havia enviado os documentos através da reserva, que eles então desbloqueariam o carro remotamente. Até esse momento eu estava um pouco desconfiado, então, no dia do aluguel, procurei o endereço. Era a 2km do meu hotel, então fui andando.

Entrei no estacionamento, não falei com ninguém; no app, a dica para mim é que o carro estaria no terceiro andar. Achei ele pela placa e, comparando com as imagens disponíveis no app, tirei as fotos solicitadas. Em menos de dez minutos, eles conferiram tudo e desbloquearam o carro — obviamente, havia um equipamento dentro do veículo para permitir esse desbloqueio. Depois, eu tirei uma foto do painel para comprovar a quilometragem (ou milhagem, neste caso) e o tanque de gasolina. Então fui embora para o meu passeio!

Dentro do carro já tinha um cartão pra não precisar pagar o estacionamento na saída, que também deveria ser usado para devolver o carro sem pagar.

O carro não estava limpinho como os das locadoras, mas também não estava nenhum desastre. Ele tinha um cabo (de boa marca) para recarregar iPhone e até um cabo P2 (auxiliar) para ligar no rádio.

Comparando os preços nesse dia em que eu peguei o carro — e levando em consideração que era um dia de semana, quando normalmente os aluguéis são bem mais caros, nos EUA —, eu paguei US$33 em vez de US$77 em uma locadora comum (sendo pouco menos da metade desta valor referente a impostos da locadora e da cidade, porém sem os devidos seguros, que ainda fariam o valor subir).

A desvantagem, dependendo do que você precisa fazer no dia, está no número de milhas que você pode rodar com o carro. Normalmente, em uma locadora, as milhas são ilimitadas. Nesse aluguel, o limite seria de 150 milhas, com um valor estipulado em US$0,50 por milha adicional. Mas não se assustem, pois 150 milhas dá pra rodar bastante (isso varia de carro para carro, tem que ver o que o dono está ofertando para limites de milhas — e atenção também ao valor da milha adicional, pois isso também varia).

Eu fui de San Francisco a Cupertino (cerca de uma hora dirigindo), fiz um passeio pelo escritório “antigo” da Apple — já que o novo ainda não estava oficialmente aberto para visitas —, fui até ao Google e caí na besteira de ir até o Facebook para descobrir que não tinha *nada* para fazer lá (a não ser tirar uma foto na frente da placa). Voltei para San Francisco, fiz um passeio pela Lombard Street, aproveitei que estava perto e fui na Coit Tower, andei mais um pouco pela cidade e ainda sobrou milhagem para gastar!

Chegando perto do horário de devolver o carro, o aplicativo manda um alerta para ver se você quer renovar por mais um período — e dá novamente as orientações sobre o que fazer para devolver o carro. Então, perto do horário, eu abasteci — você pega com tanque cheio e devolve igualmente cheio —, entrei no estacionamento, fotografei o painel para comprovar que enchi o tanque e para eles verem as milhas rodadas, fotografei as laterais, a frente e a traseira do carro, fiz o upload de tudo pelo app, tranquei o carro com a chave dentro e fui embora.

Simples, assim. Eu não tive que interagir com nenhuma pessoa para alugar e devolver o carro.

Nesse aluguel eu fui até o carro, mas no Turo você pode combinar com o dono para ele levar o carro até você, também. Trata-se de uma ótima opção quando você precisa do carro no aeroporto, por exemplo. Nos casos que eu pesquisei, as taxas de entrega variavam de US$10 a US$30 — e como isso convertido sai um pouco caro para nós, brasileiros, eu preferi andar 2-3km e economizar um pouquinho.

Para melhorar a minha experiência, quando eu fui convidado para o aplicativo, ganhei um cupom de desconto de US$25, então aproveitei tudo isso por apenas US$8. Vou, então, retribuir o favor e compartilhar com vocês também um código para testarem o sistema: https://turo.com/c/michelc77 😝

Na rápida pesquisa que eu fiz aqui, encontrei carros legais em Miami, Orlando, Nova York, San Francisco, entre outros lugares que são destinos de muitos turistas. Lembrando que, dentre os locais, estão incluídos também os aeroportos. A dica é olhar bem as regras de quem está ofertando o carro, mais ou menos como fazemos em hospedagens do Airbnb.

Ah, uma última coisa: os aluguéis já são cobertos por seguros! No meu caso, tudo era coberto pela Liberty — essa informação vem também na explicação do aluguel do carro.

Será que isso funcionaria no Brasil? Melhor dizendo: será que vão arriscar tentar isso no Brasil? Comentem abaixo! Aproveitando a deixa, muitos desses lugares que visitei você pode conhecer com muito mais detalhes e conforto se juntando ao grupo do MM Tour — as vagas para 2018 já estão praticamente fechadas, mas 2019 está logo aí… 😬

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários