Primeiros benchmarks e análises do iMac Pro concordam: esta máquina é realmente uma besta do processamento

Sem muito alarde, a Apple atualizou hoje alguns dos seus sites ao redor do mundo informando que sua mais nova máquina, o iMac Pro, estará disponível para todos os consumidores desses países (que tenham no mínimo US$5 mil no bolso, isto é) a partir desta quinta-feira, dia 14.

Como não poderia deixar de ser, junto ao anúncio, a empresa mandou algumas unidades do computador para que testadores, blogueiros e YouTubers selecionados pudessem dar suas primeiras impressões sobre ele. O veredito? É, meus amigos e minhas amigas, o iMac Pro é realmente uma criação formidável em termos de processamento.

Se o intuito for comparar números, podemos ter uma ideia no vídeo de primeiras impressões do YouTuber Marques “MKBHD” Brownlee, que — como todos os outros testadores — recebeu a versão intermediária do iMac Pro, com processador Intel Xeon de 10 núcleos e 3GHz de frequência (com Turbo Boost de até 4,5GHz). Brownlee rodou a ferramenta Geekbench no computador e obteve uma pontuação multi-núcleos de 37.434.

Benchmarks do iMac Pro

Se isso não lhe diz muita coisa, basta dizer que o número é 45% maior que o modelo topo-de-linha do Mac Pro (que, sim, tem quatro anos de idade mas ainda é uma supermáquina) e 93% maior que o do iMac 5K topo-de-linha. Sim, este é o Mac mais poderoso de todos os tempos — e olha que nem estamos falando da sua versão mais cara!

Números, entretanto, não são o que fazem um computador ser rápido — portanto, talvez seja melhor ouvirmos (ou… lermos) as experiências da vida real desses testadores, não é verdade? Pois as impressões batem: em um texto no seu blog, o diretor e fotógrafo Vincent Laforet afirmou que todas as suas tarefas usuais (edição de vídeos 8K, capturas em 4K de drones, conteúdo de realidade virtual 3D em 6K ou fotos RAW de 50 megapixels, por exemplo) eram completadas cerca de duas ou três vezes mais rapidamente no iMac Pro em comparação às suas atuais máquinas de trabalho (um iMac 5K e um MacBook Pro de última geração). Segundo ele, o salto normal de rapidez entre duas gerações de um mesmo computador fica em torno dos 20% ou 30%; aqui, entretanto, vemos um salto de absurdos 200% a 300%.

Quem também fez um teste interessante foi o desenvolvedor Craig A. Hunter. Ele rodou um estudo de fluidodinâmica computacional1 em uma série de computadores e o iMac Pro intermediário, como era de se esperar, foi o que concluiu a tarefa mais rapidamente, em apenas 128 segundos. Vejam o gráfico com todas as máquinas — e seus respectivos tempos — abaixo:

Benchmarks do iMac Pro

Mais impressões, análises e críticas do iMac Pro chegarão aos borbotões, naturalmente, quando a máquina for disponibilizada amplamente depois de amanhã. Pelo que vimos até agora, entretanto, já sabemos que ela é realmente colossal; é uma pena que só dê para usá-la estando vivo — porque certamente para comprar uma belezinha dessas no Brasil, só vendendo boa parte dos nossos órgãos vitais.

via MacRumors

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários