Investimentos da Apple em manufatura americana poderão superar o US$1 bilhão

Ainda ontem nós comentamos que a Apple investiu US$390 milhões na Finisar, empresa responsável por fabricar um componente importantíssimo da câmera TrueDepth (frontal) do iPhone X.

Esse investimento saiu do Fundo de Manufatura Avançada (Advanced Manufacturing Fund) criado pela Maçã. A Corning, famosa fabricantes de vidros utilizados em smartphones e dispositivos móveis, foi outra que também recebeu investimento da Apple (mais precisamente, US$200 milhões). No total, o fundo dispõe de US$1 bilhão para investir na manufatura e solo americano, criando mais emprego e capacitando trabalhadores.

Fazendo uma conta de padaria, a Apple teria ainda US$410 milhões para investir em parceiras. Mas a empresa deixou claro que não está presa a esse número e que, se julgar necessário, poderá investir ainda mais.

Jeff Williams
Jeff Williams (COO da Apple) em evento da empresa

Numa entrevista para a CBNC, Jeff Williams — COO1 da Apple — disse que, quando o fundo foi criado, o valor foi estipulado como um investimento inicial. Mas a verdade é que eles não estão presos no número em si, pensando em um limite para ele. Se a Apple entender que existe uma oportunidade em algum lugar dos Estados Unidos para ajudar empresas que estão criando tecnologias avançadas essenciais para a Maçã — consequentemente, criando empregos e capacitando ainda mais esses trabalhadores —, ela assim fará.

De forma resumida, a Apple poderá facilmente romper a barreira de US$1 bilhão em investimentos sem nenhum problema (até porque dinheiro não falta, lá em Cupertino).

·   •   ·

Sobre o investimento da Apple na Finisar, vale esclarecer um ponto importante. De acordo com a Reuters, não se trata de um investimento na empresa, e sim uma espécie de antecipação no pagamento para o recebimento do componente fabricado por ela (os VCSELs2).

Isso significa que, com o acordo, a Apple não só garante o fornecimento de um componente vital para o iPhone X e seus sucessores, mas também torna mais difícil para outros fabricantes de smartphones competir com ela nessa área já que, atualmente, a produção mundial desse componente é bastante limitada.

Como os componentes que a Finisar fornecem são novos e contam com uma oferta bastante limitada, o acordo também ajuda a Apple a bloquear a Samsung, a Huawei e outras concorrentes no mercado de smartphones premium, que estão trabalhando para desenvolver características semelhantes, disseram analistas.

Para Gene Munster, da Loup Ventures, o investimento permitirá que a Apple “obtenha uma melhor oferta e melhores preços, tornando mais difícil para os celulares com Android competirem”.

É claro que um investimento de US$390 milhões não acontece sem uma contrapartida. E, se pensarmos que o Face ID é agora o sistema oficial de autenticação biométrico da Maçã e que ele chegará a iPads — e, quem sabe, futuramente a Macs —, a Apple tem mais é que garantir o fornecimento do componente; do contrário, esse plano nunca acontecerá na prática.

via 9to5Mac: 1, 2

Posts relacionados

Comentários