Rumor: apps em breve poderão ser desenvolvidos para rodar tanto no iOS quanto no macOS

Produtos como iPhone, iPad e Mac são, essencialmente, parte de um mesmo ecossistema. Mas a concepção e a forma pela qual interagimos com eles é completamente diferente. Quer dizer, há, obviamente, uma semelhança entre iPhones e iPads por serem dispositivos dotados de telas sensíveis ao toque que rodam o mesmo sistema operacional; o Mac, contudo, roda um sistema bem mais parrudo/complexo e é controlado pela boa e velha dupla teclado/mouse (ou trackpad).

Para desenvolvedores, isso significa criar dois aplicativos diferentes: um para o iOS (sistema operacional dos dispositivos móveis) e um para o macOS (sistema dos Macs). E isso, é claro, dá trabalho, ainda mais para pequenos desenvolvedores. Até mesmo em empresas de maior porte podermos sentir o reflexo disso, como por exemplo no Twitter: enquanto o app para iOS é regularmente atualizado para ficar em dia com as novidades da rede, o app para macOS está “abandonado”, ganhando uma atualização aqui e outra ali. Isso para ilustrar apenas um exemplo, já que existem muitos outros.

A ideia da Apple, segundo informou a Bloomberg, é acabar com isso de uma vez por todas. Como? Permitindo que desenvolvedores criem um único app capaz de rodar em ambos os sistemas (iOS e macOS).

App Store do iOS 11
App Store do iOS 11

E a Maçã aparentemente quer colocar esse plano em prática já em 2018. O projeto secreto, de codinome “Marzipan”, seria um dos pilares do futuro dos sistemas operacionais da empresa e, caso seja possível o lançamento disso até o fim do ano, a probabilidade de vermos o anúncio do projeto na Worldwide Developers Conference (WWDC) 2018 é grande.

Esse plano da Apple, ainda segundo o veículo, seria parte de algo maior e de longo prazo que tornaria os fundamentos do hardware e do software da Apple mais parecidos — a chegada do chip T1 ao MacBook Pro e do T2 ao iMac Pro podem ser um bom indicativo disso, já que, no futuro, Macs poderão mesmo vir equipados com chips projetados pela Apple, tornando a ideia de um único sistema operacional para todos os dispositivos — algo que a Microsoft já faz com seus desktops, laptops e tablets Surface, diga-se — algo mais “fácil” de ser executada.

Sim, é claro que Tim Cook e companhia já afirmaram aos quatro cantos que uma “fusão” entre iOS e macOS *não* faz parte dos planos da empresa, que isso seria ruim para a experiência do usuário, etc. Mas, não custa lembrar que, no mundo da tecnologia, as coisas mudam numa velocidade incrível. Já vimos exemplos dentro da própria Apple de que o impossível se tornou possível, como o lançamento do iPod video (algo que Steve Jobs disse que nunca faria), do iPad mini (Jobs desdenhava das telas pequenas de tablets), do iPhone Plus (a Apple sempre se posicionou contra telas enormes em smartphones1), etc.

Voltando ao plano de um app rodando em todos os sistemas, restam muitas dúvidas sobre isso: se as lojas App Store e Mac App Store seriam mescladas, como seriam as diretrizes de design desses aplicativos (já que estamos falando de dispositivos com características tão diferentes), entre muitas outras perguntas que possivelmente serão respondidas aos poucos agora que a história vazou.

Posts relacionados

Comentários