Por que o Face ID não aparenta ser tão seguro quanto o Touch ID

Antes de a Apple anunciar oficialmente o iPhone X, poucos apostavam que ela abandonaria, da noite pro dia, o Touch ID em prol de um sistema biométrico totalmente novo. Eis que veio o Face ID, e ele chegou com tudo.

Quem leu o meu review completo do iPhone X sabe o quanto eu estou apaixonado pelo Face ID e o porquê de eu achar que a aposta da Apple foi acertada, com louvor. Ele está longe de ser perfeito, mas em termos de praticidade é muito superior ao Touch ID.


Leia mais:


Mas falemos um pouco de segurança. Na keynote de lançamento do iPhone X, a Apple afirmou que a taxa de falsos-positivos do Face ID seria de 1 em 1.000.000, enquanto a do Touch ID era de “apenas” 1 em 50.000. Na prática, portanto, estamos falando de um sistema biométrico 20 vezes mais seguro — e já vimos que, para enganá-lo propositalmente, não é nada fácil.

Face ID distingue máscaras de pessoas reais

Antes de prosseguirmos, vale lembrar que “taxa de falsos-positivos” refere-se à probabilidade de o sistema liberar acesso a alguém que não é o dono real do aparelho, e não ao número de vezes que o sistema pode falhar na identificação e, eventualmente, requerer que você digite a sua senha (alfa)numérica. Neste quesito, ao menos em minha experiência, o Face ID é até mais que 20x melhor que o Touch ID.

Pois bem. Ao mesmo tempo em que falou da incrível taxa de 1:1.000.000, a Apple também comentou en passant que ela seria “menor” em casos de gêmeos ou parentes muito semelhantes. Só não disse quão menor e, pelo que vimos em alguns testes por aí, eu apostaria que ela cai inclusive para uma proporção abaixo da do Touch ID. O problema é que isso simplesmente não é “calculável” e, portanto, temos apenas que confiar no que a Apple afirma.

O Mashable fez testes com gêmeos e o Face ID não conseguiu distingui-los:

Já neste teste do Business Insider, ele foi bem:

Esses irmãos têm anos de diferença de idade e, mesmo assim, o Face ID autentica ambos:

Há, ainda, esse caso clássico do filho que é a cara da mãe:

O grande problema, aqui, é que o tiro meio que saiu pela culatra. A Apple sabe bem que toda e qualquer promessa feita por ela é extensivamente testada e desafiada, e com o Face ID não seria diferente — ainda mais com ela prometendo o sistema biométrico mais seguro do planeta já colocado num smartphone.

É muito fácil identificarmos similaridades faciais, simplesmente olhando para as pessoas. Desta forma, e considerando quão simples é apontar o iPhone X para o rosto de alguém, fica absurdamente simples tentar encontrar justamente esses casos de falsos-positivos. Grosso modo, considerando a população mundial de 7,6 bilhões de pessoas e a taxa anunciada pela Apple, haveria então ~7.600 chances de o Face ID ser enganado por aí. Quantos casos surgiram na mídia, até hoje?…

Craig Federighi demonstrando o Face ID

Agora olhe à sua volta. Quem, entre seus parentes e amigos, têm impressões digitais similares à sua? Simplesmente não dá para sabermos. Você até pode ficar pedindo para alguns pegarem seus dedos e testarem a precisão do Touch ID, mas seria como fazer a mesma coisa com o Face ID usando pessoas aleatórias, nada parecidas. É exatamente aí que a Apple se “encrencou”, e por que vimos terem pipocado esses exemplos do Face ID falhando em termos de segurança.

Além disso, os próprios usuários contribuem para aumentar essa taxa de falsos-positivos. Em alguns dos exemplos que incorporamos acima, os irmãos/parentes depois afirmaram que, inicialmente, o Face ID não lhes autenticou — ou seja, funcionou como deveria. Porém, se você tentar isso algumas vezes e imediatamente digitar a sua senha, você “ensina” para o Face ID que essas diferenças sutis identificadas por ele devem ser ignoradas. Desta forma, ele se adapta e passa a autenticar a outra pessoa também.

Na época em que as chaves de carros não eram codificadas, isso podia ser igualmente um problema. Não havia uma chave única para cada carro, mas ninguém sabia quando ela serviria num carro qualquer.

É basicamente a mesma coisa com o Touch ID; fazendo de novo a tal conta de padeiro, no mundo haveria portanto ~152.000 chances de isso acontecer. A pessoa que senta ao seu lado no trabalho, que é totalmente diferente de você, pode ter uma impressão digital semelhante a ponto de enganar o Touch ID. Mas quem é que vai perder tempo com isso, não é mesmo?

O fato é que, sim, o Face ID é burlável entre pessoas muito parecidas. Mas, a menos que você conviva com alguém assim (pai/mãe, irmão, gêmeo…) e realmente não confie nessa pessoa pegar e usar o seu iPhone X, eu não acho sinceramente que isso seja um motivo de preocupação para ninguém. Nos raros casos em que for, a pessoa tem a opção de desativar o Face ID e só usar a senha ou, alternativamente, optar por um modelo de iPhone com Touch ID — ao menos até a Apple evoluir o Face ID a um ponto tal que essa taxa de falsos-positivos fique ainda menor.

Posts relacionados

Comentários

101 comments

  1. Me incomoda no Face ID o fato de ele desbloquear o iPhone sem você pedir. Por exemplo alguém pega seu iPhone e começa a mexer estando ao seu lado ele já desbloqueia, a não ser que vc vire o rosto. Outra coisa nada prática é ter que apertar o botão lateral duas vezes pra baixar um App. Pra que isso? Ainda mais com capa é muito irritante.

  2. “eu não acho sinceramente que isso seja um motivo de preocupação para ninguém”

    Discordo. Um sistema de segurança não deve partir do pressuposto que falhar para uma ou outra pessoa não é problema.

  3. Estou extremamente satisfeito com o face ID. Acho que é um baita recurso e que a Apple irá ainda aperfeiçoar tanto, que chegará ao ponto de acabarem com essas besteiras de tentar burlar. Aposto de olhos fechados em tudo que a maçã lança, mesmo que não seja exatamente o que vc esperava, você terá a certeza de que ela trabalhará incasavelmente para aperfeiçoar.

  4. O debate em torno do Face ID é muito interessante e este texto foi mais um ótimo exemplo.

    Eu vejo esses recursos digitais de proteção pessoal como um trade-off entre segurança e conveniência. O Touch ID foi muito bem testado em campo ao longo de anos no que diz respeito à segurança, mas a julgar pelos relatos de quem reclamava do sistema pelas falhas, não se tornaria totalmente conveniente para todos. O Face ID hoje é o oposto: não há como não considerar conveniente um sistema que pode desbloquear um aparelho com um olhar na tela, mas ele não está provado o suficiente para garantir a segurança nas mesmas proporções do Touch ID.

    Isto ainda vai causar incômodos. Mas vale lembrar uma coisa: recursos como Touch ID e Face ID não passam de uma única camada de proteção. Eles aumentam a expectativa de segurança, mas são (e sempre serão) incapazes de garanti-la além disso; levando esse comentário para o exemplo das chaves codificadas dos carros, temos o fato de que elas não dispensam a necessidade do rastreador e do seguro contra furto.

  5. Isso de clicar duas vezes é extremamente necessário, no caso de clicar acidentalmente para efetuar um download grátis ou confirmar uma compra, se nao fossem pelos dois cliques você nao teria como recusar e a compra seria feita automaticamente sem o seu expresso consentimento, já exigindo os cliques, está sendo confirmado que você está ciente da sua decisão. Eu queria algo assim no touch ID, pois mesmo que ele exija que coloque o dedo, em poucas ocasiões já me aconteceu de eu confirmar algo que não queria pois já estava com o dedo pousado no botão

  6. “Aposto de olhos fechados em tudo o que a maçã lança”… Tipo o Macbook com USB-C que vc tem que comprar inúmeros adaptadores, o fone de ouvido com cabo lightining que vc não consegue usar nem mesmo em um macbook. Cara, ainda bem que vc tem fechado os olhos pra essas burradas da apple

  7. Se a pessoa ao seu lado pegar seu telefone e começar a mexer, ela vai precisar colocá-lo bem diante do seu rosto, além de fazer com que você olhe para a tela para então desbloquear a tela. Eu não consigo ver um cenário desses acontecendo na vida real, de verdade. E as compras com o botão direito provavelmente é uma maneira de padronizar a autenticação das compras, fazendo com que pagar com o Apple Pay e comprar conteúdo seja feito com o mesmo processo.

  8. O problema maior não é perder o iPhone para algumas pessoas, Silvio – por mais dor de cabeça que possa ser – mas terem acesso aos seus dados, justamente porque ja possuem seguro. Esse ano eu fui roubado e o cara pegou meu celular com a tela já desbloqueada. O desgraçado foi tão inteligente que não deixou a tela desbloquear, tendo assim acesso a diversos conteúdos do meu aparelho, anotações, conversas, fotos… E não acho que o Face ID ou Touch ID são camadas extras, uma vez que assim que habilitados, essa passa a ser a proteção padrão do aparelho, de forma que não há outra barreira para impedir o acesso nao autorizado caso a primeira barreira (Touch ID/Face ID) falhe.

  9. “mas em termos de praticidade é muito superior ao Touch ID” – discordo.
    Talvez a interação mais comum que eu tenha com meu iPhone seja quando ele está na mesa no trabalho e recebo uma notificação, daí tudo q eu tenho q fazer é colocar minha digital e ver a mensagem (ou o q for). Com o Face ID eu vou ter q pegar meu celular e posicionar ele em frente ao meu rosto (uma etapa a mais, nota 5/10 para usabilidade).

  10. Você tem razão. Mas quando a gente entra em dados, aí é uma outra seara. O iPhone é sim muito seguro, mas hoje em dia o Porto Seguro das nossas informações nem sempre sempre é o próprio dispositivo. Para quem depende de nuvem, se o provedor não cumpre seu papel nas questões de segurança, estamos sujeitos a exposições da mesma natureza (e em massa).

    Isso é preocupante, mas também evidência a conveniência pesando mais que a segurança na decisão dos usuários, além da necessidade de considerar outros pontos de proteção. Infelizmente o seu caso é complicado mesmo, é agravado até mesmo pelas falhas na cultura do nosso povo, e ressalta a importância de continuarmos a pensar em melhorias e (no caso da Apple com a convivência de Face ID e Touch ID) alternativas.

  11. Basta esperar sair o Face ID de 2a geração. A mudança deverá ser grande assim como foi no Touch ID de 2a geração, que é muito superior em relação ao do iPhone 5s e 6.

  12. Não é bem assim. Se o iPhone está na mesa na sua frente e outra pessoa o levanta e já o pega ele já está desbloqueado. É muito rápido. Já me aconteceu isso… não precisa estar olhando. E mesmo com a opção de exigir que você olhe pra desbloquear você acaba olhando. Aí soma ao fato das notificações ficarem expostas com o desbloqueio, é meio chato.

  13. O maior problema, na minha opinião, é que se eu não gostar ou me sentir inseguro com o face id, eu não tenho a opção de usar o touch id.
    Terei que voltar ao velho PIN como o homem das cavernas.

  14. Como em tudo na vida, as pessoas têm experiências e opiniões diferentes. Aqui no meu caso, na mesma situação que a sua, o iPhone fica num dock e eu só preciso dar uma olhadinha de relance para ele sem sequer tirar minhas mãos do teclado/mouse enquanto trabalho.

  15. Sei lá. O Touch ID (após 2a. geração) já me atende perfeitamente. Rápido e prático, é algo que para mim já estava bem resolvido. Tanto que o óbvio fator preço não foi o único motivo por eu optar por um iPhone 8. O Face ID não me atraiu, muito menos essa tela infinita que sacrificou uma barra de status, que também já estava muito bem resolvida.

  16. Pra mim o Face ID ficou menos seguro que o Touch ID no seguinte ponto:
    Por várias vezes ao dia, o Face ID não me reconhece, a depender da luz direta, ou pelo ângulo ou se estou segurando algo que tampe meu rosto, como um telefone fixo ou o travesseiro… aí eu preciso digitar a senha. De tanto precisar digitar a senha (que era um número de 6 algarismos) precisei colocar um de 4 algarismos de fácil digitação, por exemplo: 0008. Dessa forma eu teria “menos trabalho” várias vezes ao dia, quando o Face ID falhasse.

    Ou seja, tive que me adaptar ao sistema, não o contrário, como deveria.
    Espero que isso seja corrigido e/ou aperfeiçoado por software futuramente e NÃO por hardware, porque não dá pra comprar um “iPhone X” todo ano.

  17. Luciano, dica para um futuro roubo (que espero que não aconteça): pelo Buscar Meu iPhone você pode bloquear seu aparelho remotamente. Assim o tempo que a pessoa vai ter pra “roubar seus dados” será reduzido. Você só vai precisar correr pra um computador ou um iPhone de um conhecido.

  18. Cara, eu sinceramente acho que a Apple não deveria ter aberto mão do touch ID, discordo do @rfischmann:disqus quando ele diz: “…não acho sinceramente que isso seja um motivo de preocupação para ninguém.”
    É sim, é um mecanismo de segurança, não acho aceitável que seja possível burlar um mecanismo de segurança recém lançado, ainda mais porque o Touch ID funciona tão bem, entendo que são casos específicos, mas se eu fosse/for um desses casos, já descartaria seu uso.
    Mas claro, como ele mesmo falou em resposta a um dos comentários: “as pessoas têm experiências e opiniões diferentes.”
    iPhone X não me atraiu, ainda bem, porque também não tenho grana para comprá-lo, mas sinceramente, entre o iPhone X e o iPhone 8 Plus, em MINHA opinião, iPhone 8 Plus wins.
    Aguardemos os lançamentos de 2018. 😉

  19. Sinceramente um sistema que desbloqueia com parentes parecidos com você para mim é algo preocupante sim, um sistema de desbloqueio deve desbloquear apenas com você e pronto.
    Para mim está claro que o face ID ainda tem muito pra evoluir.

  20. Mas Luiz, considerando o que está no texto: “a menos que você conviva com alguém assim…”, são coisas bem específicas, como você mesmo disse. O certo, é claro, é ser 100% seguro para todos… eu não usaria esse iPhone se tivesse um irmão gêmeo. Aí preferiria o uso do Touch ID. rs

  21. Acho o exemplo exagerado. Pra começar, a pessoa que irá pegar é qual pessoa? Amigo íntimo, familiar? Se não for nenhuma delas, já seria falta de educação ir pegando algo que não é seu. Provavelmente, você já interromperia o ato, tentando pegar o celular de volta. Segundo, sendo familiar ou amigo íntimo, o que seria incômodo? É só falar para não mexer e pegar de volta.

  22. Pessoas parecidas não é o problema maior, isso é excessão, eu queria mesmo era que o sistema funcionasse direito, já que comigo a cada 10 tentarivas uma ou dias falham, fora que quando falha uma vez você tem que bloquear e desbloquear o sistema e tentar novamente.

  23. Isso é triste. Falhar = bloquear e desbloquear.
    Devia ter um botãozinho discreto pra apertar e fazer a leitura novamente, tipo “tentar novamente”, como já aparece em alguns apps…

  24. Isso mesmo, uma coisa tão simples, no app do iTaú mesmo tem isso. E quando alguém pega seu aparelho e te entrega ou pede para você desbloquear? Ai o X tentou desbloquear com o rosto da pessoa e deu erro, ai você tem que bloquear e desbloquear para validar o seu.

  25. Eu gostaria que a Apple tivesse se esforçado um pouco mais e tivesse conseguido projetar um aparelho que tivesse as 2 tecnologias de segurança: Touch ID e Face ID. Mas, como isso não aconteceu, se tivesse que optar entre um iPhone 8 e um iPhone X levando em conta somente o fator segurança, iria de iPhone 8 até que lançassem um “Face ID 2.0”

  26. O Face ID é uma sacada genial e todos vão copiar sabem por que?
    Um dos motivos é porque o número de idosos está aumentando bastante. Em 20 anos, o Brasil vai ter 4x mais idosos que hoje.
    Idoso tem a digital gasta e falha bastante na leitura, seja num consultório, num banco ou usando um celular. O Face ID vai resolver isso.

  27. E aí você fica com cara de tacho quando falam “esse é o último lançamento que vale 7 mil reais?” rs

  28. Mas tu concorda que a sua situação é exceção, não? Inclusive falaram que você leva o Dock em viagens. Na prática, isso é sim bem negativo. Não está redondo ainda. Quem sabe na próxima geração.

  29. Usam apenas o iPhone. Logo, não são a base de referência para 99% dos usuários. Tenho muito mais periféricos de outras marcas e que não tem compatibilidade.

  30. Acredito que eu não consigo comprar um iPhone X todo ano. rs
    Acredito que a Apple vai corrigir muita coisa do Face ID por hardware, na segunda versão, assim como o Touch ID ficou muitíssimo mais rápido.
    E acredito (pouco) que num iOS futuro haverá alguma coisa que possa facilitar o bom funcionamento do Face ID, ainda que não seja tão satisfatório como deveria. rs

  31. é o fanboylismo, sabe q tem problema e q é um problema serio, mas como é fanboy(quem escreveu) acha q isso é algo “normal” kkkkkkk sendo q o filho desbloqueou o celular da mae, isso é algo muito preocupante

  32. Eu já conversei com papiloscopistas (mais de um mesmo) sobre a possibilidade de existir duas impressões digitais iguais, e a resposta sempre é a mesma: não! Há em questões probabilísticas uma possibilidade virtual, só que é impassível de ser testada: deveria obter em banco de dados todas as impressões digitais de toda as pessoas do mundo — ou seja, não por amostragem, mas por medição absoluta.

    Logo, a probabilidade que a Apple apresenta é em cima da própria capacidade do seu sensor reconhecer características de uma impressão digital, e, por um acaso, uma característica específica estar igual a outra. Em tese, melhorando a capacidade do Touch ID, as chances de uma pessoa alheia desbloquear diminuiria drasticamente — a ponto, possivelmente, de ser menor que o Face ID.

    Na prática, como o Face ID já possui os “pontos fora-da-curva” conhecidos, é mais “fácil” explorar a brecha, enquanto no Touch ID a pessoa teria que ficar aleatoriamente tentando sem um norte, pois, por mais que ela consiga observar características específicas de uma impressão digital, ela teria que achar outra pessoa com tal característica. Ou seja: a sensação de que o Touch ID é mais seguro é perfeitamente compreensível, até porque, no dia-a-dia, até então, ele será!

  33. A senha é justamente contra familiares, amigos, namoradas, etc, que são os únicos que mexem no nosso celular… foi exatamente o que eu fiz, mas nesse segundo a pessoa já pode ler suas notificações do WhatsApp, por exemplo, que antigamente eu já deixava desativado na tela bloqueada. Não é nada terrível, mas é um problema. Pra que ficar discutindo o que me incomoda? Como vocês são chatos!!

  34. Sobre as falhas do Touch ID no dia a dia eu não vejo o Face ID sendo melhor pois, no meu caso, o Touch ID nunca falha (em 1 ano de iPhone 7 eu nem me lembro de ter acontecido, talvez 2 ou 3 vezes).
    Acho difícil o Face ID bater isso, mas também não acho q deva ser um problema. Enfim, só usando pra eu poder ter certeza das diferenças nesse caso.

  35. Meu querido, a partir do momento que você está publicando algo em um ambiente público você está sujeito a discussão. Mesmo que seja algo chato ou legal.

  36. Eu concordo, meus pais e meus sogros não utilizam Touch ID nos respectivos iPhones exatamente por esse motivo.
    Meu pai usou luvas cirúrgicas por vários anos e isso desgastou demais as impressões digitais dele ao ponto que até mesmo no Banco do Brasil ele não consegue cadastrar. Com meu sogro acontece a mesma coisa, centro cirúrgico por vários anos usando luvas, perdeu quase todas as impressões digitais.

  37. Rosto da pessoa é formado pelo DNA, a impressão digital não e é totalmente aleatória, portanto acho o touch id muito mais seguro.

  38. Exatamente o meu caso. 2 HDs externos “antigos” que ainda tenho aqui. Nunca me atrapalhou e sinceramente eu senti mais dificuldade no início da minha era Mac por ter de utilizar um adaptador para o cabo de rede RJ-45 e olhe que só utilizava 4 ou 5 vezes por ano.

  39. Para alguns não entendo como aceitação de olhos fechados e sim como adaptação à nova tecnologia. Para outras pessoas, como eu, foi muito fácil migrar porque raramente utilizo 2 HDs externos USB 3.0 que possuo. Há anos que 99% de tudo que acumulo está na nuvem!

    Acho questionável é a atitude de generalizar. Só porque pra uns é difícil, não quer dizer necessariamente que para todos também está sendo e por isso deveriam reprimir. E só porque me adaptei mais facilmente não significa que sou “fanboy” e aceito tudo de olhos fechados. Eu já estava preparado bem antes! É bem simples de entender.

  40. não estou sendo hater, mas quantas matérias tem aqui no macmagazine q é tendenciosa pro lado da apple mesmo ela estando errada, se um sistema é para ser seguro e não ter falhas, como a pessoa diz q tem falhas e q não vai influenciar(??) é a mesma coisa de falar q o sistema de sacar dinheiro sem cartão do itau(pela digital) não é seguro, mas não vou achar outra pessoa com a mesma digital q eu(então vou ficar tranquilo), já no caso do FaceID o problema é q com pessoas q moram com você ele pode ser desbloqueado

  41. Também não existem duas pessoas idênticas, e em sua primeira geração o Face ID já chegou prometendo um nível de segurança muito maior que o Touch ID e uma praticidade de uso do aparelho sem igual. Nem parece que ele está protegido por senha.

    O Touch ID poderia evoluir? Poderia. Poderia se tornar 10x mais seguro/preciso que hoje, e ainda seria metade do Face ID. E ainda exigiria que colocássemos o dedinho ali em cima do sensor toda vez que ele fosse necessário, o que para quem usa o iPhone X no dia-a-dia já soa como algo arcaico.

    Da mesma maneira, o Face ID evoluirá. Afinal, o foco da Apple agora é todo nele. A tendência é que, no futuro, todos os iPhones, iPads, Macs, etc. tenham o Face ID e o Touch ID desapareça do mapa.

  42. Nesse uso específico citado, sim. Ninguém falou que o Face ID é melhor que o Touch ID em todos os aspectos.

    Aqui, nesses casos quando não estou com o dock, já me acostumei a simplesmente me inclinar um pouco sobre a mesa e o Face ID me identifica. Não é preciso levantar o iPhone e muito menos apontá-lo diretamente ao rosto.

    E no frio, quando você está usando luvas? Qual ganha? Só jogando mais um exemplo de comparação aqui.

  43. Olha, dá pra criticar a Apple por várias coisas, mas não por esta abordagem do Touch ID…

    1) ela mesma anunciou que a taxa de parentesco seria menor.

    2) autenticação facial com criança nunca foi indicada, já que cara muda e tal (mesma coisa com aquelas autenticações vocais, isso na puberdade masculina deve dar um problema enorme, hahaha).

    3) desculpe, mas se o pessoal falhou no touch id e depois digitou a senha pra ‘enganar’ o touch id, o teste nem conta. como você quer provar que um sistema de segurança é falho se você JÁ TEM a senha ?! A senha passa por cima de qualquer biometria ué 😀

  44. Também acho que isso não é nada demais. É praticamente impossível ser roubado e conseguir desbloquear.
    Acho até positivo o sistema aprender com as tentativas, de modo a evitar falhas desnecessárias.

  45. A apple vai fazer uma campanha mundial e pagar plástica pra quem se sentir afetado – resolvido – próximo problema

  46. Acho que o que o Rafael quis dizer é: O Touch ID é BEM MAIS inseguro que o Face ID a questão é que não era tão simples de testar o Touch ID, ai os problemas não apareciam. Agora se o Face ID tem usabilidade melhor eu não sei.

  47. No dia que tiver um iPhone X, duvidará muito da falha do sistema do Face ID. Nunca tive preoblema, não tenho irmão gêmeo e mesmo de tivesse e ele conseguisse desbloquear qual seria o problema é meu irmão. Mas vai tentar desbloquear o iPhone X dormindo? Não consegue. Já o Touch ID desbloqueia.

  48. Em qual mundo, é mais prático esse sistema do que simplesmente por o dedo no aparelho?
    Agora mesmo, estou em minha mesa de trabalho, e o celular fica na minha mesa, a frente do teclado, vou lá e encosto o dedo e voalá…. com esse sistema de Face ID, eu teria que segurar o celular para fazer o mesmo..

    Uso o iPhone 8P, e espero mesmo que a Apple mude isso ou nos der a possibilidade de usar outro meio, ou serei obrigado a voltar usar android com digital 1:50mil

  49. Só usando para entender, não tem jeito mesmo. O que é um problema para a Apple, tal como falei no meu review do iPhone X.

    Não é só mais prático. É muito mais prático; você nem percebe ele funcionando.

  50. Não só por causa dos idosos. Existem alguns problemas de pele que deixam a impressão digital zoada, tenho uma amiga jovem que tem isso, por causa disso o Touch ID não funciona com ela.

  51. Existem inúmeros graus de problemas.
    O que é um grave problema para quem tem um irmão gêmeo, ou um parente muito parecido, pode não ser para outro (a grande maioria) que não tem casos assim na família.
    Como eu estou inserido nesse segundo grupo, para mim está tranquilo. Se você está inserido no primeiro grupo, espere a segunda versão do Face ID que virá com a segurança ainda mais aprimorada.

  52. Nossa, você mora com clones? Conte-nos mais sobre essa experiência alien extra-sensorial que você experimenta em sua vida.

  53. só usando pra entender… ele é naturalmente mais prático… tive dúvidas no início, mas me convenci com um dia de uso…

    tem problemas, desbloquear em cima da mesa realmente não funciona, tu tem que estar suficientemente na frente do celular, deitado na cama também complica um pouco…

    mas os benefícios são suficientes para deixar pra lá esses problemas… it just works, é muito melhor e tem menos erros que o touch id… principalmente quando tinha dedo molhado, praticando esporte, correndo, que não funcionava direto

  54. taí uma pessoa que nunca suou na vida, nunca teve um dedo engordurado e nunca caiu um pingo de chuva no celular

  55. o que as pessoas não estão entendendo é que ninguém tá nem aí pra segurança, mas pelo conforto e usabilidade… e, nisso, o FaceID ganha de goleada… é muito superior, só usando pra entender

  56. Você viu que aquilo foi um truque de cadastro né? Onde na primeira etapa a mãe colocou seu rosto e na segunda o filho colocou, como eram parecidos o sistema não percebeu e fez uma “mesclagem” dos dois.

  57. kkkkkkk a mesma coisa aqui, mudei minha senha justamente para uma usando 0 e 8 devido ao tanto que tenho que digitar senha já que a cada 10 tentativas o meu FaceID falha de 1 ou 2. Sem falar que se estiver deitado não funciona, inclinado não funciona, se alguém pega o iPhone para te entregar ele não reconhece o rosto e não funciona, se você tenta uma vez e não desbloqueia ele não faz uma segunda tentativa, tem que bloquear e desbloquear o telefone, sinceramente sinto falta do TouchID.

  58. Isso que me deixa chateado, pagar 7 mil em um aparelho que claramente não saiu do forno pronto, tem coisas do X que não estão claramente em versão final, e o pior que dificilmente isso vai melhorar com software, apenas com hardware das próximas versões.

  59. Quem dera o FaceID fosse tão bom assim kkkkk, o meu nem olhando diretamente pra ele tem hora que funciona, e outra seu exemplo tem algo errado, já que quando o FaceID tenta desbloquear pela primeira vez(no caso com o rosto da pessoa) e falha, a partir dai só digitando a senha ou bloqueando e desbloqueando para ele fazer a leitura de novo, mesmo sendo o rosto correto.

  60. Realmente isso é chato, mas quando paro para olhar a maioria das pessoas que reclama disso tudo se quer um iPhone elas conectam no seus macs.

  61. Foi apresentado como: – “Mais seguro que o TouchID”, mas Desbloqueou com alguns gêmeos. – Soou como propaganda enganosa! Rsss – Ja podem parar de vender segurança!

  62. @disqus_Rr7SZAARjG:disqus, felizmente, o MacMagazine, até onde sei, não é um site imparcial (que, por definição, se abstém de tomar partido ao julgar). Digo felizmente porque outros veículos só jogam a informação querendo cliques, sem interpretar e dar a opinião no final.
    Que foi o que aconteceu aqui e você não entendeu. O primeiro comentário que você respondeu, do @disqus_usmP9TFCSK:disqus, refere-se ao texto:
    Mas, a menos que você conviva com alguém assim […] eu não acho sinceramente que isso seja um motivo de preocupação para ninguém.

    Houve um fato e uma opinião do @rfischmann:disqus.
    Não existe “tendência mesmo a Apple estando errada”. É só acompanhar aqui diariamente.

  63. Sobre fazer a segunda tentativa eu realmente não entendo. Mas tenho fé que *isso* será corrigido por software. Mas pense pelo lado positivo: e quando você está com luvas? O Touch ID funciona tão bem? E com a mão molhada? 😛

  64. Você comentou um ponto que eu também pensei bem a respeito. Assim como no teste do MM quando o Rafael foi maquiado, o FaceID percebe a semelhança e solicita senha, após digitar a senha ele vai aceitar sempre.
    Se eu cadastro meu rosto e em seguida minha irmã tenta desbloquear o iPhone vai solicitar a senha e após digitar irá autenticar sempre para nós dois, aí é bonito mostrar isso pra todos, mas é a mesma coisa de durante o cadastro de uma impressão digital intercalar entre duas digitais, depois o TouchID autentica as duas digitais como se fossem apenas uma.

    Nenhum sistema é perfeito, mas também precisamos abrir os olhos pra gente que tenta escrachar informações falsas por aí.

  65. Realmente, o problema é que luvas e mão molhada são casos bem exclusivos, vamos dizer que uma ou duas vezes no dia, acho que a Apple forçou o FaceID foi para ter um banco de dados com o rostinho de todo mundo mesmo só pode xD kkkkk

  66. Eu também amo teorias da conspiração. Já pensou se ela se junta com agências de inteligência pra ter todos esses dados? rs

    (Embora se isso fosse descoberto acabaria com a reputação de “boa segurança” da Maçã, e acho que ela não quer isso…)

  67. Então é melhor que teu irmão seja confiável, senão uma hora esse face id pode ajudá-lo a te dar uma grande surpresa, que pode não ser nada agradável…

  68. Isso é um problema, cara, e dos brabos. Imagina a situação: teu irmão gêmeo ou muito parecido contigo pega teu celular pra ver qualquer coisa que você indicou pra ele e ao tentar abrir a caixa de aplicativos, o celular bloqueia e pede a senha. Aí ele te dá o celular e você inadvertidamente digita a senha. Pronto. O celular funciona e ao mesmo tempo grava o rosto dele. FERROU! Agora ele vai ter acesso ao teu aparelho sempre. Se ele é do tipo de irmão que gosta de aprontar, pode usar desse subterfúgio pra sei lá, transferir dinheiro da tua conta, ver teus nudes, da tua namorada/esposa… As opções são infinitas…

  69. Eu sempre duvido destes testes de Face ID. Mesmo ele reconhecendo com meus óculos escuros e como eu uso óculos de grau, gravei a primeira etapa com óculos e a segunda sem óculos.

    Como já fiz no Touch ID, a primeira etapa meu dedo e a segunda a minha namorada.

  70. está errado, amigo… a taxa de erro do FaceId é incrivelmente mais baixa… no TouchId bastava correr um pouco pra suar

  71. Cara, não precisa bloquear e desbloquear. Quando der erro é só deslizar o dedo de baixo pra cima que ele faz uma nova leitura do faceID.

  72. Todo sistema de segurança que pode ser burlado de smartphones, ao meu ver, é um problema sim para usuários.
    Não da para se medir a importância que cada pessoa da à sua privacidade.
    Se for para usar o sistema de segurança do dispositivo ele precisa ser eficaz. Se não precisar do sistema segurança basta não ativa-lo.
    E o mais importante, se o sistema de segurança apresentar pequenas falhas, isso deve ser informado aos consumidores. É simples.
    É perfeitamente aceitável que se trata de um sistema de segurança novo, e que alguns problemas podem surgir. Mas isso deve ser informado a todos os usuários.
    O que não da é vender mentira ou achar (ou julgar) a pertinência que as pessoas dão as áreas da sua vida.

  73. Ô meu amigo. Falo com conhecimento de causa, e não por estatísticas. As taxas de erros do Face ID são bem superiores ao touch sim. Nem se comparam. E até irritam mais, pelo gestual de ter que pôr o cel frente a face. E o face funciona com o rosto molhado, suado, já testei, só não dá pra usar o cel, pq se pintar água, o touch já não responde, e como não temos mais o botão… surpesa(!), até desbloquear fica difícil.

Deixe uma resposta