É piada? Apple não vai oferecer desconto para trocar baterias de iPhones no Brasil, segundo a EXAME [atualizado: errou!]

Após semanas de polêmica, a Apple finalmente veio a público ontem se desculpar por ter diminuído na surdina a performance de iPhones com baterias degradadas, anunciando, entre outras medidas, um bom desconto para a troca dos componentes energéticos nos Estados Unidos (de US$79 para US$29, ao longo de 2018).

É aquela coisa: considerando que toda a situação — deveras constrangedora para a Maçã — já estava armada, essa resposta foi uma das menos piores que eles poderiam ter dado. Mas se uma informação obtida pela EXAME proceder, nós, brasileiros usuários da Apple, podemos colocar de uma vez o nariz de palhaço e rirmos da nossa própria imagem no espelho.

A revista entrou em contato com a Apple Brasil para checar qual seria o desconto na troca de baterias oferecido por aqui (normalmente, esse serviço sai por R$449 em terras nacionais) e deu de cara com a parede.

Consultada pelo site EXAME, a Apple informou que já dá suporte para a troca de baterias no país e indicou o site onde apresenta as condições e preços desse serviço.

Lá, estão especificadas duas condições para a troca gratuita da bateria: quando o iPhone ainda estiver na garantia ou quando o cliente tiver razão pelo Código de Defesa do Consumidor.

Excetuadas essas duas situações, o preço para a troca de baterias é fixo em R$449.

Ou seja, se a informação proceder, nossa querida república não verá nenhum tipo de desconto na troca das baterias e, efetivamente, nós entendemos que o pedido de desculpas da Apple não se estende aos seus usuários brasileiros. O que é absurdo.

É tão absurdo, aliás, que não podemos descartar a possibilidade de um simples desencontro de informações entre a EXAME e a Apple Brasil. Nunca se sabe: talvez a revista tenha consultado uma área da assessoria de imprensa ainda não familiar à polêmica (o que é imperdoável, mas pode acontecer). Talvez a empresa ainda não tenha decidido qual será seu plano de atuação no Brasil e preferiu emitir esse comunicado surreal. Ou será que eu estou sendo ingênuo?

O fato é que, até segunda ordem, vamos continuar esperando uma palavra oficial da Apple Brasil sobre o assunto. Se muito, talvez a revolta gerada por essa notícia pode ao menos fazer a empresa reconsiderar a decisão (caso ela já tenha sido tomada, isto é).

dica do @phpvieira

Atualização, por Rafael Fischmann 30/12/2017 às 00:00

Como suspeitávamos, a EXAME errou feio. O Brasil terá uma redução de preço até maior que a anunciada para os Estados Unidos.

Posts relacionados

Comentários