Apple e outras empresas serão processadas por vulnerabilidades em processadores [atualizado]

Sinceramente, era só uma questão de tempo: depois do escândalo que seguiu a revelação das vulnerabilidades Spectre e Meltdown, que afetam todos os processadores de 32 ou 64 bits (ou seja, basicamente todos os computadores e dispositivos móveis em existência), todos esperavam que as fabricantes de chips fossem bombardeadas com processos de todos os lados.

Dito e feito — e a Apple, que de uns anos pra cá se tornou uma das maiores fabricantes de processadores do mundo com os seus chips da série A, está no bolo.

O jornal Hamodia foi que informou: uma firma de advocacia israelense entrou com uma ação coletiva contra a Apple, a AMD e a Intel, acusando as empresas de negligência e descaso para com os direitos dos consumidores. Segundo os juristas, as vulnerabilidades representam algo maior que um terremoto, no sentido do abalo que causaram no mundo da computação. Como afirmou o advogado Rimon Zinati, um dos autores da ação:

Nossos piores pesadelos se tornaram realidade, e uma bolha tecnológica gigante estourou. Dizer que isso é um terremoto seria um eufemismo. Desde que as companhias anunciaram a vulnerabilidade em seus produtos, nós percebemos que estamos vivendo em um mundo fantasioso e agora percebemos que não temos um mínimo de privacidade.

De acordo com os advogados, as correções que as fabricantes têm disponibilizado para as falhas são insatisfatórias por causarem perdas significativas de performance nos processadores (especialmente em PCs rodando Windows). Eles afirmaram também que as atualizações liberadas pelas empresas corrigem apenas vulnerabilidades pontuais dos processadores, mas não cobrem o problema como um todo — ou, em outras palavras, Apple, AMD e Intel não estão fazendo o suficiente.

A corte israelense decidirá nas próximas semanas se aceitará o caso, então ainda temos que aguardar para ver se as empresas serão julgadas pelas suas ações. Outros processos similares, naturalmente, deverão aparecer ao redor do mundo — e então veremos qual o destino das fabricantes nessa confusão toda. Qual a opinião de vocês?

via Cult of Mac

Atualização 16/01/2018 às 16:00

Como era de se esperar, a Apple já está enfrentando uma ação coletiva em sua terra natal por conta do escândalo dos processadores. O MacRumors obteve acesso a documentos de uma Corte Distrital de San Jose, EUA, confirmando que uma dupla de consumidores entrou com a ação em nome de todos os clientes que compraram dispositivos com processadores ARM da Apple — ou seja, todos os chips A4 a A11 cobrindo basicamente todos os iPhones, iPads e iPods touch já lançados.

Nos documentos, os denunciantes afirmaram que a Apple sabia dos defeitos de design dos processadores que abriram espaço para as vulnerabilidades conhecidas como Meltdown e Spectre desde junho de 2017, e não avisaram aos consumidores ou tomaram atitudes para coibir o problema até que ele veio à tona.

A dupla ainda disse ser improvável que a Apple consiga consertar as vulnerabilidades sem reduzir a performance dos seus processadores entre 5% e 30%. Eles dizem esperar que ao menos 100 consumidores juntem-se a eles na ação e pedem uma indenização de mais de US$5 milhões caso a justiça determine a culpa da Maçã.

Segundo o MacRumors, já são pelo menos 39 processos movidos contra a Apple nos Estados Unidos por conta das vulnerabilidades dos processadores; outros estão sendo movidos em países como França, Rússia, Coreia do Sul e Vietnã. É o que nós podemos chamar de bola de neve.

Posts relacionados

Comentários