Mais uma fornecedora da Apple é acusada de violações aos direitos dos trabalhadores na China

Esse é aquele tipo de notícia ninguém gosta de dar, especialmente porque ela se repete no mínimo algumas vezes no ano e todas as nossas aspirações por um mundo melhor vão temporariamente por água abaixo quando pensamos sobre ela. Enfim: mais uma parceira da cadeia de produção da Apple foi acusada por um grupo ativista de violar direitos básicos dos trabalhadores, na China.

O grupo China Labor Watch, dedicado a fiscalizar as condições de trabalho nas inúmeras fábricas do país e denunciar casos de negligência, abuso ou insalubridade, está preparando um relatório, obtido em primeira mão pela Bloomberg, apontando sérias irregularidades num complexo de manufatura da Catcher Technology — uma das principais montadoras da Apple em território chinês — na cidade de Suqian, a cerca de seis horas de Xangai.

Empregados da Catcher dormem no horário de almoço no complexo em Suqian
Empregados da Catcher dormem no horário de almoço no complexo em Suqian

De acordo com o relatório, os trabalhadores do complexo passam até dez horas por dia de pé em linhas de produção dentro de galpões muito quentes, respirando e tocando em compostos químicos nocivos sem luvas, máscaras ou qualquer equipamento apropriado. Óculos de proteção e tampões de ouvido também são artigos raros — porém essenciais para o ambiente barulhento (mais de 80 decibéis perpetuamente, segundo o grupo) e os frequentes espirros de tinta e líquido de refrigeração.

A maioria dos dormitórios para os trabalhadores que moram no complexo (isto é, a maioria deles) não tem chuveiros, e os que os têm não possuem sistema de água quente; por conta disso, parte dos funcionários entrevistados — foram 50, para o relatório — passa dias a fio sem se lavar. O salário para a atividade realizada pela maioria dos empregados é de 4.000 yuans por mês, ou cerca de R$5 a hora.

Dormitório de empregados da montadora Catcher
Dormitório de empregados da montadora Catcher

Ainda segundo a reportagem da Bloomberg, a Apple tomou conhecimento do relatório e afirmou que, ainda que tenha empregados seus trabalhando no complexo, enviará uma equipe para auditar o espaço e verificar as condições denunciadas pelo grupo. A Maçã é a maior cliente da Catcher, mas a montadora também presta serviço para empresas como Samsung, HP, Lenovo, LG e outras; no caso da Apple, ela é a responsável por produzir as carcaças dos iPhones e dos MacBooks.

Claro que a responsabilidade pela segurança e bem-estar dos empregados da Catcher (e de qualquer outra parceira) não é diretamente da Apple, mas isso não significa que a empresa não tenha a capacidade de interferir nessas questões. Aliás, este é um assunto muito caro para Cupertino, que produz relatórios anuais sobre o tema e gasta muitos esforços para evitar denúncias de abusos e violações.

Claramente, este é um daqueles casos em que os esforços da empresa têm de ser direcionados para coibir uma degradação flagrante de direitos básicos, e esperamos que assim seja feito o quanto antes.

via Cult of Mac

Posts relacionados

Comentários