Apple Music for Artists traz painel recheado de informações e análises demográficas da plataforma para artistas

Nós geralmente vemos esforços da Apple em tornar o Apple Music mais atraente e fácil de utilizar para os seus consumidores, mas é bom lembrar que a empresa também tem todo o interesse do mundo em fazer com que sua plataforma seja a favorita dos músicos, produtores de conteúdo e estúdios — por razões óbvias.

Por isso, como informou a Billboard, a Maçã está lançando hoje em fase de testes uma nova ferramenta batizada de Apple Music for Artists — uma espécie de “painel de controle” destinado a todo mundo que tem algum conteúdo na plataforma, de artistas independentes e pequenos estúdios aos grandes figurões da indústria. A ideia é fornecer a todos eles uma análise completa do desempenho de suas criações numa interface simples e bem pensada.

Apple Music for Artists, nova ferramenta de análise da plataforma

Segundo a reportagem, a profundidade das informações contidas no painel é inversamente proporcional à sua aparente simplicidade. Além das informações de face exibidas em letras garrafais na tela inicial (quantidade total de reproduções, vendas de canções e discos, e marcas atingidas recentemente, por exemplo), é possível fazer análises extremamente granularizadas e baseadas em uma série de fatores.

Os artistas podem clicar nos 115 países onde o Apple Music está disponível para obter estatísticas locais de cada um deles; selecionar cidades individualmente e analisar quais são as músicas mais tocadas em cada uma delas. A separação demográfica vai além — é possível, por exemplo, descobrir quantas vezes mulheres entre 16 e 24 anos escutaram uma canção específica em Los Angeles!

O painel ainda traz todas as playlists curadas pela Apple que contêm uma ou mais músicas do artista que está acessando a plataforma, com a quantidade de reproduções dentro da lista e o desempenho delas ao longo do tempo.

É bom notar, entretanto, que — ao menos por enquanto — a ferramenta não incluirá dados financeiros acerca da biblioteca dos artistas. Segundo a matéria, a Apple considerou adicionar essas informações, mas o cálculo de royalties provou-se muito complexo para esse tipo de ferramenta, então por ora as cifras ficarão de fora da interface.

A Billboard adicionou que o Apple Music for Artists chega atrasado — concorrentes como o Spotify, o Pandora e até o YouTube já possuem algo similar há mais de dois anos —, mas oferece possibilidades que nenhuma das ferramentas dos seus competidores trazem. Com ele, artistas poderão ter uma visão muito melhor do retorno do seu trabalho e montar turnês, setlists e ações promocionais mais efetivas em diferentes locais com diferentes públicos; músicos independentes e da cena local se beneficiarão ainda mais por contar com ferramentas que, de outra forma, nunca obteriam sem o auxílio de um grande estúdio ou coisa do tipo.

Por enquanto, o recurso foi liberado em fase prévia para “alguns milhares” de artistas, mas ele deverá chegar a todo mundo que publica no Apple Music ao longo dos próximos meses.

via 9to5Mac

Posts relacionados

Comentários