Jennifer Bailey, chefe do Apple Pay, fala sobre o sucesso do sistema de pagamentos

Que a Apple realizou uma jogada certeira com o lançamento do Apple Pay, acredito que isso ninguém questionará — ainda que nós, brasileiros, ainda não tenhamos nem sentido o seu cheiro.

Para colocar esse sucesso em perspectiva, a chefona do sistema de pagamentos da Maçã, Jennifer Bailey, compartilhou alguns números recentes relativos à presença e à adoção da plataforma.

Jennifer Bailey Apple Pay Code Commerce

A executiva participou da última conferência da Federação Nacional de Varejistas (National Retail Federation, ou NRF), em Nova York, e dentro do seu discurso, intitulado “The Modern Shopping Experience” (“A Experiência de Compra Moderna”), falou sobre a pequena revolução que o iPhone está causando no varejo por introduzir uma série de novas possibilidades, interações e colaborações entre vendedores e compradores.

Lojas físicas são um lugar importante onde você pode interagir com os consumidores face-a-face; você pode focar em interação com os consumidores fazendo os aplicativos mais eficientes. Nós podemos descobrir e comprar serviços e produtos de uma nova maneira, de retiradas a recomendações personalizadas, e vamos continuar desenvolvendo isso. Nós mesmos somos varejistas e compartilhamos as oportunidades e desafios desse segmento.

Nesse sentido, Bailey passou alguns minutos falando sobre as possibilidades trazidas pelo ARKit e pela câmera TrueDepth do iPhone X, focando no aplicativo da ótica Warby Parker, que utiliza o sistema para inserir milhares de modelos de óculos no rosto do usuário para que ele faça sua escolha sem precisar passar horas testando um por um.

Em relação ao Apple Pay, Bailey — como a Apple tem se vangloriado bastante — afirmou que trata-se do sistema de pagamentos sem contato mais utilizado do mundo, e que seu crescimento é vertiginoso: na época do seu lançamento, cerca de 3% dos varejistas dos EUA aceitavam a plataforma; hoje, 50% das lojas em território americano já aceitam pagamentos via iPhone ou Apple Watch. Isso sem falar da internet.

Agora, ficamos aguardando a expansão da plataforma para outros países. Possivelmente mais para o sul. Que comecem com B. Quebra essa para nós, Jennifer! #euacredito 😛

via 9to5Mac

Posts relacionados

Comentários