Aplicativos do Telegram para iOS são removidos temporariamente da App Store [atualizado 2x: de volta!]

De ontem para hoje, inesperadamente, os aplicativos do Telegram para iOS — inclusive o Telegram X, que foi oficializado ontem pelos caras — sumiram da App Store. Curiosamente, suas versões para macOS continuam disponíveis.

Inicialmente, o fundador e CEO da Telegram Pavel Durov havia respondido a alguém no Twitter afirmando se tratar de “um problema pequeno e que os apps voltariam logo”. Depois, ele apagou tal tweet e postou o seguinte:

Nós fomos alertados pela Apple que conteúdos inapropriados estavam sendo disponibilizados para nossos usuários e ambos os aplicativos foram retirados da App Store. Uma vez que tivermos proteções implementadas, esperamos que os aplicativos retornem à App Store.

Não ficou claro, porém, que tipo de conteúdos seriam esses. Outros comunicadores concorrentes continuam, também, disponíveis na loja.

Assim que os apps retornarem, ou caso surja mais algum novo update do caso, atualizaremos este artigo.

via MacRumors

Atualização 01/02/2018 às 15:45

Até que não demorou. Os apps já estão de volta:


Ícone do app Telegram Messenger

Telegram Messenger

de Telegram LLC

Compatível com iPadsCompatível com iPhonesCompatível com Apple Watches
Versão 5.9.1 (163.1 MB)
Requer o iOS 8.0 ou superior

Grátis

Badge - Baixar na App Store

Código QR Código QR


Desculpe, app não encontrado.

Durov aproveitou essa oportunidade para divulgar números atualizados de downloads do Telegram:

Segundo ele, diariamente o comunicador é baixado 500 mil vezes em sua versão para Android e outras 100 mil na para iOS.

dica do Mateus Cardoso

Atualização II 05/02/2018 às 15:20

O vice-presidente sênior de marketing mundial da Apple, Phil Schiller, esclareceu em um email obtido pelo 9to5Mac que o motivo da remoção temporária do Telegram teve a ver com a distribuição de imagens de pornografia infantil pelo app.

Assim que a Apple tomou conhecimento do fato, ela retirou os aplicativos de sua loja, notificou a desenvolvedora e avisou as autoridades — incluindo a organização não-governamental National Center for Missing and Exploited Children (NCMEC).

Explicado.

Posts relacionados

Comentários