Após reeleição, cada conselheiro da Apple embolsará cerca de US$260 mil em ações restritas

Nesta semana, durante a reunião anual de acionistas da Apple, o conselho administrativo da empresa foi 100% reeleito. E como não existe almoço de graça neste mundo, a Apple paga pelos conselhos desse octeto de peso.

Arthur D. Levinson (ex-presidente e CEO da Genentech), James A. Bell (ex-CFO e presidente corporativo da Boeing), Albert Gore Jr. (ex-vice-presidente dos EUA), Robert A. Iger (presidente e CEO da Walt Disney), Andrea Jung (presidente e CEO da Grameen America, Inc), Ronald D. Sugar (ex-presidente e CEO da Northrop Grumman) e Susan L. Wagner (cofundadora e diretora da BlackRock) foram contemplados com 1.521 unidades de ações restritas. Isso, é claro, se eles completarem o ano de serviço, já que essas ações só poderão ser resgatadas em 1º de fevereiro de 2019.

A remuneração cobre especificamente conselheiros que não fazem parte do quadro de funcionários da empresa e, por isso, Tim Cook (que faz parte do conselho administrativo mas também é CEO da Apple) não tem direito e essas ações. Por outro lado, ele obviamente tem direito a um ótimo salário, bônus e ações restritas por conta do cargo máximo que ocupa.

Na cotação de agora, essas ações equivalem a cerca de US$262 mil, de acordo com o documento enviado pela Apple para a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (U.S. Securities and Exchange Commission).

via AppleInsider

Posts relacionados

Comentários