Com timing curioso, Google e Acer apresentam primeiro tablet dedicado à educação rodando o Chrome OS

Tudo indica que amanhã, em seu evento educacional, a Apple há de apresentar um ou mais novos modelos de iPad de baixo custo, dedicados ao ambiente escolar. É impossível afirmar que alguém em Mountain View tinha isso em mente ao decidir anunciar hoje um tablet com foco educacional para chamar de seu, mas… bom, aqui estamos.

O Google anunciou hoje, em parceria com a Acer, o Chromebook Tab 10, que cumpre exatamente esse papel de ser um equipamento (relativamente) barato e destinado principalmente a estudantes e/ou crianças. Ele também guarda uma distinção interessante: é o primeiro tablet a vir equipado com Chrome OS, sistema até então reservado somente para computadores “completos” ou híbridos.

Em termos de hardware, o equipamento — como era de se esperar — não traz nada de impressionante: temos aqui uma tela IPS de 9,7 polegadas e resolução de 2048×1536 pixels (suficientes para uma taxa de 264 pixels por polegada), processador OP1 da Rockchip, 4GB de RAM e 32GB de armazenamento, com entrada para cartões microSD e uma saída para fones de ouvido (posso ouvir um amém?). Também se fazem presentes uma câmera traseira de 5 megapixels, uma frontal de 2 megapixels, conexões Wi-Fi e Bluetooth, porta USB-C e uma bateria que, segundo a fabricante, dura 9h em uso regular.

Chromebook Tab 10, tablet da Acer rodando Chrome OS

Mais interessante é notar que o tablet traz, no maior estilo dos smartphones Galaxy Note, uma stylus da Wacom embutida no seu corpo. A canetinha não é das mais poderosas — trata-se de uma peça sem suporte a níveis de sensibilidade e que não precisa ser recarregada ou pareada —, mas deve cumprir bem o seu papel de auxiliar estudantes em tarefas e anotações. Quanto ao Chrome OS, temos aqui o mesmo sistema de sempre, sem adaptações (ele já é bem amigável a dispositivos sensíveis ao toque) e com a habilidade de rodar aplicativos do Android, o que é sempre um atrativo interessante.

O Chromebook Tab 10 será, inicialmente, vendido apenas para escolas e profissionais da área educacional; ele será lançado em abril nos Estados Unidos, custando o mesmo que o iPad (atualmente) mais barato: US$330. O lançamento em outras partes do mundo deverá ocorrer a partir do mês seguinte.

Vamos, agora, aguardar a resposta da Maçã — se é que ela virá.

via Engadget

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários

7 comments

  1. Depois do celular, o chromebook é o dispositivo que eu mais uso. Leve, bateria dura um monte, atende para aplicações web e para um SO mais completo eu fiz dualboot com o GalliumOS, um fork do Xubuntu destinado a estes dispositivos.
    O teclado faz a diferença no dia a dia, e não adianta, iPad é só para consumo de mídia e olhe lá, cansei de ver filme no Cbook por preguiça de pegar o iPad.
    Sem contar que caso algum anjo sem asas resolva socializar meus pertences, é algo que não teve um custo alto (paguei 690).

  2. Acredito que esses tablets de baixo custo voltado para educação seja o caminho para popularizar esses divices. Mas ainda não vi nada que durasse por longo tempo para valer a pena como os Ipads.

Deixe uma resposta