Parceira da Apple, Foxconn adquire a Belkin (e suas submarcas) por US$866 milhões

Por essa, ninguém esperava. Pelo menos aqui na parte inferior do ocidente…

A Foxconn Interconnect Technology, uma subsidiária da Foxconn (Far East) Limited-HK (montadora parceira da Apple na fabricação de iPhones e de muitos outros produtos da Maçã, que por sua vez é uma subsidiária da Hon Hai Precision Industry) adquiriu a Belkin International (e todas as suas submarcas, as quais incluem Linksys, Wemo e Phyn) por aproximadamente US$866 milhões em dinheiro. A aquisição, nas palavras da empresa, criou uma nova líder global em eletrônicos de consumo.

Segundo o comunicado para a imprensa, a ideia é alavancar a força da Belkin, suas capacidades de pesquisa e desenvolvimento, e seus produtos de consumo; do lado da Foxconn, a gigante asiática traz para debaixo do seu guarda-chuva uma linha de acessórios premium e uma bela entrada no mercado de acessórios domésticos inteligentes. A transação também impulsionará o crescimento do portfólio de marcas e produtos da Belkin, além de expandir a presença da Foxconn e da Belkin nos EUA e nos principais mercados do mundo.

Belkin Boost Up Wireless Charging Pad
Belkin Boost Up Wireless Charging Pad recarregando um iPhone X

Eis a declaração de Sidney Lu, CEO da FIT:

A Foxconn está animada em adquirir a Belkin e as suas capacidades no segmento de produtos de consumo premium. Integrando os melhores recursos e soluções da Belkin à FIT, esperamos enriquecer o nosso portfólio de produtos de consumo premium e acelerar a nossa penetração [no mercado] de casa inteligente.

Abaixo, a declaração de Chet Pipkin, CEO e fundador da Belkin:

Esse movimento acelerará a nossa visão de fornecer a tecnologia que torna as vidas das pessoas ao redor do mundo melhores, mais convenientes e mais gratificantes. Estou entusiasmado por levar o portfólio das marcas Belkin, Linksys, Wemo e Phyn a novos patamares. Nós vemos sinergias significativas com a FIT, incluindo alavancar a sua capacidade de fabricação de classe mundial para melhorar a eficiência operacional e a competitividade da Belkin. A transação também nos concede acesso a mais recursos para investir em nosso pessoal e para buscar agressivamente oportunidades no mercado.

Vale notar que a Belkin e as outras marcas adquiridas continuarão operando como uma subsidiária da Foxconn, sob a liderança do CEO e fundador Pipkin e sua equipe executiva — Pipkin, por sua vez, se juntará à equipe de gerência da Foxconn.

via TechCrunch

Posts relacionados

Comentários