Projeção aponta que o mercado de relógios híbridos crescerá quase 3x mais que o de smartwatches até 2022

De acordo com a pesquisa “Smartwatches: Tendências, Estratégias de Venda e Previsão 2018-2022”, realizada pela empresa britânica Juniper Research, o baixo crescimento de relógios com display digital fez com que diversas fabricantes, como Motorola, Huawei e Sony, ficassem à margem do mercado. Para outras empresas, como a Apple, o lançamento de tendências específicas para os usuários têm contribuído no sucesso de vendas dos seus gadgets vestíveis.

Ainda assim, o relatório indica que o mercado de relógios híbridos — que não são totalmente digitais e possuem algumas funções inteligentes — não irá perder espaço entre os consumidores, mesmo com o avanço dos smartwatches. Na realidade, as vendas de relógios híbridos irão representar 50% do mercado dessa linha até 2022; ou seja, 80 milhões de produtos serão vendidos até lá, 460% a mais do que a estimativa de 14 milhões de relógios vendidos em 2017. Ainda de acordo com os resultados, os relógios totalmente digitais vão representar a outra metade do bolo, mas com uma taxa de crescimento menor, de cerca de 160%.

Segundo o autor da pesquisa, James Moar, as novidades cada vez mais específicas “têm impactado em todos os aspectos de smartwatches, desde o design feito para um público cada vez mais especializado até a venda em determinadas lojas”.

Ainda de acordo com a pesquisa, funcionalidades como o GPS1 deverão estar presentes em 50% dos smartwatches até o final da previsão, enquanto o NFC2 deverá ser menor, já que a função está presente, por enquanto, apenas em sistemas específicos.

Para Peter Stas, CEO da Frederique Constant, as pessoas ainda não entenderam de fato a mudança que empresas como a Apple causaram no mercado.

Eu sinto que a Suíça ainda não entendeu o quanto o Apple Watch o outros smartwatches estão tomando o mercado, particularmente as participantes do movimento Quartz. A geração Series 3 do Apple Watch é incrível, suas funções vão desde notificações e o rastreio dos exercícios físicos até orientações sobre a saúde do usuário. Eu penso que esse é o momento que veremos, de fato, os benefícios que a classe de smartwatches tem a oferecer, e mais uma vez a Apple lidera esse caminho. O relógio da Apple informa o usuário se sua frequência cardíaca está muito alta, e dá a ele até mesmo informações médicas. A Apple já vendeu 18 milhões de relógios, e toda vez que vou aos EUA vejo cada vez mais pessoas usando o Apple Watch.

Stas comenta ainda que, apesar de inovadores, os relógios possuem o mesmo formato e normalmente uma ou outra característica diferenciam os modelos de relógios digitais. Se a Apple introduzisse um novo formato no Watch, é possível que o mercado de relógios híbridos verifique mais uma (grande) mudança. Veremos…

via The Loop

Posts relacionados

Comentários