Produção de um suposto MacBook Air com tela Retina teria sido adiada para 2º semestre do ano

Não é de hoje que comentários surgem acerca de um novo modelo do MacBook Air; inclusive comentamos, em março passado, de um provável novo notebook dessa linha chegando ainda no segundo trimestre deste ano. No entanto, novas informações adquiridas pelo polêmico DigiTimes vão contra essa previsão, indicando que a produção desse suposto novo modelo ficaria apenas para o segundo semestre do ano.

Fontes do veículo relatam que a Apple informou suas fornecedoras que a produção em massa do novo modelo do computador não irá começar até a segunda metade do ano, mas não forneceram nenhuma informação sobre as novas datas de produção. De acordo com algumas empresas que fornecem peças para o notebook da Maçã, a decisão teria vindo depois de problemas com os processadores usados nele.

A declaração acontece apenas alguns dias depois de a Intel anunciar que adiará a produção em massa da sua nova geração de processadores de 10 nanômetros para 2019, devido a problemas com a fabricação do componente.

Algumas especulações sobre o novo computador da linha incluem um design ultra-fino, tela Retina e os últimos processadores da Intel. No entanto, o detalhe que mais chamou a atenção foi a possível faixa de preço do novo MacBook Air, que poderá custar US$900 — contra os US$1.000 cobrados atualmente. Para analistas de mercado, tal valor seria uma maneira de alavancar as vendas de Macs em até 10% ainda este ano, recuperando o fôlego no mercado depois da avalanche dos Chromebooks.

Outra grande dúvida é se estamos mesmo falando de um novo “MacBook Air”, como apontam os rumores. Ora, já temos no mercado justamente um sucessor do Air com tela Retina, o MacBook “puro”. Não seria esse, então, um novo modelo de entrada do MacBook, mais em conta?…

O movimento de adiar a montagem do suposto novo MacBook Air terá um efeito dominó, já que fornecedoras serão obrigados a esperar para produzir novos componentes até que a Apple indique o início da produção; esta poderá então bater com o período de fabricação em massa dos novos iPhones, esperados para meados do segundo semestre do ano. Para algumas indústrias da China, cumprir com a demanda extra será uma tarefa ainda mais desafiadora, já que o país é casa de algumas das principais montadoras da Maçã.

Com o novo cenário, é ainda mais improvável que a Apple comente algo sobre uma atualização da linha MacBook Air na sua Worldwide Developers Conference (WWDC) deste ano — entre os dias 4 e 8 de junho —, mas vamos continuar ligados no caso de alguma novidade.

via Patently Apple

Posts relacionados

Comentários