Estaria a Apple dificultando a troca de baterias em iPhones de propósito, para lucrar mais?

O assunto não é nada novo: estamos falando do programa de troca de baterias de iPhones. Sim, aquele caso no qual a Apple reduziu o valor da troca de baterias antigas/velhas após a polêmica envolvendo a redução da performance de aparelhos sem deixar isso claro para usuários.

Publicidade

Além do desconto no preço do serviço (que no Brasil passou de R$449 para R$149 — apenas para iPhones 6 ou superiores), a Apple implementou o recurso “Saúde da Bateria” no iOS 11.3, pelo qual podemos optar por deixar o aparelho explorar todo o potencial do processador mesmo com uma bateria velha. E não é que temos uma nova polêmica em cima de uma polêmica? Pois é…

iPhone 6s desmontado pela iFixit

Na página que cobre as informações sobre a troca da bateria, a Apple diz o seguinte:

Publicidade

Se o seu iPhone tiver algum dano que prejudique a substituição da bateria, como uma tela quebrada, esse problema precisará ser resolvido antes da substituição da bateria. Em alguns casos, pode haver um custo associado ao reparo.

Eu não vejo absolutamente nada de errado nisso. Para trocar a bateria, você precisa abrir o aparelho. E dificilmente alguém consegue montar de volta um iPhone perfeitamente com uma tela quebrada. Então, a regra de ter que trocar primeiramente a peça quebrada, que de alguma forma interfere na troca da bateria, é perfeitamente plausível.

O que não dá para entender é considerar um pequeno amassado (que não interfere em absolutamente nada na remontagem do aparelho) como algo que deve ser resolvido antes da troca da bateria. E foi isso que aconteceu com o Josh Landsburgh, conforme informou a BBC. Ele enviou o aparelho para a Apple pelo correio e recebeu a resposta que só poderia trocar a bateria caso pagasse £200 (cerca de R$970) para resolver o problema do pequeno amassado.

Eles estão tentando reconquistar a confiança e voltam para você com: “Dê-nos mais dinheiro do que você pretendia inicialmente.” Eu acho que é chocante, eles têm dinheiro suficiente, eles são a Apple.

Algo ainda pior aconteceu com David Bowler. O telefone dele estava funcionando sem nenhum problema — tirando a bateria, que estava velha. Mas a Apple afirmou que havia danos dentro do telefone — mais especificamente no microfone e no alto-falante frontal, que estariam com defeito. Para resolver, ele teria que pagar £250 (cerca de R$1.210); aí, sim, o telefone ficaria apto para a troca da bateria.

Publicidade

Tanto Landsburgh quanto Bowler desistiram de trocar a bateria com a Apple e optaram por assistências técnicas terceirizadas. Adivinhe! As baterias foram trocadas sem nenhum problema (o amassado aparentemente não atrapalhava em nada e o microfone/alto-falante, segundo a pessoa que fez a troca, estava em perfeitas condições).

O advogado Matthew Purcell disse que “os consumidores estão ficando irritados porque no momento em que a Apple deveria estar reconstruindo a confiança, parece que eles estão colocando barreiras no caminho das pessoas para consertarem seus telefones”.

iPhone 6s Plus desmontado pela iFixit

Publicidade

Seria algo normal se estivéssemos falando de dois casos isolados (afinal, todas as empresas estão sujeitas a erros assim). O problema é que alguns leitores de alguns sites os quais comentaram tal notícia (como o 9to5Mac) já levantaram a mão dizendo que algo similar está acontecendo também com eles.

Ou seja, temos aqui duas opções:

  1. A Apple de fato errou nessas avaliações — mesmo que sejam “muitos” clientes, estamos falando de um percentual muito, mas muito baixo levando em conta os milhares/milhões de casos de troca de baterias;
  2. A empresa está dificultando o processo de troca de bateria propositadamente, a fim de lucrar mais.

Eu acredito muito que seja o primeiro caso, justamente pelo número de relatos assim que surgiram. Ainda assim, grupos que protegem os direitos de consumidores já estão de olhos abertos para o possível problema. Veremos o desenrolar dessa história.

Posts relacionados

Comentários

Carregando os comentários…