Apple investirá R$35 milhões em parceria para fundir alumínio de forma mais sustentável

A Apple está dando mais um passo em sua longa caminhada para se tornar um exemplo mundial de sustentabilidade. A empresa anunciou hoje que está investindo 13 milhões de dólares canadenses (aproximadamente R$35 milhões) em uma joint-venture batizada de Elysis, que traz um método inovador de fundição de alumínio o qual não emite monóxido de carbono ou quaisquer gases poluentes.

A Elysis é, em sua essência, uma colaboração entre duas das principais fornecedoras de alumínio do mundo, a Alcoa e a Rio Tinto; juntas, as companhias irão empregar e desenvolver ainda mais a tecnologia patenteada de fundição “limpa” do metal. A Apple afirmou que seu apoio foi determinante para o estabelecimento da parceria, que ficará sediada em Montreal, no Canadá, e contará também com investimentos dos governos canadense e da província de Québec.

Tim Cook compartilhou algumas palavras sobre a iniciativa:

A Apple está comprometida no avanço de tecnologias que são boas para o planeta, para ajudar a protegê-lo para as gerações que virão. Nós estamos orgulhosos de fazer parte desse novo e ambicioso projeto, e esperamos pelo dia em que poderemos usar, na montagem dos nossos produtos, alumínio produzido sem a emissão direta de gases do efeito estufa.

É bom notar que, mesmo com o investimento polpudo, a Apple não terá uma parte do controle da Elysis; em vez disso, a empresa deverá prestar consultas técnicas ao empreendimento e certamente terá preferência (e quem sabe um bom desconto) na aquisição do material quando ele estiver pronto para venda. O que é ótimo, considerando que o alumínio é um dos principais materiais empregados na fabricação de basicamente todos os produtos da Maçã.

Produção de alumínio na Elysis, consórcio com investimento da Apple
Produção de alumínio na Elysis, consórcio com investimento da Apple

Como o processo de fundição do alumínio que será empregado pela Elysis libera apenas oxigênio, a Apple terá mais uma carta gigantesca na manga na hora de vender a sua responsabilidade ambiental — e olha que é difícil superar a magnitude do último anúncio relacionado ao tema.

Falta saber, claro, quando é que a produção do material atingirá um ritmo acelerado o suficiente para que a Maçã comece a efetivamente utilizar o alumínio da Elysis nos seus produtos. Esperamos que não demore (e que a moda pegue), porque o planeta agradece.

Posts relacionados

Comentários