Apple atualiza as diretrizes da App Store e agora permite trials para qualquer aplicativo pago

Sem alarde, a Apple atualizou as Diretrizes de Revisão da App Store a tempo de os desenvolvedores começarem seus trabalhos para o iOS 12 (que foi anunciado ontem durante a keynote de abertura da Worldwide Developers Conference). Entre as mudanças, a Maçã implementou uma norma referente a períodos de testes e esclarece regras para serviços de multiplataformas — vide o Steam Link, que gerou polêmica nas últimas semanas.

Em consonância com os novos termos de privacidade e segurança de dados do usuário — no iOS 11.3 foram criados novos alertas específicos para quando um app requer informações pessoais — a Apple acrescentou um tópico nas diretrizes reforçando as medidas adequadas de segurança das informações do usuário. Os softwares devem seguir com o contrato de licença do programa de desenvolvedores e as diretrizes para impedir seu uso não-autorizado, divulgação ou acesso dos dados por terceiros.

Outra novidade nas diretrizes será certamente bem quista por todos os usuários: a Apple informa aos desenvolvedores como períodos de testes devem ser oferecidos, mesmo em aplicativos que não contêm assinatura. Até então, a possibilidade de experimentar gratuitamente um app por alguns dias era ofertada apenas para apps que exigem assinatura. 😊

Os aplicativos que não exigem assinatura podem oferecer um período de avaliação gratuita antes de apresentar uma opção de desbloqueio total dos recursos pagos, configurando um item não-consumível com preço 0 que segue a convenção de nomenclatura: “Avaliação de 14 dias”.

Antes do início da avaliação, seu aplicativo deve identificar claramente a duração, o conteúdo ou os serviços que não estarão mais acessíveis quando a avaliação terminar, além de todas as cobranças de downgrade que o usuário precisaria pagar pela funcionalidade total.

App Store

Enquanto isso, aplicativos que oferecem assinaturas de renovação automática estão proibidos — sob o pretexto de serem removidos da App Store — de tentar enganar usuários para que eles comprem uma assinatura com falsos pretextos ou sem obter a função exata que a compra deve fornecer.

Já com relação aos apps multiplataforma, a Apple esclareceu algumas diretrizes e implementou novas normas provavelmente para evitar situações como a do Steam Link, na qual o aplicativo de jogos para iOS foi aceito, a priori, pelo grupo de revisão da App Store e, em seguida, recusado por não seguir diretrizes de conteúdo gerado pelo usuário, compras no aplicativo, códigos de conteúdo, etc.

Serviços multiplataforma: os aplicativos que operam em várias plataformas podem permitir que os usuários acessem conteúdo, assinaturas ou recursos que adquiriram em outro dispositivo desde que esses itens também estejam disponíveis como compras no aplicativo para iOS. Você não deve direcionar os usuários do iOS diretamente ou indiretamente para usar um método de compra que não seja a compra no aplicativo e outros métodos de comunicação não devem desencorajar a compra interna do app.

A interface do usuário que aparece para o cliente não deve se parecer com uma visualização do iOS ou da App Store, não deverá ser usada uma interface semelhante a uma loja ou incluir a capacidade de navegação, selecionar ou comprar software que não foram comprados ou não são licenciados pelo usuário.

Entre outras normas, a Apple informa que os apps não podem mais incentivar usuários a desativar o Wi-Fi, desativar determinados recursos de segurança e fazer outras modificações nas configurações do sistema que não estão relacionadas à funcionalidade principal do aplicativo.

Todas as normas podem ser conferidas na página de Diretrizes de Revisão da App Store para desenvolvedores.

via 9to5Mac

Posts relacionados

Comentários