Poucos donos de alto-falantes inteligentes usam seus aparelhos para automação doméstica

O mercado de alto-falantes inteligentesHomePod incluído — é relativamente novo e, como todo segmento na sua infância, ainda não tem usos ou finalidades muito claras e certamente sofrerá muitas mutações ao longo dos próximos tempos. Basta ver o exemplo do Apple Watch, que começou como um minismartphone no seu pulso e, ao longo dos anos, foi transformando-se numa central de saúde com algumas funções de notificação.

Por isso, especialmente aqui, é importante analisar as pesquisas de uso dos aparelhinhos, como esta liberada pela IHS Markit.

Conduzido entre março e abril deste ano e englobando 937 donos de alto-falantes inteligentes nos Estados Unidos, no Reino Unido, no Japão, na Alemanha e no Brasil, o estudo revelou alguns padrões interessantes por parte dos usuários que já adotaram esse tipo de produto.

Pesquisa da IHS Markit sobre uso de alto-falantes inteligentes

Quando perguntados quais usos eles fazem dos seus alto-falantes inteligentes, quase a totalidade dos usuários citou dois deles: responder questões básicas do dia a dia e checar o tempo/as notícias. Outro uso muito mencionado pela amostra da pesquisa foi o de descobrir e controlar músicas, enquanto a funcionalidade de fazer ligações ou enviar mensagens veio em seguida, citada por cerca de 500 usuários.

Aproximadamente metade dos donos de smart speakers responderam que usam os aparelhos para descobrir ou controlar vídeo, enquanto uma porção bem menor citou um dos principais usos visados pelas fabricantes: o controle de dispositivos de automação doméstica como lâmpadas, termostatos, fechaduras e eletrodomésticos conectados. Também não se mostrou muito popular a opção de fazer compras com os aparelhinhos.

Apesar disso, a firma acredita que o uso dos alto-falantes para controlar sua casa subirá nos próximos tempos. É o que afirmou o analista Blake Kozak:

Apesar do baixo uso de alto-falantes inteligentes com outros dispositivos conectados, é só uma questão de tempo até que outros aparelhos do tipo entrem nas casas e os assistentes de voz tornem-se o seu meio principal de interação. A penetração adicional de dispositivos conectados será motivada por aparelhos de streaming, como o novo Fire TV Cube e outros alto-falantes agnósticos, como o Sonos Beam.

É bom notar que a pesquisa dividiu ainda as respostas por plataforma, separando a Siri da Google Assistente, da Alexa, da Cortana e companhia limitada; ainda assim, as proporções foram basicamente similares entre todos os cenários levantados pelos pesquisadores.

via MacRumors

Posts relacionados

Comentários