Como dominar os ajustes de privacidade do iOS e do macOS

Privacidade: ô palavrinha polêmica. Entre a eterna discussão sobre o quanto dela nós devemos entregar para termos uma vida digital funcional, chega a Apple com a promessa de que sim, é possível ter todos os recursos que se precisa no mundo online sem precisar abrir mão do seu direito a ser anônimo — ao menos em teoria.

O quanto disso é verdade, ninguém nunca saberá, mas uma coisa que todos podem (e devem!) conhecer como a palma das próprias mãos é a área de controles de privacidade dos seus dispositivos da Maçã, sejam eles Macs ou iTrecos. Sério: muita gente nunca sequer abriu a área de configuração referente a esses ajustes — se você é uma dessas pessoas, considere este artigo um incentivo e vamos juntos explorar todas as possibilidades que a Apple lhe dá (ou não dá) para deixar a sua presença online mais discreta.

No iOS

As configurações de privacidade do iOS são facilmente achadas no app Ajustes e trazem, logo de cara, uma lista de todas as permissões que o seu aparelho pode dar a aplicativos — isto é, acesso a aspectos como localização, câmera, fotos, mensagens, contatos e tudo mais ficam juntos em um só lugar.

Tocando “Privacidade” e depois em cada um dos itens, o sistema mostrará exatamente quais aplicativos pedem permissão para acessar aquele aspecto específico dos seus dados e você pode definir essas permissões individualmente — em alguns casos, como o da localização, as opções são ainda mais granulares, com a escolha entre acesso total, somente quando o app estiver ativo ou acesso negado.

Opções de privacidade no iOS

Descendo a lista de permissões, temos ainda dois aspectos importantes. O primeiro deles é “Análise”, onde o usuário define se o aparelho poderá fazer a captura dos dados de diagnóstico do sistema e dos seus dados e enviá-los para a Apple, numa ação que, segundo a empresa, melhorará a sua experiência. Em outras palavras, é aqui que você escolhe se cederá informações pessoais (incluindo dados de localização) para que a empresa “aprenda” mais sobre você e costure os seus serviços a essa maneira.

Nessa mesma tela, é possível controlar quais dados da análise serão coletados e se eles podem ser enviados a desenvolvedores, além de outros aspectos separados como análise dos dados do iCloud e de Saúde/Atividade.

Opções de privacidade no iOS

A segunda tela, localizada no fim da página, é referente às opções de “Publicidade” do iOS. Lá, você pode ligar uma função que limitará a publicidade rastreada direcionada a você — ou seja, o sistema analisará menos dados seus para lhe mostrar propagandas que possam interessar. É possível também redefinir o seu identificador, para que os seus dados coletados sejam “zerados” e passem a contar somente os enviados a partir daquele momento.

No macOS

No Mac, as coisas acontecem de forma um pouco diferente mas, no geral, todos os ajustes de privacidade podem ser encontrados em Preferências do Sistema » Segurança e Privacidade, acessando a aba “Privacidade”.

Opções de privacidade no macOS

Por lá, assim como no iOS, você pode controlar todos os itens de acesso que os aplicativos e serviços podem solicitar — todos ficam listados na caixa à esquerda. Clicando em qualquer um deles, você pode ver quais são os apps que estão autorizados (ou não) a acessá-lo.

Opções de privacidade no macOS

Novamente, o item “Localização” tem algumas opções extras: é possível ativar ou desativar os serviços de localização como um todo, bem como checar quais aplicativos pediram informações de local nas últimas 24 horas (eles estarão marcados com um símbolo específico). Nesse item, também, é possível clicar em “Detalhes”, na opção Serviços do Sistema, para marcar ou desmarcar quais deles você quer que tenham acesso ao seu local, como o ajuste de data e hora, o Buscar Meu Mac ou as sugestões baseadas em localização.

Opções de privacidade no macOS

Descendo a lista de itens, o campo “Análise” permite que você ative ou desative o envio de diagnósticos do desempenho do seu Mac para a Apple (lembrando que esses relatórios podem conter dados de localização) ou para os desenvolvedores, bem como a análise do iCloud, que foca no seu uso dos serviços de nuvem da empresa — todos os relatórios, segundo a empresa, são utilizados “para melhorar a sua experiência”.

Opções de privacidade no macOS

Por fim, clicando no botão “Avançado”, no canto inferior direito da tela, você tem acesso a algumas configurações extras: é possível configurar um tempo máximo de inatividade até que a sua sessão seja finalizada (mesmo que o Mac permaneça ativo e com a tampa aberta), solicitar a exigência da senha do sistema para acessar as preferências em qualquer circunstância ou, em modelos de Mac mais antigos que ainda contam com receptores infravermelhos (para o finado Apple Remote, por exemplo), desligar esse componente.

·   •   ·

E você, tem mais alguma dica para tirar o máximo das opções de privacidade oferecidas pela Maçã? Compartilhe as suas experiências logo abaixo. 😊

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários