Mercado de PCs volta a crescer em 2018; Macs ganham mais espaço

Da última vez que falamos aqui da situação da indústria de PCs (e, nesse post, quando eu falar “PC”, entenda como “computador pessoal” — ou seja, incluindo Macs), ela estava num momento não muito bom: ao longo de todo o ano de 2017, a venda de computadores caiu 0,2% em relação ao ano anterior. Os aparelhos da Maçã, por sua vez, tinham o que comemorar, pois nadaram contra a maré e viram um crescimento em suas vendas na comparação ano a ano.

Agora, o cenário é diferente: os Macs continuam crescendo, mas a indústria no geral também está — pela primeira vez em seis anos! — ganhando de volta uma tração, ainda que pequena.

Ontem, duas das maiores firmas de análise de mercado do mundo soltaram seus relatórios relativos ao segmento de PCs no segundo trimestre de 2018, indicando boas notícias para as fabricantes. A Gartner indicou um crescimento de 1,4% nas vendas mundiais de computadores nesse período em relação ao segundo trimestre de 2017, com a Lenovo (líder do mercado) e a Dell (terceira colocada) puxando a fila com mais força — elas tiveram crescimentos de 10,5% e 9,5% em vendas, respectivamente.

Pesquisa da Gartner sobre mercado de PCs, segundo trimestre de 2018

A Apple foi a quarta empresa que mais vendeu computadores no período, atrás das duas supracitadas e da vice-campeã HP. Seu crescimento na comparação ano a ano foi de 3%, com quase 4,4 milhões de Macs despachados no segundo trimestre desse ano.

Segundo Mikako Kitagawa, principal analista da Gartner, a volta de crescimento dos PCs se dá principalmente por conta do mercado corporativo; o distanciamento do público doméstico desse segmento, por sua vez, continua ocorrendo — e de forma ainda mais acentuada:

O crescimento das vendas de PCs no segundo trimestre de 2018 foi puxado pela demanda no mercado empresarial. No universo do consumidor doméstico, a estrutura de mercado fundamental (devido a mudanças no comportamento do usuário de PCs) continua a mesma, impactando o crescimento do setor. Os consumidores estão usando seus smartphones para ainda mais tarefas domésticas, como mídias sociais, agenda, pagamentos e compras, o que está reduzindo a necessidade por um computador pessoal.

·   •   ·

A IDC também liberou seu relatório acerca do mesmo período, que traz resultados no geral similares — embora com uma inversão nas posições das duas líderes, que pode ser explicada por um diferente método de análise. No gráfico, é interessante notar as tendências de crescimento ou queda de cada fabricante:

Pesquisa da IDC sobre mercado de PCs, segundo trimestre de 2018

É bom notar que nem a Gartner nem a IDC incluem iPads na contagem de computadores pessoais despachados pela Apple (o que é um tópico a ser discutido, já que os Surfaces entram na conta da Microsoft) — caso os tablets da Maçã estivessem na conta, a empresa conquistaria facilmente o primeiro lugar em ambas as listas. Por outro lado, Chromebooks também não são considerados pelas firmas, o que poderia fazer fabricantes como a HP e a Samsung saltarem algumas colocações.

via Cult of Mac, Apple World Today

Posts relacionados

Comentários