Mercado de smartphones cresce no Brasil, mas não para a Apple

De acordo com a pesquisa mais recente realizada pela Counterpoint Research, o mercado de smartphones no Brasil cresceu aproximadamente 2,3% durante o primeiro trimestre deste ano. No geral, o crescimento se deve à participação desse segmento na indústria brasileira, que foi responsável por 93% do total de remessas de aparelhos durante o mesmo período no país.

Como nem tudo são flores, a Apple não conseguiu aproveitar esse crescimento do mercado brasileiro. Na realidade, o estudo apontou que a participação (vendas) de iPhones no Brasil diminuiu — pouco (0,1 ponto percentual), mas diminuiu — quando comparado ao primeiro trimestre de 2017; porém, mesmo com a redução, a Maçã manteve o quarto lugar entre as principais fabricantes.

Quadro da porcentagem de vendas de smartphones no Brasil por fabricante

Para a Counterpoint, a estagnação das vendas de iPhones em terras tupiniquins estaria relacionada com o fim da produção do gadget no país, o que não é bem uma verdade. Há pouco mais de um ano os indícios de que a Foxconn, parceira da Apple no Brasil, iria encerrar as produções foram esclarecidas pela própria Maçã, que negou parar a produção de iPhones no país.

Além disso, a analista de pesquisas Parv Sharma disse que o mercado de smartphones só não cresceu mais devido às elevadas barreiras fiscais e o cenário já consolidado entre as principais fabricantes.

Devido às altas barreiras de entrada, o mercado brasileiro de smartphones está muito consolidado. As cinco maiores marcas de smartphones representaram quase 85% do total do mercado de aparelhos no primeiro trimestre de 2018. No entanto, a Huawei pretende desafiar esse cenário e está planejando entrar novamente no mercado em parceria com a fabricante brasileira de eletrônicos Positivo, na última parte do terceiro trimestre de 2018.

A Samsung abocanhou quase metade do mercado nacional de smartphones, com 45,6% das vendas. Entre as questões que levaram ao sucesso da gigante asiática no país estão a popularidade dos dispositivos — os quatro principais smartphones mais vendidos foram da Samsung e detinham cerca de 22% do mercado de smartphones —, a grande produção local e o alto investimento em marketing.

Outro fator contra a participação da Apple em território nacional apontado pela Counterpoint é que 80% dos smartphones comercializados por aqui custam até US$199.

via Patently Apple

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários

14 comments

  1. Continha basica aqui..

    Se antes eram vendidos 10 milhões de celulares por ano no brasil (exemplo) a apple tinha 5,8% disso, ou seja, 580.000 aparelhos…

    Agora o mercado como um todo de celulares cresceu 2,3% e foi pra 10.230.000 celulares vendidos.. a apple detém 5,7%.. ou seja 583.110 aparelhos..

    A apple em si cresceu 0,53% em valores de venda.. e como esse número é menor que o crescimento total, ela obviamente perdeu o market share..

    Ou seja, a apple aumentou as vendas sim..

  2. Eu acho este crescimento um verdadeiro milagre, mediante a estagnação tecnológica Hoje em dia um Smartphone lançado, não tem quase nada diferente do modelo anterior.

  3. Claro que Samsung vende mais, é mais barato e dura menos. O lançamento topo só custa caro na pré venda e ainda assim vem cheio de brindes. 6 meses depois fica bem mais barato que o iPhone (que demora a baixar, geralmente com o lançamento da nova geração)e 1 ano depois já fica em bons 2,5k, as vezes até menos. Porém né, durabilidade que é bom nada (ex proprietário de um Galaxy S4 e um S5 – esse é peso de papel atualmente) e suporte de pós venda horrível.

  4. Não da para levar essas pesquisa a sério, pelo menos para a Apple, boa parte de quem tem iPhone aqui, pega lá de fora… Eu só acho que um pais onde somente no 1° semestre recebeu Apple Pay, conversão de moeda no App Store, não está tão ruim na fita assim de números de dispositivos não…

  5. Claro que a Samsung abocanhou quase a metade, ela tem uma vasta linha de aparelhos (que nunca termina inclusive), de aparelho desde a R$ 500,00 até mais de R$ 4.000,00 já a Apple cobra preços exorbitantes, onde nessa crise financeira que a maioria das pessoas estão passando vão comprar um aparelho de R$ 7.000,00??? Piada né?

  6. “Apple manteve o quarto lugar”. huauahuhua.. Quarto lugar também conhecido como último lugar né, já que a positivo não da nem para considerar como principal marca.

  7. Alguém sabe quantos por cento desse market share da Sammy corresponde aos modelos flagship, que imagino serem os reais concorrentes dos iPhones?

  8. Como grande parte dos iPhone X vem de fora, é bem possível que a diferença dos iPhones comprados em terras estrangeiras em 2017 e 2018 seja maior que esse 0,1%… a pesquisa está certa, mas considerando a variável Trazer da Gringa, é bem possível que a Apple tenha crescido sim.

  9. A Apple está nem aí pro Brasil até porque boa parte que compra Apple ou trás de fora, ou compra de quem trás bem mais barato que o preço Brasil.
    No fim a Apple continua a lucrar…

  10. Quem compra LG? kkkkk

    Sou de reparar o celular da galera, e sempre vejo Motorola, Samsung ou Apple, raramente uma chinesa sem lojas por aqui, mas lg? piada

Deixe uma resposta