Novos testes comprovam o poder do novo MacBook Pro com o chip Intel Core i9

Na semana passada, o YouTuber Dave Lee instaurou uma nova polêmica envolvendo os recém-lançados MacBooks Pro apontando que, quando a máquina é configurada com um chip Intel Core i9, ela não consegue operar em potência máxima por muito tempo devido a um superaquecimento do Mac.

Posteriormente, atualizamos a matéria com base em testes realizados pelo AppleInsider e pelo 9to5Mac que confirmaram as suspeitas de Lee. O “problema” é que todos eles focaram-se muito na análise do clock do chip, em vez de observar a performance real da máquina, principalmente em operações pesadas como renderização e exportação de vídeos.

Jonathan Morrison, do canal TLDToday, foi quem colocou o novo MacBook Pro à prova com o maior número diferentes de testes e situações. Spoiler: em *todos* eles a máquina se deu muito bem, gerando resultados melhores que a versão i7 passada.

Outro que obteve resultados semelhantes foi Faruk Korkmaz, o iPhonedo, que só não ficou muito satisfeito com a performance do laptop no famoso jogo Fortnite:

Marques “MKBHD” Brownlee não focou-se tanto assim na polêmica em seu vídeo de hands-on, mas aproveitou para realizar um teste comparativo e também concluiu que o novo MacBook Pro é cerca de 15% mais rápido que o anterior:

Em paralelo a tudo isso, durante o fim de semana a Intel retirou do ar temporariamente o seu utilitário Power Gadget para Mac — justamente o software utilizado por todos os YouTubers para medir o clock do MacBook Pro em tempo real. É bem possível que a necessidade de um update tenha a ver com toda essa polêmica; quem sabe a Intel encontrou um bug ali, vai saber.

A Intel, por sinal, pode ter grande parte da culpa nisso tudo — até porque há laptops da Dell que sofrem exatamente da mesma coisa com seu chip i9.

No geral, está claro que Apple e Intel precisam fazer algo para melhorar isso — nem que seja ligar mais frequentemente as ventoinhas do MacBook Pro para ajudar no seu resfriamento. O poder do i9 está comprovado, mas ninguém duvida que ele trabalha bem quente e que o chassi de alumínio superfino do MacBook Pro não contribui muito para tal…

Posts relacionados

Comentários