Testes comprovam que o patch da Apple resolve os problemas de MacBooks Pro com o chip Core i9

Tudo indica que acabamos ver o surgimento e o fim de um dos #gate mais rápidos da história da Apple.

Vamos a uma cronologia: os novos MacBooks Pro foram anunciados no último dia 12; os primeiros benchmarks, positivos, pintaram no dia 16; dois dias depois, porém, um vídeo do YouTuber Dave Lee instaurou a polêmica sobre a performance do modelo com o chip Intel Core i9; no dia 23, contudo, mostramos que mesmo com a inconsistência do clock e superaquecimento da máquina, testes reais de performance ainda eram muito bons; ontem, dia 24, saiu uma atualização com a correção do problema.

Até ontem, a Apple nem sequer havia se pronunciado oficialmente sobre o assunto. Seria supernormal, dentro dos padrões da indústria, que ontem tivéssemos visto apenas uma declaração dela afirmando que tomou conhecimento do problema e estaria “investigando a causa”. Mas não: em menos de uma semana, a Apple já soltou uma correção definitiva para isso.

A primeira a publicar resultados pós-atualização foi a Macworld:

Antes do patch, o MacBook Pro de 2018 com i9 já era 11% mais rápido que o i7 do ano passado; após o patch, ele ficou 20% mais rápido. E isso com o Adobe Premiere Pro, que não é o software mais otimizado para esses testes.

O próprio Lee já tinha indicado a melhoria, também pelo Twitter:

E ele já publicou um vídeo atualizado:

Após a correção da Apple, o MacBook Pro de Lee gerou resultados de um teste no Premiere Pro até melhores do que quando ele tinha colocado o laptop dentro de um freezer, antes.

Outro que também realizou novamente inúmeros testes comparativos e em quase todos eles notou melhorias significativas foi Faruk Korkmaz, do canal iPhonedo:

O mais importante a notar disso tudo é que o patch realmente resolve o problema que causava uma enorme instabilidade no clock do chip i9, bem como faz as ventoinhas do MacBook Pro operarem de forma mais eficiente. Tudo isso ainda mantendo a máquina bastante silenciosa, que certamente é uma qualidade de qualquer Mac.

Bom, taí. Aos que optarem agora por gastar US$300 mais para trocar o chip Core i7 de 2,6GHz (Turbo Boost até 4,3GHz) do novo MacBook Pro por um Core i9 de 2,9GHz (Turbo Boost até 4,8GHz), já sabem que com esse update a máquina trabalhará como esperado. Fim de papo.

Posts relacionados

Comentários