HomePod cresce e já tem 6% do mercado americano de alto-falantes inteligentes

Da última vez que comentamos aqui sobre o mercado americano de alto-falantes inteligentes, o HomePod não estava indo tão bem — ainda que tivéssemos de considerar que a caixinha de som da Maçã tinha acabado de ser lançada, uma penetração de apenas 3% nos lares dos Estados Unidos parecia simplesmente pouco. Bom, agora sabemos que o novelo de algodão da Maçã ao menos está avançando.

De acordo com uma pesquisa da Consumer Intelligence Research Partners (CIRP), o universo de alto-falantes inteligentes nos lares americanos já chega à casa das 50 milhões de unidades; nesse meio, os dispositivos da Amazon dominam com força e representam 70% do mercado — o que é até esperado, considerando que a gigante de Jeff Bezos basicamente inaugurou o segmento e já estava nele dois anos antes de suas concorrentes sequer apresentarem produtos.

Seguindo-se à gigante do varejo, o Google tem 24% do mercado americano de alto-falantes inteligentes enquanto a Apple basicamente dobrou sua participação, com uma fatia de mercado de 6% — o que significa que Cupertino já teria despachado ao menos 3 milhões de HomePods desde o seu lançamento, apenas nos EUA.

A CIRP, entretanto, nota dois fatores importantes: o primeiro é que tanto a Amazon quanto o Google apresentam opções de baixo custo no segmento, o que pode ameaçar um possível crescimento ainda maior da Apple por aqui (a não ser que a Maçã também apresente um produto do tipo, o que não é improvável).

O segundo é que as duas concorrentes de Cupertino têm como base do seu marketing a ideia de que o consumidor deve comprar múltiplas unidades dos seus alto-falantes para posicionar em diferentes locais de suas casas, o que aumenta, naturalmente, a fatia de mercado de cada uma. A Apple até fala dos benefícios de ter mais de um HomePod, mas não põe isso como um fator primordial na sua publicidade — e nem poderia, considerando o preço elevado do produto.

Um aspecto não citado pela CIRP é que, mesmo com uma fatia ainda pequena no segmento, a Apple deve abocanhar uma parcela bem mais considerável do lucro gerado pelo setor. É o jeito da Maçã de ser, afinal — será que ela tem condições de crescer mais? Veremos.

via AppleInsider

Posts relacionados

Comentários