Será que a Apple deveria adicionar um Modo de Pouca Energia no macOS?

Há alguns anos, a Apple introduziu um recurso que “salvou a vida” de muitos usuários de iPhones e iPads ao redor do mundo — especialmente aqueles que gostam mais de, digamos, viver perigosamente e/ou longe de tomadas.

O Modo de Pouca Energia (Low Power Mode) desliga algumas opções de conectividade do aparelho e manda o processador baixar a bola para dar aqueles minutinhos extras que você precisa para chamar um Uber, checar uma informação ou mesmo rolar mais alguns tweets no seu dispositivo. Mas será que os Macs também merecem algo do tipo?

Essa é a ideia do desenvolvedor Marco Arment, que escreveu um artigo no seu blog com vários argumentos deveras convincentes falando sobre tal possibilidade.

De acordo com Arment, um Modo de Pouca Energia no macOS funcionaria em algumas frentes: ele desligaria a GPU dedicada nos modelos equipados com uma (a não ser para tarefas em que elas são necessárias, como conexão a um monitor externo), pausaria a sincronização/análise de fotos e a indexação do Spotlight, reduziria a frequência dos backups e não instalaria ou baixaria atualizações ou conteúdo do iTunes e da App Store. Além disso, aplicativos de terceiros poderiam detectar quando o modo estivesse ativo e, com isso, reduzir sua atividade em segundo plano apenas para tarefas essenciais.

O ponto mais importante da possível ferramenta, entretanto, estaria no próprio processador das máquinas: um Modo de Pouca Energia que se prezasse no Mac teria de, segundo Arment, desligar o modo Turbo Boost dos chips Intel e reduzir a sua potência máxima. Utilizando o aplicativo Volta, o desenvolvedor fez alguns testes com seus Macs, registrando o tempo de bateria com o processador rodando normalmente ou com restrições de performance.

Vejam os resultados:

Teste de bateria em Macs com limitador de performance (Marco Arment)


Teste de bateria em Macs com limitador de performance (Marco Arment)

Obviamente, as restrições fazem o seu Mac rodar mais lentamente — basta ver, na última coluna das tabelas acima, o tempo que os Macs levaram em cada cenário para rodar um determinado script utilizado por Arment. Ainda assim, o desenvolvedor afirmou que essa seria uma troca que ele faria com felicidade em momentos de pouca bateria e nenhuma tomada por perto — e eu acredito que muitos concordariam com ele.

Enquanto a Apple não introduz uma solução própria para a questão (se é que ela o fará um dia, isto é), Arment recomendou que usuários preocupados com suas baterias utilizem o app Turbo Boost Switcher Pro, que desliga o pico de performance nos processadores Intel para economizar aqueles décimos de bateria importantíssimos para as próximas horas de trabalho.

E vocês: usariam um recurso desse tipo? Há real necessidade? Deixem suas opiniões logo abaixo.

via MacStories

Posts relacionados

Comentários