Analistas apostam em futuros iPhones ainda mais caros!

Há anos, os valores dos aparelhos flagship de algumas marcas, como Apple e Samsung, são proibitivos no Brasil. Mas a verdade é que nem sempre foi assim. Analisando os preços lá fora, por muito tempo os iPhones custaram menos de US$1.000. Aí veio o iPhone X e quebrou essa “barreira”. Ainda que o valor cobrado pelo iPhone mais desejado seja bastante criticado em diversos mercados, o fato é que os números das vendas estão aí para comprovar que as pessoas estão dispostas a pagar esse preço — e, talvez, esse seja apenas o início dessa “nova” era de preços, que tende a aumentar.

Como falei, a Apple não está sozinha nesse cenário. Outras fabricantes de smartphones também vêm aumentando os valores cobrados por seus dispositivos a cada novo lançamento, incluindo a Huawei e até a “defensora” dos valores justos, a OnePlus. Nesse ínterim, o custo dos dispositivos Galaxy, da Samsung, subiram (em dólares) 15,1% (do Galaxy S7, em 2016, para o atual Galaxy S9), enquanto os aparelhos da OnePlus já sofreram aumentos de quase 33%.

Tabela: aumento dos valores cobrados por smartphones 2016-2018

De acordo com o analista Ben Wood, chefe de pesquisa da CCS Insight, o preço dos smartphones cresceu também graças ao valor que é dado a eles. Nesse sentido, sabemos que os iPhones são muito bem quistos e desejados em diferentes regiões; então, a tendência dos valores de muitos desses aparelhos é subir, como já estamos acompanhando. Apesar de parecer caótico, esse cenário não indica o possível futuro de todos os dispositivos que serão lançados — mesmo para a Apple. Segundo o analista da International Data Corporation (IDC) Anthony Scarsella, modelos topo-de-linha serão, obviamente, os principais responsáveis pelo grande aumento dos preços.

É claro que nem todo desse processo ocorre devido a uma questão subjetiva, como o quanto você gosta de um aparelho ou marca. O crescente aumento dos preços é dado, também, devido ao uso de componentes cada vez mais caros, como processadores mais rápidos e câmeras melhores (como o sistema TrueDepth do iPhone X), conforme notou Carolina Milanesi, analista da Creative Strategies. Além disso, o investimento em pesquisa e desenvolvimento aplicado nesses componentes também é incluído no produto final — e a Apple está investindo mais a cada ano.

Certamente, há mais nesses telefones do que nunca. O [custo de materiais] está crescendo para esses dispositivos, mas eu acho que existe uma “margem premium” aplicada pelas fabricantes aos seus produtos flagship, porque eles são símbolos de status.

Milanesi completou ainda dizendo que, enquanto os smartphones forem o nosso principal dispositivo de computação durante todo o dia (cenário que, pelo menos a médio prazo não deverá mudar), os consumidores deverão estar dispostos a gastar mais. Dessa forma, ao começar a cobrar US$1.000 pelo iPhone X, a Apple não só estabeleceu uma nova base de preço para si, mas para todo o setor de telefonia móvel.

Com a aproximação da temporada de lançamentos da Maçã, em setembro, a Apple possui (grandes) chances de relembrar uma antiga tendência, que mais do que nunca será fundamental para a grande adesão da próxima linha de iPhones: de acordo com rumores, a Apple deverá lançar um modelo intermediário do gadget (como fez com o iPhone 5c), que poderá custar menos do que outros modelos os quais terão especificações mais robustas. Entre eles, o “iPhone X Plus” que, além de uma tela OLED1 maior (de 6,5 polegadas), deverá ser o modelo flagship desta linha. Para Wood, a previsão é que o sucessor do iPhone X custe US$1.200 e que, inicialmente, as pessoas comentem o quanto estão indignadas pelo valor cobrado; silenciosamente, porém, essas mesmas pessoas vão comprar o aparelho.

Caso isso realmente aconteça, nunca é tarde para relembrar: não culpe a Apple por um iPhone tão caro e nem as pessoas por comprá-lo. A questão aqui não é culpa. Adapte o seu uso e seja complacente com suas necessidades. As opções estão aí e a Maçã já deixou bem claro que os seus produtos são destinados àqueles que estão dispostos a pagar por eles.


iPhone X

iPhone X

de Apple

Preço à vista: a partir de R$ 6.299,10
Preço parcelado: em até 12x de R$ 583,25
Cores: cinza espacial e prateada
Capacidades: 64 GB ou 256 GB
Lançamento: setembro de 2017

Botão - Comprar agora

via CNET

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários