Dois livros que abordam diferentes lados de Steve Jobs são lançados

Há algumas semanas, comentamos duas obras aguardadas por fãs do universo da Apple. O primeiro é o livro do ex-funcionário da Maçã e criador do teclado do iPhone, Ken Kocienda, chamado “Creative Selection”; o segundo é o livro de memórias da filha de Steve Jobs, Lisa Brennan-Jobs, chamado “Small Fry”.

Agora, as duas obras estão disponíveis e, nelas, os autores analisam — cada um através da sua perspectiva — suas relações com Steve Jobs.

“Creative Selection”

Livro de Ken Kocienda

Na obra de Kocienda, o ex-engenheiro de software da Apple apresenta um olhar dentro do design da Apple através do seu envolvimento com um dos momentos mais importantes da história da companhia: o lançamento do primeiro iPhone. Além disso, ele define sete “elementos” que considera essenciais para o sucesso da Apple no desenvolvimento dos seus softwares (“inspiração”, “colaboração”, “habilidade”, “diligência”1, “determinação”, “gosto” e “empatia”).

Kocienda descreve como cada um desse itens contribuiu para a busca incansável da Apple por ideias e soluções inovadoras que acabaram cativando milhões de clientes ao redor do mundo. Além disso, ele relata cronologicamente diferentes eventos desde quando se juntou à Apple, em 2001, até os dias anteriores à sua saída da companhia, 15 anos depois, como a criação do Safari, o desenvolvimento do app Mail e do teclado original do iPhone.

Apesar de nunca ter tido a oportunidade de demonstrar o seu trabalho com o teclado do iPhone para Jobs, Kocienda teve essa chance várias vezes quando foi desenvolver o teclado para o primeiro iPad. O autor compartilha a experiência dessa demonstração no primeiro capítulo do livro, descrevendo como ele havia planejado oferecer aos usuários a capacidade de escolher entre um teclado semelhante ao do Mac e outro similar ao do iPhone.

Ele se virou para olhar diretamente para mim.

“Nós só precisamos de um desses, certo?”

Não é o que eu estava esperando. Eu acho que posso ter engolido com força. Steve ainda estava olhando para mim e, então, com um meio encolher de ombros, eu disse: “Sim… eu acho que sim.”

Steve me arrumou um pouco e perguntou: “Qual você acha que devemos usar?”

[…]

Steve continuou olhando para mim enquanto eu pensava na minha resposta. Ele nunca moveu os olhos para ninguém ou qualquer outra coisa. Ele estava completamente presente. Lá estava ele, considerando seriamente minha ideia sobre o próximo grande produto da Apple. Foi emocionante. Ele pensou por alguns segundos sobre o que eu tinha acabado de dizer e o que ele tinha visto no iPad. Então, ele anunciou o veredito de demonstração.

“Ok. Nós vamos com as teclas maiores.”

“Creative Selection” está disponível na iBooks Store (R$50) e na Amazon (ebook, também R$50). O audiolivro está disponível na Audible (R$80).

“Small Fry”

Capa de "Small Fry", livro de memórias de Lisa Brennan-Jobs sobre Steve Jobs

Em seu livro de memórias, Lisa relembra a conturbada relação com seu pai — que não assumiu a paternidade dela até a adolescência — e os constantes problemas enfrentados por ela e sua mãe, Chrisann Brennan. Lisa viveu com Jobs durante toda a adolescência e, na obra, alega que ele a chantageou emocionalmente para manipulá-la. Além disso, quando ela começou a mostrar independência, ele a acusava de não querer fazer parte da família.

Ao longo do livro, Lisa relata insinuações, mágoas, desprezos e rejeições, bem como detalhes mais íntimos. Ela detalha ainda a polêmica em torno do seu nome — Jobs se recusou a admitir que havia nomeado o primeiro computador da Apple em homanagem a ela. Anos mais tarde, o fundador da Maçã admitiu para Bono, vocalista da banda U2, que essa era a razão do nome “Apple Lisa”.

Nascida em uma fazenda e nomeada em um campo pelos pais, a infância de Lisa Brennan-Jobs — filha de Chrisann Brennan e Steve Jobs — se desenvolveu no Vale do Silício em rápida transformação. Quando ela era jovem, o pai de Lisa era uma figura mítica que raramente estava presente em sua vida. Quando ficou mais velha, seu pai se interessou por ela, levando-a a um novo mundo de mansões, férias e escolas particulares. Sua atenção era emocionante, mas ele também podia ser frio, crítico e imprevisível. Quando o relacionamento dela com a mãe se complicou no Ensino Médio, Lisa decidiu morar com o pai, esperando que ele se tornasse o pai que ela sempre quis que ele fosse.

Em uma passagem forte, Lisa destaca que, quando sua mãe pediu que Jobs lhe comprasse uma casa, ele visitou o local e depois comprou-a para si e sua nova esposa, Laurene Powell Jobs. Para o StarTribune, a obra é uma leitura terrivelmente triste e um livro de memórias “de uma mulher que ansiava por aceitação e amor paterno de um homem que era incapaz de dar”.

“Small Fry” está à venda na iBooks Store americana (US$26) e na Amazon por R$108 (livro físico) ou R$42 (versão para o Kindle).

via AppleInsider

Posts relacionados

Comentários