Serviço Plex Cloud será descontinuado no fim de novembro

Sempre que escrevo sobre o Plex, me vêm à cabeça o quão pouco reconhecido ele é para uma ferramenta tão boa em organizar sua biblioteca própria de conteúdo multimídia (e oferecer acesso a ela em basicamente qualquer dispositivo). Bom, infelizmente nem tudo são flores e, às vezes, recursos importantes da plataforma não ganham a tração necessária para vingar. É o caso do Plex Cloud.

Para quem não se lembra (falamos da sua chegada há cerca de um ano e meio), o Plex Cloud é uma ferramenta da plataforma disponível para todos os assinantes do plano pago Plex Pass, de US$5, que dispensaria a necessidade de ter um computador atuando como servidor, permitindo que você simplesmente passasse toda a sua biblioteca para um serviço de nuvem e acessasse seus filmes, séries, músicas, fotos e afins de qualquer lugar sem a necessidade de ter uma máquina ligada e conectada à internet perpetuamente.

Infelizmente, entretanto, o recurso está sendo descontinuado e vai ser definitivamente fechado no dia 30 de novembro, como anunciou o time de desenvolvimento do Plex nos seus fóruns oficiais. Na verdade, a notícia já era meio que esperada: em fevereiro, o serviço deixou de aceitar a adição de novos servidores remotos ao Plex Cloud, numa clara indicação de que o recurso não estava no melhor dos estados; vários problemas técnicos foram encontrados por usuários desde então.

A justificativa para o encerramento é que, segundo os desenvolvedores, não foi possível encontrar uma forma de equilibrar uma performance razoável do recurso com a manutenção dos seus custos de operação — portanto, em vez de baixar o (alto) padrão pelo qual o Plex é conhecido, foi tomada a “difícil decisão” de puxar a tomada do Plex Cloud.

Na prática, a partir do dia 30/11 os usuários do Plex Cloud não mais poderão acessar seus servidores remotos; os desenvolvedores pedem que os usuários transfiram seus arquivos de mídia para o Plex Media Server em um computador ou NAS (Network-Attached Storage). Seus arquivos nos serviços de nuvem, claro, continuarão intactos — o Plex, afinal, não tem qualquer influência sobre dados do Dropbox, do Google Drive ou do OneDrive e só você poderá movê-los ou apagá-los de lá.

De qualquer forma, é uma pena.

via The Verge

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários