iPhones e Watches escapam de novos impostos nos EUA; mas isso poderá mudar

A guerra comercial entre Estados Unidos e China continua e ontem (17/9) avançou para a segunda fase, como divulgou pela Casa Branca em um comunicado. A decisão surtirá efeito a partir do dia 24 de setembro, quando ainda mais produtos chineses importados para os EUA receberão uma tarifa adicional de 10% até o fim deste ano, afetando mais de US$200 bilhões de produtos importados.

Ainda que a nova lista de produtos tarifados não inclua alguns dos principais gadgets da Apple, a companhia se preocupa com o rumo que esse embate comercial poderá tomar. Nesse sentido, a Maçã enviou uma carta ao Office of U.S. Trade Representative (USTR, isto é, o Escritório do Representante Comercial dos EUA) pedindo que o governo “reconsidere essas medidas e trabalhe para encontrar outras soluções mais eficazes que deixem a economia dos EUA e o consumidor mais fortes e saudáveis do que nunca”.

Como dissemos, a nova “onda” de tarifas da administração de Trump não vai afetar alguns produtos da Apple. Notavelmente, o iPhone, o Apple Watch — juntamente a vários outros smartwatches e rastreadores de exercícios físicos — e os AirPods não foram vistos na lista, como informou a Bloomberg. No geral, mais de 300 linhas de produtos, incluindo alguns dispositivos individuais, não serão tarifados neste mês.

Por outro lado, alguns dispositivos da Apple como o HomePod, os fones de ouvido da Beats e os quase finados AirPorts serão tarifados na nova fase — o que era esperado desde julho passado, quando o governo americano divulgou uma lista preliminar. O valor das importações desses produtos da China é de cerca de US$12 bilhões, de acordo com uma das fontes da Bloomberg.

A China disse que irá retaliar “dólar por dólar” a nova onda de tarifas com impostos sobre produtos importados para o país; Trump já ameaçou o governo chinês e disse que partirá para o próximo nível, no qual as tarifas serão estendidas para US$267 bilhões de produtos importados — e, aí, poderá incluir iPhones, Apple Watches e outros produtos da Maçã.

Depois da carta enviada pela Apple à administração de Trump, o presidente dos EUA disse em um tweet que havia uma “solução fácil” para a Apple evitar as tarifas.

Os preços da Apple podem aumentar por causa das tarifas massivas que podemos estar impondo à China – mas há uma solução fácil em que haveria imposto ZERO e, na verdade, um incentivo fiscal. Faça seus produtos nos Estados Unidos em vez da China. Comece a construir novas fábricas agora. Emocionante!

Eventualmente, não só os EUA ou a China sentirão os efeitos dessa guerra comercial. Vamos esperar que, assim como Tim Cook disse durante uma cúpula em Pequim no começo do ano, “cabeças calmas prevaleçam” nesse imbróglio.

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários