3D Touch poderá ser usado para medir a pressão sanguínea

Na semana passada, fomos apresentados ao Apple Watch Series 4 que, conforme destacamos, conta com um novo sensor capaz de realizar um eletrocardiograma (EGC) — já liberado pela Food and Drug Administration (FDA), a “Anvisa americana”.

Para conseguir a liberação da FDA, a Apple teve que fornecer dados de um estudo que comprovava a eficácia do novo sensor, além de provar que ele não oferece risco para a saúde do usuário. Nessa pesquisa, a companhia mostrou que o novo Watch possui cerca de 98% de precisão na detecção da fibrilação atrial, uma das principais causas de insuficiência cardíaca e acidentes vasculares cerebrais (AVC).

Além da Maçã, outras fabricantes também estão implementando cada vez mais recursos voltados para a saúde dos seus clientes em gadgets, com os smartwatches e os relógios híbridos no topo dessa linha de produtos. Até mesmo os acessórios para esses dispositivos são cada vez mais voltados para a atenção com a saúde, como a KardiaBand, uma pulseira para o Watch que consegue detectar episódios de fibrilação atrial e até de hipercaliemia.

É natural dizer que as fabricantes e os pesquisadores da área da saúde vão continuar desenvolvendo produtos e técnicas que avancem ainda mais na prevenção de doenças, principalmente relacionadas com o coração. Conforme divulgado pelo Wall Street Journal1, em breve será possível realizar a leitura da pressão sanguínea por meio do iPhone e do Apple Watch, usando — vejam só — o 3D Touch.

Basicamente, uma equipe de pesquisadores desenvolveu um aplicativo para o iPhone X que orienta o usuário a apoiar seu dedo em uma região da tela para calcular a pressão sanguínea. O método, chamado oscillometric finger pressing (ou pressão oscilométrica do dedo, em tradução livre), é capaz de medir a amplitude das oscilações do volume de sangue através da pressão aplicada pela pessoa na tela e dos sensores da câmera frontal TrueDepth (presente nos iPhones X, XS e XR).

Teste de pressão sanguínea no iPhone X

Como era de se esperar, os resultados obtidos no aplicativo foram menos precisos quando comparados com o teste tradicional, no qual a medição é feita no braço. Contudo, o pesquisador Dr. Mukkamala afirmou que o resultado é equivalente àqueles de dispositivos que utilizam a mesma técnica, ou seja, que medem a pressão sanguínea a partir do dedo — alguns desses produtos foram, inclusive, liberados pela FDA para essa medição, mas são usados principalmente em pesquisas.

Apesar de ter sido criado para o iPhone, o app poderia ser utilizado igualmente no Apple Watch, que também possui a tecnologia 3D Touch (porém, nele, chamada de Force Touch). Outra esperança destacada pelo WSJ é de que a Apple desenvolva uma tecnologia para medir o nível de açúcar no sangue de forma não-invasiva, algo fundamental para pessoas diagnosticadas com diabetes — todavia, alguns especialistas disseram que essa é uma proposta mais complicada.

via 9to5Mac

Posts relacionados

Comentários