Apple doa 1.000 Watches para estudos sobre compulsões alimentares

A Apple continua com iniciativas para colocar o seu smartwatch como a solução moderna mais acessível para consumidores cuidarem da saúde e do próprio bem-estar — iniciativas, aliás, que ocorrem em várias frentes, desde a estratégia publicitária até a colaboração da empresa com instituições médicas em pesquisas e testes.

Hoje, mais uma ação nesse último sentido foi trazida pela CNBC: a Maçã doou 1.000 unidades do Apple Watch para o grupo BEGIN (Binge Eating Genetics Initiative, ou Iniciativa para Genética da Compulsão Alimentar), equipe de pesquisadores liderada por professores da Universidade da Carolina do Norte que iniciará um grande estudo sobre possíveis causas dos fenômenos de compulsão alimentar.

Os estudos envolverão 1.000 participantes de 18 anos ou mais que sofrem com problemas de compulsão alimentar, sejam eles avulsos ou acompanhados de sessões de exercício ou eventos de indução ao vômito — o que caracteriza a bulimia nervosa. Cada participante receberá um Apple Watch e, com ele, pesquisadores poderão acompanhar os padrões cardíacos dos pacientes antes e depois de cada evento da compulsão, gerando hipóteses e levantando dados.

Além do acompanhamento dos especialistas, os participantes usarão um app chamado Recovery Record; nele, será possível registrar ocorrências, pensamentos, sentimentos e o que mais puder ajudar os pesquisadores a combinar os dados coletados com os padrões psicológicos e de comportamento dos pacientes.

O intuito da pesquisa é, eventualmente, desenvolver algum tipo de sistema que preveja episódios de compulsão alimentar antes que eles apareçam e avisar aos usuários de antemão, oferecendo opções para que eles evitem ou minimizem seus efeitos. A ideia é realmente ótima — fica aqui a torcida para que dê tudo certo.

via MacRumors

Posts relacionados

Comentários