Durabilidade do iPhone XR é colocada à prova em testes de queda

Como de costume, após um novo iPhone ser lançado e a euforia inicial acerca do design, da velocidade e do desempenho terem “passado”, algumas figuras da internet e empresas de reparo capturam o sofrimento dos gadgets nos famosos testes de queda, que comparam a resistência dos iPhones entre si ou com dispositivos de outras fabricantes.

Naturalmente, o protagonista da vez é o iPhone XR, lançado oficialmente na última sexta-feira (26/10). Como sabemos, algumas características de acabamento do gadget permitiram o “barateamento” do preço final do dispositivo em relação aos iPhones XS e XS Max, como o display de LCD1 (em vez de um OLED2), a câmera traseira simples (em vez de dupla) e o acabamento lateral em alumínio (no lugar de aço inoxidável).

No mais, o vidro da parte frontal do dispositivo é o mesmo dos modelos flagships — apesar de a Apple não especificá-lo, é provável que seja o Gorilla Glass 6. Sem mais delongas, vamos ver quais foram os resultados — ou melhor, estragos?

Para conhecer a durabilidade do iPhone XR, o canal EverythingApplePro foi o primeiro a colocar o dispositivo em uma série de testes de queda, comparando os resultados com um iPhone 8, que passou pela mesma prova. Durante o teste, o aparelho se saiu relativamente melhor do que o iPhone 8 — os primeiros estragos visíveis foram vistos nas laterais do XR, como arranhões e amassados.

Ambos os dispositivos saíram ilesos de uma série de quedas mais curtas, mas o iPhone 8 literalmente morreu quando caiu com a tela voltada para o chão de uma altura maior. Surpreendente (ou não), o iPhone XR sobreviveu a esses testes e só teve o vidro frontal e traseiro rachado após cair da altura (bem) maior. Vale notar inclusive que, no último teste, o iPhone XR travou completamente (tela e botões) por alguns segundos, mas logo voltou à vida.

Já a SquareTrade foi categórica nos seus testes e afirmou que a tela do iPhone XR é tão quebrável quanto a do XS. Dessa vez, no entanto, eles não podem culpar o OLED por quebrar logo no primeiro teste; bem como a traseira do aparelho, que estraçalhou após cair de cerca de 1,8m. Assim como nos testes do iPhone XS, a tela ficou inutilizável após a queda.

Ao contrário do iPhone XS, o XR aguentou mais pressão aplicada sobre ele no teste de flexão, no qual o aparelho “dobrou” com a força de 260 libras (11,7 quilos) e não quebrou, assim como o iPhone XS Max; já o XS quebrou a 250 libras (11,3 quilos).

A CNET também colocou o iPhone XR à prova e os resultados foram menos surpreendentes que os anteriores, já que o dispositivo se manteve ileso até a terceira queda. Para que isso acontecesse, no entanto, a apresentadora do vídeo soltou o iPhone de forma que ele caísse com a tela voltada para o chão, o que não acontece na maioria das vezes (já que a parte traseira é mais pesada e acaba virando o dispositivo).

Por fim, o canal JerryRigEverything rabiscou e flexionou o iPhone XR para verificar a durabilidade da tela e do acabamento em alumínio do dispositivo. Durante o teste, o apresentador criticou a Apple por cobrar US$750 por um dispositivo que usa materiais de cinco anos atrás e mostrou que, apesar de mais eficiente, o processo de anodização do alumínio ainda deixa o gadget mais suscetível a arranhões.

·   •   ·

Sabemos que, a cada ano, os dispositivos tendem a ficar mais resistentes — seja à poeira, à água ou às próprias intempéries do dia a dia. Ainda assim, o uso de proteção é recomendado pois acidentes acontecem — e falo por experiência própria pois, após usar um iPhone quebrado, ele perde grande parte da sua magia.

via 9to5Mac, MacRumors

Posts relacionados

Comentários