Apple cai abaixo do US$1 trilhão após divulgar seus últimos resultados financeiros

Desde o último pico histórico registrado nas ações da Apple, em 3 de outubro (quando a $AAPL fechou o dia valendo US$232,07), os papéis vinham flutuando próximo do recorde com algumas chances de voltar a encostar nele. Mas, de ontem para hoje, as ações caíram tanto que, pela primeira vez desde o começo de agosto, a Apple agora vale menos que US$1 trilhão.

A $AAPL fechou o dia hoje em uma queda acentuada de 6,63%, cotada agora a US$207,48. Com isso, o valor de mercado da Apple está avaliado em US$1,002 trilhão — mas esse número ainda precisa ser atualizado com base no número de papéis que a Apple tem hoje no mercado; segundo o analista Daniel Tello, a $AAPL precisa valer agora pelo menos US$210,31 para o market cap da Apple ficar acima de US$1 trilhão.

Mesmo assim, ela continua sendo a empresa mais valiosa do mundo com folga: Microsoft, Amazon e Alphabet/Google fecharam esta semana valendo, respectivamente, US$814,9 bilhões, US$814,4 bilhões e US$739,7 bilhões.

O motivo desse mergulho profundo hoje foram, é claro, os resultados financeiros divulgados ontem pela Apple. Não que tenham sido ruins, longe disso: a empresa faturou US$62,9 bilhões (20% a mais que há um ano) e lucrou US$14,1 bilhões (+32%), ou seja, continua um grande fenômeno. Mas houve ao menos três coisas nos resultados que desagradaram analistas de Wall Street:

  • A Apple vendeu 46,9 milhões de iPhones no período, o que representa uma estagnação em unidades quando comparado ao mesmo período de 2017. Não importa que ela vendeu 6 iPhones *por segundo* no trimestre e ainda faturou 29% a mais devido aos aumentos de preços (US$37,2 bilhões), estagnação em vendas é ruim.
  • Talvez devido ao cenário descrito no tópico acima, a Apple anunciou na conferência financeira que, a partir do seu próximo trimestre fiscal, deixará de detalhar as vendas de iPhones, iPads e Macs por unidades. A prática é comum na indústria como um todo, mas a Apple era justamente elogiada por essa transparência extra em seus resultados financeiros.
  • Para o primeiro trimestre fiscal de 2019, a Apple está prevendo uma receita de US$89-93 bilhões — que, ali na média (US$91 bilhões — o que será um recorde histórico para ela), é abaixo do que esperavam alguns analistas.

Mesmo com todos esses fatores em jogo, é também muito mais comum as ações da Apple caírem após a divulgação dos seus resultados financeiros do que o contrário. Só não de forma tão acentuada, é claro.

Acompanharemos a performance da $AAPL nas próximas semanas.

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários