Como configurar múltiplos discos de backup no Time Machine

É uma regra muito repetida, mas pouco seguida no mundo da informática: sempre tenha o máximo possível de backups. Unidades de armazenamento, mais cedo ou mais tarde, falham; serviços na nuvem, embora mais seguros, ainda representam um investimento um tanto pesado para a maioria dos usuários que queiram depositar neles toda a sua vida digital — e, de qualquer forma, também são suscetíveis a falhas e/ou ataques cibernéticos.

Por isso, vale a velha regra: se você puder, sempre mantenha dois backups dos seus arquivos, seja em dois drives externos ou em um drive físico e um serviço de nuvem, por exemplo.

Aí, vem a questão: o Time Machine é um dos serviços de backup mais simples e funcionais que existem. Basta conectar sua unidade de armazenamento no Mac e esperar que a ferramenta faça seu trabalho. Como unir, portanto, o benefício dos dois drives ao recurso? Felizmente, a Apple pensou nisso — a possibilidade só não é amplamente divulgada.

Os passos abaixo se referem ao processo de configurar o seu segundo drive de backup no Time Machine; caso você não tenha nenhuma unidade de armazenamento externa configurada para tal tarefa, basta seguir primeiramente esse breve tutorial da própria Apple.

  1. Conecte o segundo drive de backup ao Mac, seja por cabo ou Wi-Fi (caso ele disponha dessa conexão).
  2. Abra Preferências do Sistema » Time Machine e clique na opção “Selecionar Disco de Backup”.
  3. Selecione o disco que você deseja configurar como segundo backup.

    Backup no Time Machine

  4. O sistema perguntará se você deseja substituir o disco já existente pelo novo ou se deseja manter ambos; selecione a opção “Usar ambos”.
  5. Opcionalmente, marque a caixa “Criptografar backups” se quiser proteger seus dados de terceiros — com a opção ativa, eles só serão acessíveis com a sua senha do sistema.

Pronto! Agora você tem dois discos de backup rodando simultaneamente no Time Machine. Caso a conexão deles (ou de um deles) seja por cabo, lembre-se de plugá-lo(s) ao seu Mac periodicamente para que os backups possam ser devidamente atualizados. A ferramenta do macOS usa um sistema de rotação para realizar o processo nos dois discos — isto é, ela detecta em qual deles o backup está menos atualizado e faz o processo neste primeiramente, depois partindo para a unidade mais atualizada e mantendo ambas sempre mais ou menos em pé de igualdade.

Esse processo pode ser realizado com quaisquer HDDs/SSDs externos ou com o finado AirPort Time Capsule — certifique-se apenas de que os dispositivos têm espaço suficiente livre e estejam formatados em HFS+.

Aproveitem — e previnam-se!

Taggeado:

Posts relacionados

Comentários

12 comments

  1. O Mojave 14.1 ferrou meu computador de tal forma que corrompeu o disco, deu pane no sistema, e estragou até o backup da Time Machine. Tá difícil. Desconfio que tenha a ver com alguma incompatibilidade do APFS (que foi convertido contra a minha vontade no Fusion Drive).

  2. O Time Machine é excelente pra quem quer um backup mais automatizado e criptografado.
    O problema é que backups do TimeMachine só abrem em Macs. E eu, quando usava um MacBook gostava de poder acessar os arquivos do backup no HD externo em computadores Windows ou até mesmo de conectá-lo na TV pra acessar as imagens e vídeos…
    Pra isso, eu usava o FreeFileSync que é excelente, rápido, confiável e fácil de configurar.
    Pra ler/escrever no mesmo HD externo em um PC com Windows, basta formatar em exFAT e usar o FFS pra sincronizar.
    Esse app também está disponível pra Windows/Linux e é grátis, SEM anúncios.
    Podendo ser feita uma pequena doação, que garante algumas vantagens, como por exemplo, updates automáticos.

  3. Sempre tive uma dúvida sobre o time machine… ele faz backup somente do HD do interno do Mac ou faz tbm dos outros discos conectados constantemente no Mac?

  4. Mesmo que o backup do Time Machine tenha se corrompido (já peguei dois casos de Time Machine corrompido), é totalmente possível navegar pelo backup e recuperar os arquivos do usuário manualmente.

  5. Você escolhe. Normalmente esses drives temporários são automaticamente ignorados pelo Time Machine, mas você pode ir nas preferências dele e removê-los da lista para que sejam backupeados também.

  6. Tem um velho ditado que diz: ” quem tem 1 backup não tem nenhum, e quem tem 2 backups tem apenas 1″.
    O ideal mesmo é sempre ter 2 backups. Tudo na nuvem e o bom e velho HD Externo.

  7. Vocês recomendam ter um back up em Time Machine e outro manual? Gosto muito do Time Machine, mas ele é basicamente um bloco de dados… não é possível pegar arquivos individuais num outro Mac, por exemplo. Também não é possível escolher arquivos ou pastas específicas na hora de começar um novo Mac.

  8. Oi Thiago. Esse “bloco de dados”, como você chamou, é na verdade uma pasta (você consegue abri-lo clicando com o botão direito e selecionando “Mostrar conteúdo do pacote” (ou algo assim).

    De fato não é a mesma coisa, pois os arquivos são meio bagunçados, mas em um caso de emergência, acredito que seja possível acessar os arquivos/pastas em seus formatos originais (e não como um “bloco” mágico do TimeMachine).

  9. Obrigado Lucas. Mas você acha que é possível começar um Mac novo e pegar da time machine apenas a pasta ‘Documentos’, por exemplo?
    Outra pergunta. Você acha válido manter uma time machine em SSD e outra em HD?

Deixe uma resposta