Ao contrário de iPhones, Androids são enganados por cabeça impressa em 3D

Ao mesmo tempo em que as fabricantes de smartphones se preocupam com a praticidade e a facilidade de uso dos seus dispositivos, elas também devem se atentar à segurança dos aparelhos. Essa linha fica cada vez mais tênue com o avanço das tecnologias de autenticação biométrica — atualmente, nossas informações estão a um rosto de distância.

Quanto à praticidade, realmente é muito simples levantar e olhar para o seu smartphone a fim de desbloqueá-lo; já no quesito segurança, um teste realizado pelo jornalista Thomas Brewster (da Forbes), com uma cabeça impressa em 3D, mostrou algumas situações nas quais essa tecnologia pode não ser a mais confiável.

Para realizar o teste, Brewster procurou uma empresa que imprime moldes em 3D no Reino Unido. Em um estúdio, cerca de 50 câmeras registraram um ângulo específico do seu rosto e, em seguida, um software combinou as fotos para produzir uma imagem 3D completa, usada na confecção do molde.

O jornalista, então, configurou seu rosto “real” em cinco dispositivos diferentes: iPhone X, LG G7 ThinQ, Samsung S9, Samsung Note8 e OnePlus 6 e verificou em qual deles a cabeça impressa em 3D conseguia desbloquear o aparelho. Surpreendentemente (ou não), os quatro dispositivos Android foram desbloqueados pelo rosto “falso” — cada um com um número de tentativas diferente. O fato é que o único que não foi “enganado” pelo molde foi o iPhone X.

O teste não oferece um resultado claro já que não compara dispositivos com tecnologias de reconhecimento facial equivalentes; nos dispositivos Android, inclusive, esse recurso não é recomendado pelas fabricantes como método de autenticação principal, ao contrário do iPhone. O LG G7, por exemplo, indicou que “o reconhecimento facial é um método de desbloqueio secundário que resulta em menos segurança no seu telefone”.

Também não foi informado se a opção “Exigir Atenção para o Face ID” estava ativada no iPhone ou não; julgando que sim, então o dispositivo não conseguiu reconhecer o molde 3D já que fornece um nível a mais de segurança, conforme explicado pela Apple:

O Face ID também é sensível à atenção. Ele reconhece se os olhos estão abertos e se a atenção está voltada para o dispositivo. Isso torna ainda mais difícil para que alguém desbloqueie o dispositivo sem que você saiba (caso você esteja dormindo, por exemplo).

Além do iPhone X, a tecnologia “Windows Hello” da Microsoft também não reconheceu o molde em 3D e, portanto, não desbloqueou o dispositivo. Confira o teste completo aqui.

dica do @SandersonBittencourt, via MacRumors

Posts relacionados

Comentários

27 comments

  1. Se tivesse lido a matéria saberia, mas vou te ajudar:

    “O Face ID também é sensível à atenção. Ele reconhece se os olhos estão abertos e se a atenção está voltada para o dispositivo. Isso torna ainda mais difícil para que alguém desbloqueie o dispositivo sem que você saiba (caso você esteja dormindo, por exemplo).”

  2. Claro, chama o alvo dono do iPhone X e pede pra ele tirar varias fotos em alta definição do seu rosto em um estúdio específico para isso…

  3. Pelo preço que é iPhone 10, 10S e 10R era mais que obrigação não reconhecer o molde. Afinal para quê os outros fabricantes colocam o recurso de reconhecimento facial? Só para pedir para os usuários não utilizar? Só fico imaginado o tempo que desperdiçaram implementado um recurso só para não ser utilizado.

  4. Ué, mas um recém morto está com os olhos abertos e olhando para o telefone (desde que vc aponte o telefone para a cara dele).
    Como o FaceID detectaria que estamos falando de um morto de olho aberto e nao um ser que está vivo

  5. Os concorrentes anunciam os seus sistemas de reconhecimento facial (mesmo inseguros) em propagandas, só pra atrair a atenção dos clientes rsrs. Pegou o trocadilho?

  6. E como eu falei em outro comentário na época do lançamento: esse desbloqueio facial é temporário.
    Logo será substituido por outro.
    E para a minha surpresa, vai ser mais rapido que imaginei.

  7. Com S9 e Note o teste não informa se foi feito com reconhecimento de iris.

    Reconhecimento facial realmente é facilmente de burlar.

  8. Puts é serio que compararam o Face ID com o reconhecimento facial que tem no android desde a versão 4 do sistema? O S9 e o Note tem o reconhecimento de Íris, por quê não usaram pra comparar?

  9. Mas nenhum desses aparalhos contam com os sensores dedicados ao reconhecimento, eles apenas usam a câmera para o desbloqueio, diferente de aparelhos como mi8, huawei mate 20, find x e etc, que tem tecnologia semelhante ao iPhone.

  10. Rony, acho que o resultado seria semelhante ao teste realizado com a máscara. Veja que a máscara tem olhos e eles está abertos, tal qual ocorreria com uma pessoa morta.
    Acredito que o algoritmo do Face ID com certeza verifica se os olhos da pessoa fazem micro movimentos, mesmo que imperceptíveis a olho nu.
    Eu particularmente colocaria uma validação assim no Face ID porque nenhum ser humano fica com os olhos completamente parados.
    Isso demonstra se uma pessoa está viva e com atenção.

  11. Windows também porque provavelmente utiliza a mesma patente. Para quem não sabe há décadas Apple e Microsoft compartilham patentes. Recursos do antigo celular Lumia, por exemplo, chegaram posteriormente ao iPhone, como as Live Photos e alcançabilidade.

  12. Reconhecimento facial (não estou falando do método 3D) tinha desde do Android 5.0, agora estão falando por marketing

  13. Como se fosse fácil fazer um print 3D da cabeça dos outros, kkk. Biometria existe pela comodidade e não pra aumentar a segurança. Impedindo que os parentes, conhecidos e ladrões fiquem xeretando no aparelho alheio já está ótimo. Como disse o sujeito no final do vídeo, se quiser garantir a privacidade da maneira mais segura possível, use uma boa senha alfanumérica e pronto.

  14. A tecnologia de reconhecimento facial só a Apple e MS conseguem nesse nivel de segurança. O resto fica tentando adicionar reconhecimento de iris, etc. Ok, Android tem várias vantagens. Mas algo que não têm como superioridade é em segurança e privacidade. Tal do ônus e bônus.

Deixe uma resposta